Shared posts

20 Jul 15:49

Gaming Consoles of a Past Era [Comic]

by Geeks are Sexy
18 Jul 09:00

New high end server arrived

by sharhalakis

by zeigen, balu and yahiralejandro

12 Jul 23:00

The Most Adorable Things You’ll See Today: Felted Mario and Toad Dolls [Pics]

by Geeks are Sexy

toad

Check out these adorable felted dolls by artist Lauren Andrews. Aren’t they the most adorable things you’ve seen today? :)

mario

[Source: Lauren Andrews | Via Dorkly]

07 Jul 17:00

New D&D Edition Verbally Embraces Non-Binary Genders

by Lauren Berkley

In all the editions and rule books of Dungeons and Dragons, the RPG has never specifically said that players cannot create characters that are neither specifically male nor female…but the rules have never actually said you could, either.

Until now.

Last Thursday, Wizards of the Coast released a set of “basic rules” for the upcoming fifth edition that are free for downloading, “with the idea of putting this new version of D&D into ‘as many hands as possible,’” according to The Mary Sue

Chapter 4 is called “Personality and Background” and here is how the rules now read:

DnD 1DnD 2

The 5th edition Starter Kit will hit shelves July 15 and can be pre-ordered right now on Amazon.com.

[Dungeons & Dragons Starter Set: Fantasy Roleplaying Fundamentals (D&D Boxed Game)]

11 Jul 00:00

Timeghost

'Hello, Ghostbusters?' 'ooOOoooo people born years after that movie came out are having a second chiiiild right now ooOoooOoo'
09 Jul 00:00

Dominant Players

When Vera Menchik entered a 1929 tournament, a male competitor mocked her by suggesting that a special 'Vera Menchik Club' would be created for any player who lost to her. When the tournament began, he promptly became the first member of said club, and over the years it accumulated a large and illustrious roster.
03 Jul 20:00

A True Childhood Story [Comic]

by Geeks are Sexy

sleep1
sleep2
sleep3

[Source: The Odd 1s Out]

03 Jul 18:14

Words matter until the things they carry are no longer a part of...



Words matter until the things they carry are no longer a part of our culture

01 Jul 00:00

The Cycling Commuter's Daily Bag

by Thorin Klosowski

The Cycling Commuter's Daily Bag

Commuting on a bike is awesome, but you do get stuck stuffing everything you need for an entire day into a single bag. Linguist Laura Welcher shares how she does it with Cool Tools.

Read more...








27 Jun 00:00

Clumsy Foreshadowing

'... hosts were unexpectedly fired from ABC's 'The View' today. ABC will likely announce new ...'
25 Jun 00:00

People are Stupid

To everyone who responds to everything by saying they've 'lost their faith in humanity': Thanks--I'll let humanity know. I'm sure they'll be crushed.
26 Jun 11:00

The Last Of Icarus: Thomas Was Alone Free Expansion

by Adam Smith

When I last spoke to Mike Bithell, we were in the café at the National Media Museum in Bradford. He had just delivered a talk about his upcoming Virtual Robin Hood game, Volume, but we found time to discuss Thomas Was Alone as well. Bithell said – and I agree – “I thought I was writing a competent story with an amazing platform game. It turned out it was the other way around!” Presumably, the previously Playstation-only prequel episode, now available on Windows and Mac (Linux build soon), elevates plot over platforming. A cursory examination reveals a possible interpretation of the Icarus myth, with an AI in place of daddy Daedalus and a jetpack in place of waxy wings.

… [visit site to read more]

24 Jun 12:00

The True Purpose of Steam Sales

undefined

23 Jun 11:00

Copa do Mundo e objetificação dos jogadores

by Camilla de Magalhães Gomes

Texto de Camilla de Magalhães Gomes.

Sim, é verdade. Ao lado dos jogos da Copa do Mundo, outro esporte tem sido bastante praticado nas redes sociais pelas mulheres (e pelos gays também, claro): a objetificação dos jogadores.

Já perdi a conta de quantos perfis no Twitter, tumblrs, páginas de Facebook, links da grande mídia ou simplesmente a objetificação moleque de uma amiga mandando imagens para outra anda rolando desde que, inaugurando a festa, Hulk entrou em campo.

Matéria do Portal UOL que compara as medidas do bumbum do jogador brasileiro Hulk ao de outras mulheres famosas.

Matéria do Portal UOL que compara as medidas do bumbum do jogador brasileiro Hulk ao de outras mulheres famosas. Foto de Adriano Vizoni/Folhapress.

A “umidade” em Manaus no jogo entre Inglaterra e Itália, as camisas justinhas da Puma fazendo Diego Forlán e Didier Drogba ainda mais falados, além da tristeza em se despedir da beleza que é a seleção da Espanha (a seleção, porque o futebol…).

“Mas que diabos essas feministas que tanto brigam contra a objetificação dos corpos das mulheres acham que estão fazendo? Que incoerência! Quanta contradição e hipocrisia!”

Hum… não. Not really. Esse desejo e essa liberdade em poder gostar — e assim poder dizer — de corpos, rostos, cores, cabelos e o que quer que seja nos homens (e nas mulheres), as mulheres ganharam não tem muito tempo. A liberdade em ter e mostrar desejo,  mais ainda, a liberdade de viver qualquer que seja esse desejo, as mulheres só começaram a viver há algumas poucas décadas.

As mulheres não querem “virar o jogo”. Não vamos vender cerveja com a bunda do Hulk. Não vamos colocar o Xabi Alonso ao lado de um modelo novo de BMW na feira do automóvel. Não vamos criar editoriais de moda simulando um estupro contra o Ochoa. Não vamos fazer rodar as fotos dos jogadores da Croácia flagrados nus, acompanhadas de qualquer tipo de comentário sobre a vida sexual dos moços.

Ou alguém viu algum: “Vagabundo”, “Puto”, “Piranho”, “Tá pedindo”, nas fotos dos jogadores croatas nus? Ou naquela foto do torcedor inglês que ficou nu no estádio em Manaus? Não, ninguém viu. Nem vai ver porque nenhum desses xingamentos sequer faz sentido no masculino. Pois é.

Em cada notícia, mesmo nessas de “top não sei quantos dos mais lindos do futebol”, os nomes desses jogadores, sua função e o time para o qual jogam continuarão aparecendo. Eles não terão apenas a bunda fotografada e postada com dizeres como: “namorada de fulano”, “gostosa da copa”, “os bumbuns mais lindos da Copa”, ocultando nomes e rostos, nesse “jornalismo” açougue que anda por aí todos os dias. Basta clicar em qualquer portal ou site de notícias.

Uma observação, abandonei de vez o nome “jornalismo punheteiro”. Porque soa meio moralista a associação negativa que se faz da masturbação com esse tipo de atividade machista tão comum no jornalismo e, mais ainda, no jornalismo esportivo.

Tweet de @joaoluisjr.

Tweet de @joaoluisjr.

Não, não vamos passar a publicar fotos de Gerard Piqué com a legenda: “o namorado de Shakira” ao invés de seu nome, como costuma ser a regra ao se noticiar sobre qualquer mulher que tenha algum dia passado perto de um famoso, até mesmo quando o tema da notícia é algo relacionado a ela e nada tenha a ver com o famoso.

Não haverá — nem há a menor chance de que possa haver — uma inversão que coloque os homens nessa posição invisibilizada e objetificada a partir dessas falas que tem circulado por aí — e que não são nenhuma novidade. Nesse contexto de uma sociedade machista, sabemos que isso não acontecerá e que mesmo o peso desse “desejo” feminino publicizado é outro: é mais fácil que qualquer mulher que o faça seja criticada por ser “fácil”, “safada”, “vagabunda”, “é isso que mancha a imagem do Brasil lá fora”; do que ela venha a transformar o homem no objeto d(n)a história. É assim que o machismo joga um dos seus jogos mais famosos: a culpabilização da mulher.

Talvez seja, sim, incômodo que feministas usem da objetificação dos corpos masculinos. Não sei. Vez ou outra isso me incomoda também. Mas eu nem sei se, tirada a invisibilização, a despersonificação e o apagamento da identidade que vem associados com a objetificação das mulheres, podemos chamar isso que se tem feito por aí com os homens de objetificação.

E, vamos combinar, nem Milton Leite, narrador do canal Sportv, resistiu à barba de Xabi Alonso.

+ Sobre o assunto:

[+] A participação das mulheres na mídia brasileira na Copa. Por Carmen Rial.

[+] Copa do Mundo, torneio de homens? Por Marília Moschkovich no Outras Palavras.

[+] Lugar de mulher é na Copa. Por Cristina Charão no Impedimento.

[+] Musa não joga, não torce e não apita. Por Jarid Arraes na Fórum.

[+] A bunda de Hulk. Por Gabi Machado na Revista 21.

[+] A Copa e a culpa: o incômodo desejo feminino. Por Juliana Freitas.

23 Jun 00:00

Throwing Rocks

::PLOOOOSH:: Looks like you won't be making it to Vinland today, Leaf Erikson.
14 Jun 13:02

The Difference 30 Years Can Make [Pic]

by Geeks are Sexy

nes40

Did you know, the entire library of 822 original NES games can now fit on one single microSDXC card… 40 TIMES!

[Source: Reddit]

09 Jun 09:00

Testing my own code

by sharhalakis

by @sdolotom

16 Jun 02:00

Google Is Awarding People The Title Of Pokémon Master

by Luke Plunkett

Google Is Awarding People The Title Of Pokémon Master

Remember Google's Pokémon April Fools gag ? There was more than just map-searching behind it, because those who took part and captured every single one of the critters are now being rewarded for their efforts.

Read more...








06 Jun 16:30

Você decide o quanto vai pagar nesta cafeteria no RJ

by Mexido

Você decide o quanto vai pagar nesta cafeteria no RJ por Mexido de Ideias

Voce decide o quanto vai pagar nesta cafeteria no RJ1   Você decide o quanto vai pagar nesta cafeteria no RJJá imaginou uma cafeteria na qual é possível escolher o quanto vale cada bebida servida? Esse lugar existe – e fica mais perto do que você imagina. A ideia é do Curto Café, estabelecimento localizado no centro do Rio de Janeiro (RJ). Há quase um ano, o local oferece ao cliente a opção de escolher o valor a pagar pela xícara.

Funciona assim: A cafeteria possui um quadro negro onde são exibidos todos os gastos fixos da casa – como aluguel, custos de limpeza, equipamentos e internet wi-fi. A partir de valores mínimos (R$ 0,50 para espressos e R$ 1 para cappuccinos), que correspondem à matéria-prima, o cliente escolhe o quanto quer contribuir, se baseando também em sua satisfação ao sair do local.

O cliente ainda pode optar em preparar os cafés com as próprias mãos, contando com a ajuda de moedores, máquinas de espresso e outros métodos de preparo. Outra vantagem oferecida é a clássica “pendura”: Você pode pagar pela bebida outro dia, se não estiver com dinheiro no momento.

Voce decide o quanto vai pagar nesta cafeteria no RJ2   Você decide o quanto vai pagar nesta cafeteria no RJAo que parece, a atmosfera do local mostra que há confiança no cliente. Tanto que o caixa é feito a partir de dois recipientes de plástico, onde o próprio consumidor coloca o dinheiro e retira o troco, se necessário. Também é possível fazer depósitos online, que se transformam em créditos a serem usados durante o mês.

Tomara que a ideia dê certo e seja replicada em outras cidades do Brasil! Para mais informações, basta acessar a página do Curto Café no Facebook.

 

Por: Lucas Tavares

Fotos: Divulgação

Você decide o quanto vai pagar nesta cafeteria no RJ por Mexido de Ideias

05 Jun 13:49

Se tudo der certo…

by ProgramadorREAL

tirinha1226

04 Jun 00:00

Fish

[Astronomer peers into telescope] [Jaws theme begins playing]
03 Jun 17:00

Watch A Bedroom Transform Into A Badass Arcade

by Jason Schreier
Renato Cerqueira

MIMDÁÁÁÁÁÁÁ!!

Watch A Bedroom Transform Into A Badass Arcade

Kotaku reader and NYC-based marketing guy Chris Kooluris turned one of his bedrooms into an arcade, and the photos are just ridiculous.

Read more...








31 May 11:00

Tiny, Cute Kittehs Dressed as Fantasy and Sci-Fi Characters [PICS]

by Lauren Berkley

The Lord of the Rings, Star Wars, Doctor Who, and Game of Thrones all get the tiny, cute kitteh treatment.

Dany kitteh 1Dany kitteh 2DW kitteh 1DW kitteh 2

Gandalf kitteh 1Gandalf kitteh 2Jon Snow kitteh 1Jon Snow kitteh 2

leia kitten 1leia kitten 2

[via Dose]

01 Jun 11:02

Graduating World of Warcraft Style [Pic]

by Geeks are Sexy

wow-graduate

[Via FG]

02 Jun 04:00

June 02, 2014


02 Jun 09:01

Trying to make progress on Monday

by sharhalakis

by DT

02 Jun 19:07

Minha primeira vez

by Clara
Renato Cerqueira

Texto pesado e é mais um motivo pelo qual tem que ser lido.

Eu tinha 13 e era fã de Skid Row, Faith No More e Ramones. Pintava os cabelos de preto azulado, usava um piercing no nariz e era gamada num menino cujo apelido era Samurai. Ele era mais velho, tinha uns 16, e não era da minha escola.

Tinha uma festa e seria na casa do tio de um colega.

Me arrumei toda linda & roqueira com aquele meu cabelo até a cintura e minha camiseta dos Ramones e fui. Cheguei e procurei Samurai de cara. Ele nunca tinha me dado bola, mas eu sabia que tinha crescido naquele ano e que ele talvez me notasse. Eu tinha até peitos! Vai que, né?

A casa tinha uma piscina e um bar lá atrás.

E foi pra lá que eu fui. Era onde estavam os meninos mais velhos, né? O que eu ia querer com os pirralhos da escola?

E foi lá que eu tomei minha primeira dose de uísque. E a segunda, e a terceira e outras.

E foi lá que eu finalmente consegui beijar o objeto do meu desejo, depois de tanto tempo.

E foi lá, no banheirinho da casa dos fundos ao lado da piscina, que eu fui estuprada.

Não foi o Samurai.

Mas os moços que lá estavam acharam que ora, se essa menina está bêbada e praticamente desacordada depois de vomitar muito, é claro que vamos passar a mão. Vamos levar pro banheiro. Vamos abusar e enfiar garrafas nela, porque ela não devia ter dado esse mole de beber tanto perto dos meninos mais velhos. Quem mandou dar mole?

Ainda me largaram de cara na pia e eu fiquei com o olho direito roxo.

Eu não sabia que a culpa não era minha. Eu não sabia que eles deviam ser punidos. FIquei com raiva e culpa. Mas não fiquei com vergonha.

Segunda-feira, quando cheguei na escola, a história tinha se espalhado. E sabe qual era a história?

A Clara é uma vagabunda e deu pra três no banheiro da festa.

TODA a escola estava falando isso, com exceção de uma garota mais velha, que me disse que eu não deveria ficar triste. Mas eu não estava triste, eu estava era achando todo mundo muito babaca e morrendo de raiva. Como é que essas pessoas estavam falando isso? Como é que elas podiam afirmar o que tinha acontecido? Por que ninguém me perguntou nada? Ora, era a Clara, a maluquinha, a filha de artista, a que não se importava com a opinião dos outros, devia ser verdade.

Esse foi o momento em que eu vi que o mundo era escroto. Esse foi o dia que eu lembro nitidamente de olhar pra toda aquela gente falando de mim no intervalo e pensar: NINGUÉM SABE NADA.

Com 13 anos eu fui estuprada.

Eu só falei pros meus pais anos depois porque achei que eles também me culpariam. Achei que eles ficariam putos comigo e que eu não poderia mais sair. Achei um monte de coisas erradas. A coisa mais errada disso tudo foi achar que a culpa tinha sido minha. Que eu não deveria ter bebido. Que eu não deveria ter ficado no meio desses caras. Que eu “ter peitos” e querer ser notada e parecer mais velha era parte do problema.

Eu só soube que a culpa não era minha muitos, muitos anos depois. Depois dos 15, depois dos 20, depois até dos 30.

Não vou entrar nos detalhes das sequelas emocionais que esse evento me deixou. Não vou contar de alguns traumas que tenho até hoje por causa de uns caras que muito provavelmente não têm sequer noção do que fizeram. Pode até ser que eles tenham família e filhos hoje, pode ser  que lembrem disso como “uma menina bêbada que zoaram numa festa”, coisa de adolescente.

Isso aconteceu há 22 anos.

Nada mudou. Acho até que piorou. Se tivesse acontecido hoje, eles provavelmente teriam registrado e espalhado, como fizeram esses babacas em Pinhal, no mesmo Rio Grande do Sul onde nasci.

E o que esses babacas estão dizendo?

FotoFlexer_Photo
O ciclo sem fim de culpar a vítima. 74 pessoas curtiram isso.

Ela estava pedindo. Ela tinha bebido. Se ela foi para uma casa com uns caras é porque estava querendo.

Ainda não ensinaram os meninos a não estuprar. Ainda não ensinaram a eles que as mulheres não são corpos disponíveis. Ainda não ensinaram que quem cala não consente. Ainda não ensinaram que isso é crime.

Não, não são as meninas que têm que se cuidar porque “sabem como são os meninos” Não, isso não é instinto. Não, isso não é normal.

Isso é a nossa sociedade misógina punindo as mulheres desde cedo. “Tri de boa”, com outras meninas reproduzindo essa cultura nojenta de culpar a vítima, porque também não ensinaram a elas que pode acontecer a qualquer uma.

Isso tem que ter fim.

Contar a minha história depois de tanto tempo é romper com um silêncio que deveria ter sido rompido na época e que não deve persistir.

A culpa nunca, nunca, nunca, nunca, nunca é da vítima.

Toda a minha força e meu amor pra essa menina que foi estuprada por esses imbecis. Espero que ela esteja bem cuidada e tenha consciência de que a culpa não foi dela.

Não vai ficar tri de boa não, filhotes. Chega disso.

26 May 15:00

My Secret [Comic]

by Geeks are Sexy

tired

[Via CB | Reddit]

24 May 19:04

Ever Heard Morgan Freeman Talk After Sucking Helium? [Video]

by Geeks are Sexy

This clip comes from an episode of the fifth season of Science Channel’s Through the Wormhole, “a documentary series exploring the mysteries of of the universe,” and it is quite something.

[Source: Entertainment Weekly | Via]

23 May 00:00

Smartwatches

This is even better than my previous smartphone casemod: an old Western Electric Model 2500 desk phone handset complete with a frayed, torn-off cord dangling from it.