Shared posts

13 Apr 18:32

mllescarlet: No that’s perfect



mllescarlet:

No that’s perfect

16 Apr 19:41

Who's who in the battle for Brazil?

by Vincent Bevins

whoswho

Why do ‘pro-government’ protesters battle cops, while pro-impeachment protesters hug them? Which team are these guys on, again? A guide to the current crisis

Vincent Bevins
São Paulo

I just spent a month away from Brazil, which served to remind me of just how inscrutable the struggles currently rocking this country are to foreign observers. They may know that things are not as rosy as they were a few years ago, or that “the government” has messed up or is in trouble. But the contours of the battles are extremely blurry.

For example. Last week, protesters clashed violently with police outside Congress in Brasília during a demonstration against a new legislative project (pictured above). A few days later, on Sunday, a much larger group of protesters, some of whom smiled and posed for selfies with heavily armed cops, cheerfully filled streets around the country,

It is indicative of the topsy-turvy world that crisis-ridden Brazil has entered that the bloody demonstrators battling cops were the ‘pro-government’ protesters, while the cheerful, carnavalesque crowds were calling for the president to be impeachment and her party to be demolished.

That’s because “the government” is not just one government these days, and a number of players (some even less scrupulous than the others) are currently engaged in a fight for its future.

So who are they? What do they want? What are their chances?

The government, part 1 (executive)

President Dilma Rousseff, of the left-leaning Workers’ Party (PT), was re-elected in October and began her second term in January.

The PT has controlled the Presidency since Luiz Inácio “Lula” da Silva took over in 2003. By any global standard, Lula’s time in power was good for Brazil. Buoyed by high prices for its commodities, the economy surged forward, and moderate social programs helped roughly 40 million people rise from poverty into the “new middle class.” He left office with record levels of support.

Dilma, former left-wing guerrilla and Lula’s hand-picked successor, took over in 2011 and enjoyed widespread support for a while. But the commodity boom ended and the economy slowed down amid mistakes made by Dilma’s government. Then the June 2013 protests happened, and so did the World Cup, which only turned out pretty well in contrast to the mess it was expected to be, and because Brazilians were polite enough to keep their rage about wasteful spending to themselves while the foreign fans were here.

By the 2014 election, Dilma had lost much of the goodwill Lula had bestowed to her. She barely beat out opponent Aécio Neves (PSDB) by frantically appealing to the working poor and middle-class leftists, denying many of the economic problems the country faced and promising what we all knew she couldn’t deliver in the short term.

She won, promptly installed a Finance Minister that her core supporters (and probably she herself) consider ‘neoliberal,’ who embarked on a series of painful adjustments as the dire economic straits Brazil finds itself in became exceedingly obvious. For the first time since 2003, regular people’s lives not only stopped improving, but in some cases, began to get worse. And all the while, since the middle of last year, it slowly emerged that the Federal Police have built a credible case that the state-run oil company, Petrobras, funneled billions of dollars to huge construction companies, who then passed some of the bribes on to political parties.

The government, part 2 (legislative)

If Brazil were a monarchy, that would be it. Rousseff would be “the government.” But Brazil is a loose federal republic with a staggering 28 parties active in its two legislative houses, and 26 state governors who each control their own police forces.

Much of Lula’s success was attributable to his ability to cobble together an unlikely coalition of parties and economic actors and thus keep the party going. This group has included right-wing parties, major figures Lula used to bitterly oppose, one president already impeached for corruption, and big parties who may not believe in much, other than the spoils of power.

Maintaining this kind of a coalition is a lot easier if you have Lula’s charisma and political capital. It’s even easier if you have so much money flowing in that you can make everyone in the country richer at the same time.

Dilma has none of this at the moment, and it’s all falling apart.

Amidst the chaos and political weakness of the first few months of Dilma’s second term, the PT lost control of Congress. The “catch-all, pork loving” PMDB has gained control of the Presidency of both houses and is openly rebelling against Dilma. Eduardo Cunha, an evangelical Christian, has been especially combative. Contributors to this blog have made it pretty clear who these guys are. It is not only that have they taken advantage of Dilma’s weakness. They are also reportedly furious that both of their Congressional leaders, Renan Calheiros and Cunha, have been named in the investigation into the Petrobras corruption scandal.

Recently, they have been pushing a bill that allows for more companies to treat employees as contractors. The PT hates this law, and so do the left-wing and union protesters that marched against it last week in Brasília. That’s who battled cops in Brasília last week, decked out in red. They support “the government” (Dilma) against right-wing threats, but despise Cunha and company.

Many people want Neves and the PSDB in power. Many, but less than before, want Dilma’s PT to hold on and thrive. But few people will tell you they love these guys.

selfies

The protesters, 2015 edition (green and yellow)

On Sunday, hundreds of thousands of people took to the streets around the country to denounce Dilma and call for her impeachment. This was less than they mustered a month earlier, but this group and its demands are not going away.

These protesters want Dilma gone, now, and mostly hate the PT passionately. A small minority call outright for military intervention. Anecdotally speaking, these people have not felt represented by the PT government in years, and their anger has exploded further since the October election. Studies suggest they are wealthier and whiter than average Brazilians, and that they are most likely to take their cues from Brazil’s most right-wing major publication.

According to this study, they also hold some strange beliefs. A majority said they think the PT “wants to impose a communist regime in Brazil.” The Economist recently called them a “Tropical tea party.” They are usually law and order voters, which explains why some of them embrace the police that terrify many poor Brazilians and traditional protest groups.

But it is not enough to just wave one’s hands, and say that Brazil has always had a small but powerful right-wing section of the elite, that they never liked the PT anyways and hold views that many English-language readers would find bizarre. That may describe some of the core demonstrators who are actually in the streets. But it’s also important to recognize why they’ve been able to step into the spotlight now, and that many regular people are sympathetic to their broader demands.

Another recent poll made very difficult reading for the PT. Datafolha reported that 63% of respondents support an impeachment process against President Rousseff. And 3/4 of respondents said they supported the recent protests around the country.

This must include many people that voted for her. And it’s not hard to see what explains this swing. Things have gotten worse.

Social movements, unions, and the left (protesters in red)

But it’s not just the rich, white, and conservative that are upset. Many of the core supporters of the PT project had hoped that Dilma would follow up on her left-wing campaign with a shift to the left. She did not. They were doubly mortified to see the country fall into the hands of her former conservative allies in Congress, who have been eager to push an agenda they consider homophobic and a serious threat to labor rights.

In much smaller numbers, they took to the streets yesterday, alongside fast food workers, to protest this new direction. These guys come from the traditional left, and have traditionally clashed with police at times.

And while they bitterly oppose the other group of protesters, accusing them of being golpistas, they are also an outgrowth of real discontent with the status quo. They would argue that to tackle the very real popularity problems the Datafolha survey revealed, the PT should return to its left-wing roots.

It’s also notable that Brazilians, perhaps fed up with the system in general, have been quite eager to support all kinds of protests recently. In 2013, a remarkable 89% supported the protests started by an anarchist-leaning student group after they exploded into wider demands for better public services and an end to corruption.

Who will triumph? (pure speculation)

Marxists and free-market liberals alike sometimes make the mistake of thinking that if things just get bad enough, a solution they like will appear. The radical left looks to 1917, and liberals look to 1989, as evidence of this. But what happens more often is that things just sort of muddle along, in a dispiriting and crappy way, with no easy way out.

While admitting that anything could happen, I’ll venture three possibilities for the next few years. The first is that the political and legal circumstances change, and Dilma is actually impeached. For now, this seems unlikely, but it is possible. In any case, it would only be a victory for the yellow-green protesters in that it would be a blow to the PT. Their preferred representatives would be extremely unlikely to take over. Another possibility is that the PT manages to retake control of the situation, getting the economy back on track and moving into a position in Congress where it can satisfy some of its core supporters. This road looks very difficult from here.

But more likely, in my opinion, is that Dilma will remain weak for the near future, with Minister Levy managing to do enough with the economy to avert disaster, but unable to unleash the country’s full potential, while a rudderless Congress is taken in a new and sometimes strange direction.

Not very exciting, I know. But those are the battle lines for now.

30 Mar 17:28

outro dia estava aqui apertando o f5 indiscriminadamente (sempre um perigo) e me deparei com um...

Jagripino

Full disclosure: eu sou doido e tomo remédio tarja preta. Não, não é meu emprego que é ruim, não é o casamento, não é a vida que é uma merda - pelo contrário, tá tudo muito bom. É só uma doença: meu cérebro não produz qtde x de substância y. Tomo o remédio, tudo fica bom. Vou tomar até morrer, não tem cura. Não glamourizo nem fetichizo, só não quero é passar por uma crise de terror sem motivo algum enquanto faço algo banal.

outro dia estava aqui apertando o f5 indiscriminadamente (sempre um perigo) e me deparei com um comentário ironiquinho sobre ~glamourização do tarja preta~. deixei passar porque nem comigo era (pelo menos EU ACHO. nunca se sabe e nunca me importo muito.). mas a minha tolerância para a estupidez em geral anda meio baixa e deixar passar não tem figurado entre as habilidades do momento. então vamos lá.

imagina a sensação que você tinha quando era criança e recebia uma prova muito difícil. ou a de estar andando numa rua deserta e anunciarem um assalto. náusea, tremedeira, boca seca, coração martelando. insira aqui suas próprias reações ao medo.

agora imagine que essa sensação te invade sem contexto NENHUM. num almoço de família. na fila do balcão de frios. tomando uma cerveja com os colegas de trabalho que conhece há um mês.

pode ser um pouco chato.

melhor ainda: imagina que essa maré ruim jorra dentro da sua mente enquanto você dormia. tava lá sonhando com algo inofensivo tipo, sei lá, panquecas e de repente: horror. você desperta no meio da madrugada e seu corpo está preparado pra se defender de algo que nem sabe o que é, mas tem cara de MORTE IMINENTE. jura que você ia preferir bater um papo com a MORTE IMINENTE às 4 da manhã em vez de tomar um stillnox?

digamos que você fique nessa até amanhecer. faz como? liga pro seu chefe e:


- oi, não vou poder trabalhar hoje. pensei que fosse morrer essa noite e tô cheio de sono agora.
- mas você pensou que ia morrer 3 vezes só essa semana, claudionor!
- pois é, tô morrendo direto, ruinzão.


eu acho que não.


outro exemplinho: imagine que um dia qualquer você acorda e descobre que não vai conseguir levantar, pentear o cabelo e existir em linhas gerais porque alguma coisa dentro de você simplesmente está inoperante.

não é preguiça
não é seu emprego que tá ruim
não é ressaca
não é porque seu namorado visualizou e não respondeu
não é a azeitona da empada de ontem à noite


é apenas um BURACO onde se enfiaram praticamente todas as características que fazem com que você seja você. sem maiores explicações nem um prazo para voltar. será que você ia preferir ouvir um monte de conselhos bem intencionados (ou não) porém perfeitamente vazios tipo toma uma vitamina, faz um chá, vai correr na praia, se apega com jesus? ou ia querer tomar um comprimidinho e seguir a sua vidinha como todas essas pessoas tão lindas e opinativas estão fazendo?

pois.

se você faz um pout-pourri com os conselhos tudo, toma um chá de vitamina e corre na praia com jesus, olha, eu acho muito válido. de verdade. cada um lida como pode, como dá, como consegue. é só que em alguns momentos, para algumas pessoas, não tem vídeo de gatinho que resolva. e admitir que existe algo funcionando esquisito dentro da própria cabeça já é um processo delicado sem a sua depreciação, sabe. você não é o gás da coca-cola da espécie humana porque nunca tomou um rivotril. sugerir isso é tão boçal quanto virar prum diabético e mandar um “ai, nada a ver ficar glamourizando insulina, eu nunca tomei e tô ótimo”. tipo, parabéns para os seus órgãos. procure apenas ter em mente que você não manda em um único sisteminha que mora dentro de você.

neurônios incluídos.

da unha do pé ao cérebro, qualquer coisa pode pifar. sem aviso prévio. sem você ter feito “nada errado”. sem ter “merecido”.

essa é a má notícia. desculpa.

a boa notícia é que você só vai tomar remédio se quiser. você pode passar a vida mascarando suas sensações ruins. também pode se recusar a tomar um antibiótico e deixar a unha do pé cair, levando o pé junto. livre arbítrio existe é pra isso mesmo, portanto nada tema.

deixa o coleguinha glorificar o prozac dele em paz.

21 Mar 18:33

Photo

tumblr_njbrrlsSco1qa1a2ko1_500.png

tumblr_njbrrlsSco1qa1a2ko2_500.png

tumblr_njbrrlsSco1qa1a2ko3_500.png

27 Mar 00:42

A ineficiência da Delegacia da Mulher – parte I

by Clara

Essa semana minha amiga virou estatística e foi agredida pelo companheiro.

Pensei: direto pra Delegacia da Mulher, lá ela vai ter o acolhimento necessário pra essa situação tão delicada.

E foi aí que comecei a descobrir que essa delegacia não é NADA do que a gente imagina. Relatarei, pois, o suplício que foi para conseguir fazer um simples boletim de ocorrência. Que dobrem a língua aqueles que dizem à mulher agredida que é “só ir à Delegacia da Mulher e fazer um B.O.”. Passamos pelo inferno, colegas, um inferno que eu não só não vou esquecer como vou fazer tudo que estiver em meu poder e além para que esse panorama mude. Este post é o primeiro de uma série em que tratarei do assunto.

Começa pelo fato de que a DDM não abre nos fins de semana. Manda avisar os agressores que só pode bater em dia de semana, viu? Mas a real é que não faz diferença.  Eu achava que faria, achava que não seria como uma delegacia comum, onde sabidamente muitos policiais fazem pouco caso com abuso, culpam as vítimas de estupro, enfim, toda aquela coisa da cultura machista que já sabemos como funciona.

Nada me tira da cabeça que aquele lugar foi feito para que as mulheres desistam de fazer denúncia.  Havia um homem na triagem, um investigador de meia idade que olhou bem na nossa cara e perguntou: mas o que aconteceu?,  ali mesmo na recepção, sem nenhum acolhimento, nenhum tato, bem alto, sem nenhuma privacidade. Só de ficar ali sentada fiquei sabendo das histórias das mulheres que chegavam lá e que encolhiam cada vez que ouviam essa pergunta. Sei que o procedimento padrão de uma delegacia é esse, mas em uma DDM deveria ser diferente, a mulher não vai lá relatar roubo de celular ou furto de carro; é uma delegacia voltada exclusivamente a tratar da violência contra a mulher, não é? 

Deveria ser. O que eu vi acontecer lá foi uma segunda violência contra as vítimas, policiais despreparados, um descaso imenso e um tom quase de deboche quando comentavam outros casos.

unnamed

aham

Havia lá um grupo de bolivianas esperando pra fazer B.O., pois uma delas estava sendo ameaçada pelo marido, que dizia que ia meter uma bala na cabeça dela e levar o filho pequeno, de um ano e meio, embora do país. O homem estava ameaçando também as tias e primas dela, todas presentes na delegacia. Ocorre que a escrivã não falava espanhol e não tinha NENHUMA paciência pra ouvir a mulher, apenas fazia “HEIN?” com cara de asco. Asco. Olhava pra o menininho, o filho, um bebê, com asco.  Minha amiga, que fala espanhol, tentou intermediar a conversa, e a boliviana ameaçada contou a ela que já tinha estado outra vez lá mas a escrivã tinha se recusado a fazer o B.O. pois não quis nem se esforçar pra entender.

Esperamos mais de uma hora nesse primeiro dia e tivemos que ir embora, pois precisávamos buscar o filho da minha amiga na creche.

Voltamos no dia seguinte e, ao chegar lá, senti um alívio: agora eram duas mulheres na recepção da DDM. Empatia, finalmente, pensei. Mal sabia eu que seria ainda pior do que ser atendida por um homem. A investigadora também não tinha um pingo de tato, assim como a escrivã.

Minha amiga estava nervosa e fragilizada, como estão todas as mulheres que procuram uma DDM. Era nossa terceira vez lá, ela estava ansiosa e a investigadora resolveu que o tom dela não era o correto para ser usado, já criando um atrito totalmente desnecessário em uma situação delicada.

Essa mesma investigadora e uma outra mulher lá de dentro resolveram que era ok falar mal de bolivianos, precisamente: “boliviano é uma raça desgraçada” e outros impropérios. Até onde sei, xenofobia é crime, né não? E lá estava uma investigadora da polícia cometendo este crime.

O pesadelo seguiu e minha amiga entrou para dar o depoimento. Acredito que jamais vi uma mulher ser tão maltratada por alguém que deveria ajudá-la. Eu não pude entrar com ela na sala, mas ouvi de fora; a escrivã chegou a dizer que a agressão que o sujeito cometeu não era crime. Mesmo com ela conhecendo a lei e batendo o pé, a escrivã se recusava a escrever exatamente o que minha amiga relatava, mudando os fatos e suavizando o ocorrido e ainda teve a manha de falar que as mulheres que “juntam os trapos” com um homem com histórico de agressor têm culpa pelas agressões que seguem. Ela teve que chamar a delegada na sala para conseguir que o B.O. fosse feito direito.

Eis que ocorreu uma coincidência que só me deixou mais bolada e mais puta: uma conhecida entrou na delegacia e, por sua vez, era conhecida da delegada. Ela disse: você conhece a Clara? Ela é uma das maiores blogueiras de direitos das mulheres do Brasil.

E aí tudo mudou, minha gente. Foi um tal de o que você precisa, está tudo bem, foram bem atendidas? Têm alguma dúvida, precisam de alguma coisa?

Quis dizer: preciso sim, Doutora Delegada: preciso que vocês parem de tratar as mulheres com descaso, que parem de fazê-las passar por uma segunda violência. Preciso que suas escrivãs conheçam a lei, que não culpem as mulheres pela violência que sofrem, que não constranjam essas mulheres fazendo-as relatar suas histórias sem nenhuma privacidade, na frente de todo mundo, e eventualmente para homens, que não deveriam sequer estar nessa delegacia pra começo de conversa.

Contei sobre esse tratamento no facebook e muitas das minhas amigas tinham histórias similares à nossa. Resolvi pedir depoimentos anônimos para escrever um texto e foi como abrir a caixa de pandora do horror da ineficiência policial: é uma história pior do que a outra.

Não foi uma, duas, três. Até agora tenho vinte e sete depoimentos de mulheres que foram tratadas com descaso na delegacia que deveria orientar, acolher e  ajudar punir quem comete um crime. Em praticamente todos os casos os policiais tentam dissuadir a vítima de fazer B.O., dizem que não vai dar em nada, a questionam como se a culpada fosse a vítima, redigem os boletins de ocorrência como bem entendem e chegam ao cúmulo, como foi o nosso caso, de distorcer a Lei Maria da Penha para que a mulher agredida ache que seu caso não se encaixa ali.

Screen Shot 2015-03-25 at 1.57.38 AM

em menos de meia hora minha caixa de emails ficou assim

Isso NÃO PODE ocorrer. Não pode. Não pode em lugar algum e menos ainda em um país onde a violência contra a mulher tem dados tão alarmantes que existe uma delegacia só para atender esses casos. Mas não adianta apenas existir, tem que funcionar, e o que presenciei foi apenas ineficiência e descaso para com as mulheres que deveriam estar sendo acolhidas.

Não “é assim mesmo”. Não pode ser e tem que mudar.

20 Apr 07:00

Dungeons & Dragons & Philosophers V: The Battle of Five Philosophers




And that was the day that Utilitarians, Objectivists, Communists, and Egoists all united as one: to kill Nietzsche. And also they told him that their group was really hardcore and didn't allow re-rolling characters, so once you died you had to wait outside and not talk.
19 Apr 05:41

Internet.org: delivering poor Internet to poor people

by Cory Doctorow
Jagripino

Sim - tem tempo que notei isto, já não temos neutralidade da rede nos celulares, e é isto que as empresas querem para a internet também.


Mark Zuckerberg's Internet.org project bribes corrupt, non-neutral carriers in poor countries to exempt Facebook and other services of its choosing from their data-caps, giving the world's poorest an Internet that's been radically pruned to a sliver of what the rest of the world gets for free. Read the rest

19 Jan 05:36

Hurr durr, I'm a dog

06 Feb 00:00

Quotative Like

God was like, "Let there be light," and there was light.
01 Feb 14:17

lady-feral:Damn.





















lady-feral:

Damn.

02 Mar 22:30

batsvsupes:Riddle me this…









batsvsupes:

Riddle me this…

09 Mar 22:57

bloodredorion:slavicinferno:What SciFi Movies Would REALLY Be...





















bloodredorion:

slavicinferno:

What SciFi Movies Would REALLY Be Like…

Source

Im laughing so hard

19 Jan 20:25

A Softer World: 1191


buy this comic as a print!
Or share on: facebookreddit
If you enjoy the comic, please consider supporting A Softer World on Patreon
10 Mar 14:35

Saturday Morning Breakfast Cereal - The Bank Ghost

by admin@smbc-comics.com

New comic!
Today's News:

 NEW BAHFEST DAY!

<iframe width="400" height="225" src="https://www.youtube.com/embed/8b32c7uan5U" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>

10 Mar 02:47

did-you-kno:All of the teachers in this study were women, but...



did-you-kno:

All of the teachers in this study were women, but the leaders of the experiment feel the bias is likely unconscious and unintentional.They also expect the results are applicable in the U.S. This study was published by the National Bureau of Economic Research.
Source

14 Mar 20:30

noobtheloser:collegehumor:The Real Difference Between Tinder and...

20 Mar 21:59

229

by clay

depcom.229.col.400px

25 Nov 12:28

Malcolm X on "Progress"

09 Nov 20:40

Photo

by wagatwe




20 Oct 07:00

Philosophy Tech Support

Jagripino

Rindo em voz alta ao perceber que o Sartre está jogando Counterstrike. Ainda bem que trabalho de casa :-)




Hello, customer complaints, this is Leibniz. Oh yeah? Well, this is the best of all possible customer support centers, so that can't be true
16 Nov 11:16

Pequeno agradecimento (remake)


Hoje refiz essa tira. É uma tira criada em 2009. É uma tira que eu gosto, por isso redesenhei. :)
08 Dec 07:00

Candyland and the Nature of the Absurd




Sartre and Camus told everyone that their falling out was over politics, but really it was mostly over Sartre evoking
23 Oct 08:15

Boxed Atari Jaguar w/ Games

by gnome
Jagripino

Melhor que pão com bosta!

Interested in the NTSC version of the very first 64bit (do the math etc) console ever? Good. This Atari Jaguar eBay auction is for you then. The console comes complete in its original box and all the bits that came in it (including the instructions and the Cybermorph game) and with four more games that brilliantly include both Doom and Alien vs. Predator

Seller ships to the Americas, Europe, Asia, Australia and New Zealand.
20 Apr 23:23

Photo



29 Sep 12:00

D'aww, Babby's First Unholy Communion With Satan!

D'aww, Babby's First Unholy Communion With Satan!

Submitted by:

Tagged: parenting , sacrifice
01 Oct 21:01

plagueofgripes: Don’t give up, skeleton!















plagueofgripes:

Don’t give up, skeleton!

28 Sep 14:15

needstosortoutpriorities: #delightful things I find on twitter



needstosortoutpriorities:

#delightful things I find on twitter

26 Sep 15:35

Historian and Feminist Scholar Gerda Lerner

24 Sep 04:00

Tasks

In the 60s, Marvin Minsky assigned a couple of undergrads to spend the summer programming a computer to use a camera to identify objects in a scene. He figured they'd have the problem solved by the end of the summer. Half a century later, we're still working on it.
09 Sep 15:14

Photo