Shared posts

18 Apr 11:55

04/09/14 PHD comic: 'Defending'

Piled Higher & Deeper by Jorge Cham
www.phdcomics.com
Click on the title below to read the comic
title: "Defending" - originally published 4/9/2014

For the latest news in PHD Comics, CLICK HERE!

18 Apr 11:54

Free Speech

I can't remember where I heard this, but someone once said that defending a position by citing free speech is sort of the ultimate concession; you're saying that the most compelling thing you can say for your position is that it's not literally illegal to express.
10 Sep 19:33

Newcomers

Alinepegas

~~ aliens ~~

Always the politically-correct nation, official Canadian government documents have stopped referring to people as “immigrants” and instead uses the very warm and fuzzy “newcomers.” Sure beats the US calling people “resident aliens.” 

05 Aug 00:21

CORRÃO! Espiões do Obama podem acionar remotamente o microfone do seu Android! (ou talvez não)

by Carlos Cardoso
Alinepegas

Ai meu português!

simpsons_NSA

Dizem que o maior truque do diabo é fazer todo mundo acreditar que ele não existe, já no mundo da espionagem, é o contrário. Historicamente as agências de inteligência adoram Hollywood, por fazer com que todo mundo acredite que são incrivelmente competentes, poderosos e estão em todo lugar.

James Bond chega em qualquer canto e tem um contato local, em geral uma dona boa que não está lá somente para seus olhos. Na prática os ingleses foram completamente surpreendidos na Guerra das Malvinas, assim como os EUA no fatídico 11 de Setembro.

Essa imagem de agências com poderes super-humanos fazem com que os inimigos se preocupem e gastem recursos desnecessariamente. Bin Laden chamou muito mais atenção pelas medidas de segurança que tomou do que se a rotina da casa fosse normal.

Agora com o caso de Edward Snowden, nerd fofoqueiro e futura moeda de troca do Putin, a mídia histérica acredita que os EUA são capazes de monitorar, guardar e principalmente utilizar todas as comunicações do país. “Analistas” estimaram que o Datacenter da NSA em Utah tinha capacidade de armazenar 1 yottabyte de dados, ou 1.000⁸ bytes.

Em termos de custo só em discos isso equivale a US$ 100 trilhões. O PIB dos EUA do mundo em 2012 foi de US$ 62,7 trilhões.

A última novidade entretanto, que está sendo espalhada inclusive pela mídia especializada é que as agências de espionagem seriam capazes de acionar remotamente o microfone de seu Android, utilizando-o como uma escuta ilegal.

Terrível, incrível violação de segurança, etc, etc, morte ao Google, certo?

Menos. Primeiro de tudo a informação toda vem de “ex-agentes federais anônimos”, não exatamente a fonte mais confiável. Segundo, lendo o texto original do Wall Street Journal, fica claro que as agências utilizam os velhos truques de sempre, como bugs 0 Day, cavalos de tróia, vírus e Fotos_Da_Sandy_Pelada.exe.

Temos aqui um caso clássico de FUD – Medo, Incerteza, Dúvida, Que me desculpem os “agentes anônimos”, mas não acredito que o Android tenha um backdoor desse nível. A própria essência do Open Source impede que algo assim seja inserido no sistema. A não ser que todos os programadores envolvidos façam parte da Conspiração.

Portanto, fica a dica: governos são malvados e implacáveis, mas a realidade cotidiana deles lida muito mais com isto:

apollo-13

do que tem a ver com isto:

avengers1w

Fonte: SG.



29 Jul 12:51

Google Fiber ou Google Telecom?

by Rômulo de Araújo Mendes

 

GOOGLE FIBER LOGO Google Fiber ou Google Telecom?

Que a Google está fazendo uma rede de fibras óticas com velocidade de 1 GB não é segredo para ninguém. Ela já chegou aos lares de Kansas City, nos Estados de Kansas e Missouri. Está sendo feita em outras cidades destes Estados e também nos Estados do Texas e Utha.

Os compradores pagam USD$ 120,00 por mês e recebem, além do serviço de Internet, fornecimento de serviços de TV a cabo, DVR, 1 TB de espaço de armazenamento no Google Drive, WiFi e um tablet Nexus 7. Isto corresponde a cerca de R$ 270,00 por mês.

Definitivamente, este não é um serviço caro.

O que se pergunta é se este serviço será levado a todo o território dos Estados Unidos e que o que está por trás de um investimento nesta área.

No que tange à extensão da rede de fibra a todo o território americano, é importante lembrar que há uma grande concorrência na área de prestação de serviços de TV a cabo nos Estados Unidos, o que, se tomado como único motivo, não justificaria um investimento estimado em USD$ 11 bilhões, diluído em um período de 5 (cinco) anos, ou seja, USD$ 2,2 bilhões, por ano. É, sem sombra de dúvidas, um investimento muito elevado.

Mas a Google teria capacidade para fazer este investimento? Ele poderia vir a ser lucrativo para ela?

São questões que devem ser analisadas.

Para responder a estas perguntas, precisaremos retornar um questionamento anterior ainda não respondido. Afinal, o que está por trás desta rede?

Primeiramente, é importante lembrar que a Google consome 25% da rede de Internet dos Estados Unidos, o que corresponde ao tráfego combinado do Facebook, da Netflix e do Instagran. Isto deve custar muito caro à gigante das buscas, porque grande parte deste serviço é adquirido das empresas de telefonia e de TV a cabo. Não me pareceria ilógico acreditar que a empresa gaste cerca de USD$ 500 milhões por mês, ou USD$ 1,5 bilhão por trimestre, para cobrir estes custos, que são pagos a terceiros, muitas vezes concorrentes.

Devemos considerar que o tráfego de Internet vai crescer muito nos próximos anos, com a popularização da transmissão por meio de celulares de fotos, filmes, aplicativos e outros conteúdos. Todos eles, por si somente, consomem grande quantidade de banda. No entanto, devemos lembrar que a Internet está, aos poucos, absorvendo os serviços de TV. Exemplos disso são o Hulu e a Netflix. A própria Google fornece TV a cabo pelo Google Fiber e pretende fazer um serviço de TV pela Internet, para competir com as companhias tradicionais, além da Netflix.

Não fosse isso, novas tecnologias levarão ao aumento exponencial do consumo de banda, tais como os conteúdos em 3D, o Google Glass, os jogos pela Internet, a TV 4k, à qual  o Android já se aliou e, mais para frente, a Internet das coisas, a TV e a Internet holográficas, isto sem contar com a possibilidade de criação de novas formas de propaganda, via TV.

Tudo isso consumirá quantidades exorbitantes de banda larga.

Neste contexto, o melhor seria possuir a sua própria rede de fibras, de modo a suportar este tráfego e, no longo prazo reduzir a dependência da empresa do fornecimento de banda por parte de terceiros e também o custo destes serviços. Ao fazer isso, terá que fazer um investimento muito elevado, mas, por outro lado, dividirá com os próprios consumidores este custo, porque o amortizará ao longo dos anos, com a cobrança de novos serviços, que trafegarão pela rede.

Além disso, possuindo uma rede extensa, capilarizada e de grande potência, poderá a Google fornecer a terceiros o serviço de transmissão de dados, voz, imagem etc por meio desta rede, até mesmo para aquelas empresas, que hoje fornecem a elas.

Por final, poderá também usar esta rede, para criar sua própria empresa de telefonia móvel.

Tudo isso seria possível.

Mas, e o custo? Seria possível construir uma rede assim e obter lucro?

Primeiramente, vale dizer que, para uma empresa que possui USD$ 54 bilhões em caixa e que lucra mais de USD$ 1 bilhão por mês, pode sim fazer este investimento.

Considerando os serviços, que poderiam ser agregados, sem dúvida que este investimento de USD$ 11 bilhões, em 5 anos, poderia se tornar em mais um núcleo de negócios para a empresa com grande possibilidade de lucros.

Assim, estou convencido de que, se estendido este projeto para todo o território americano, ele não se tornará apenas numa rede de fibras óticas, mas em uma empresa de telecomunicações com grande poder de influência, até para fazer com que as concorrentes tradicionais forneçam produtos de melhor qualidade e a menor preço.

 



02 Jun 01:22

"Sorry"

It’s a common trope that Canadians are polite, but the quintessential Canadian experience is when you bump into somebody, it’s clearly your fault, and they apologize to you. It is part of a complex national identity that is sometimes self-deprecating, other times passive-aggressive, and cannot be reconciled with a single word. But in general, Canadians are a polite and apologetic people, and sorry (“SORE-ee”) is the sound of being in Canada.

Suggested by just about everybody.  

16 Apr 14:33

KLyDE: projeto de versão mais leve e modular do KDE

Expressões como "o KDE é pesado", "o KDE tem muitas firulas, perfumarias, etc", "o KDE tem opções confusas" são comuns entre diversos usuários. De fato o KDE oferece um ambiente bastante robusto, lotado de aplicativos nativos e muitas opções de personalizações. Mas elas não agradam a todos, claro...
08 Apr 12:50

Google pode comprar Whatsapp por US$ 1 bilhão

by Renê Fraga

whatsApp logo Google pode comprar Whatsapp por US$ 1 bilhão De acordo com o site Digital Trends, o Google estaria negociando a compra do popular aplicativo Whatsapp por US$ 1 bilhão.

“As discussões começaram há quatro ou cinco semanas, mas nos foi dito que WhatsApp está ‘jogando duro’ por um preço de aquisição superior, que estaria próximo de US$ 1 bilhão”, diz a publicação.

Rumores recentes afirmaram que o Google estaria trabalhando para encontrar uma forma de unir todos os seus produtos de comunicação instantânea.

Uma prévia do novo serviço, que tem o suposto codenome Babble (ou Babel), poderá ocorrer durante o Google I/O 2013, no próximo mês de maio.