Shared posts

17 Dec 08:26

Inappropriate

by Doug

Inappropriate

Timmy Tofu is terrible at Christmas shopping.

17 Dec 03:23

Photo



15 Dec 20:40

Aécio diz que no governo PT até Xuxa ficou desempregada

by @sensacionalista

O candidato derrotado do PSDB Aécio Neves culpou o governo do PT pelo fim do contrato da apresentadora Xuxa com a TV Globo. “Quen defende o PT deve dizer agora para onde Xuxa vai. Para Cuba?”, perguntou ele.
Economistas afirmaram que o FGTS de Xuxa vai injetar milhões na economia e pode tirar o país da recessão. “depois de trinta anos de globo e com o salário dela será possível comprar um pequeno país africano e virar rainha de verdade”, disse um analista.

15 Dec 21:02

Após demissão, Xuxa enfrenta novamente o Baixo Astral

by Sensacionalista

Xuxa saiu da Globo e voltou a enfrentar o seu inimigo mais antigo: o Baixo Astral. A Record, inclusive, aproveitando este período depressivo da Rainha dos Baixinhos já pensa em produzir: Super Xuxa Contra o Baixo Astral 2, filme em que Xuxa contaria com a ajuda de um Juiz Super Poderoso interpretado por Sérgio Mallandro para enfrentar toda a deprê pós-Globo.

Edir Macedo se pronunciou sobre sua nova funcionária: Xuxa enfrenta esse período ruim, pois sempre foi aliada de Praga, aliada de Dengue, agora ela será aliada de Nosso Senhor Jesus Cristo e seu disco quando tocado ao contrário tocará trombetas de anjos e júbilos de alegria.

Por @Cacofonias

16 Dec 21:57

Kinder Ovo trará ações da Petrobras de brinde

by Sensacionalista

Que o Kinder Ovo custa caro e vem com surpresas vagabundas, todo mundo já sabe. Porém, dessa vez eles se superaram. Segundo a empresa, o Kinder Ovo trará como brinde uma ação da Petrobras. As Redes Sociais ficaram lotadas de protestos contra a marca, como: “Kinder Ovo só traz brinquedo que quebra #AçãoDaPetrobrasNão”

A equipe de marketing da empresa veio a público: “Nosso objetivo sempre foi o chocolate, trazer uma ação da Petrobras dentro mostra como nosso foco está no sabor e não do brinquedo. Além disso, as reclamações são apenas de petistas, pois os psdebistas estão se divertindo pra caramba com as ações da Petrobras em baixa.”

Por @Cacofonias

16 Dec 22:03

Pessoas que têm 3G no metrô sobem para o primeiro lugar no Ranking da Inveja

by @sensacionalista

Você está ali no metrô sem poder olhar seu whatsapp, seu Facebook, seu Twitter. De repente, olha pro lado e há uma pessoa fazendo isso tudo, rindo, digitando, se divertindo. O sentimento é de ódio. E você não está sozinho. O Ranking da Inveja, feito pelo Núcleo de Pesquisa da América Latina, o Instituto Nupal, mudou de configuração: agora, em primeiro lugar, estão essas raras pessoas que conseguem ter 3G no metrô.

“Esse item passou, inclusive, o campeão anterior, que era o de Pessoas que Comem pra Cacete e Não Engordam”, diz o coordenador da pesquisa, Joseph Jonas.

16 Dec 12:15

Sonhos

by Carlos Ruas

37

12 Dec 16:04

A nerdinha que salvou a Apollo 11

by Carlos Cardoso

ops

Quando a Águia, o módulo de pouso estava a menos de 3 minutos de seu pouso histórico na Lua, algo deu errado, muito errado.

O computador de navegação acionou um alarme reportando erro. Algumas ordens de magnitude menos poderoso do que a CPU do seu microondas, não havia muito espaço para nada que não fosse estritamente necessário, e um módulo estava comendo 20% de CPU, em uma situação onde o sistema já estaria rodando a 85% da capacidade.

Steve Bales, Oficial de Orientação e Jack Garman, Especialista de Computação do controle da missão rapidamente comandaram um reset do alarme, achando que poderia ser algo aleatório. Armstrong e Aldrin assim fizeram, mas logo depois outro alarme surgiu. 

O grupo do MIT que programou as rotinas de pouso havia decidido utilizar o Radar de Subida e Rendezvous para rastrear o Módulo de Comando/Serviço. Isso já era feito pelo Abort Radar System, mas seria uma segurança extra caso algo desse errado. Mandaram os patches, os procedimentos, mas como foi uma mudança muito em cima, desistiram. Mandaram uma outra atualização para o radar do Módulo de Comando não ser acionado, mas esqueceram de enviar a alteração nos procedimentos. O botão que deveria ficar em MANUAL foi deixado em AUTO.

Com isso durante a descida o software tentava repetidamente ler dados do radar e calcular a posição do módulo. Como os dados não batiam (pois o radar não estava ligado), ele repetia e repetia o cálculo, consumindo mais e mais processamento, sobrecarregando os registradores e gerando os alarmes.

Em um computador comum teríamos uma falha catastrófica. As outras tarefas perderiam prioridade, pois a rotina do radar não devolveria o comando à CPU. Sem poder controlar orientação, propulsão, consumo de combustível e outros fatores, a Águia ficaria sem controle. O computador, travado em um loop seria destruído, junto com os astronautas na inevitável colisão, mas isso não aconteceu.

Ao contrário de sistemas operacionais mais simples, como o Windows 3.11, o computador da Apollo usava conceitos robustos.  Don Eyles, um garoto de 22 anos havia escrito algo revolucionário, saído das entranhas do MIT: um software com fixed-priority pre-emptive scheduling, a chamada multitarefa preemptiva com prioridades pré-definidas.

No DOS, Windows 3.11 e outros a multitarefa era cooperativa. Um programa era executado E, de tempos em tempos atendendo a uma interrupção de software retomava o controle ao sistema operacional, assim ele podia cuidar de outras coisas. Programas mal-educados não respeitavam isso, nem programas bugados.

O software de Don Eyles, aliado ao hardware implementava uma multitarefa onde não só cada rotina tinha um tempo máximo alocado, como as rotinas prioritárias tinham… prioridade. Assim se a CPU não está fazendo nada e sua rotina de radar bugada come 80% de CPU, azar, mas se a minha rotina de controle de pouso precisar de ciclos de máquina, ela vai ter, não importa o quanto ela grite e nem se um astronauta colocou o botão do radar em modo AUTO, acionando a rotina. A do radar vai rodar, pra ceder CPU para a minha.

O computador trabalhou no talo, mas o que era importante para o pouso tinha prioridade e processamento alocado. A arquitetura mega-power-robusta de Don Eyles salvou o dia. Só que o mérito mesmo é dessa nerdinha aqui:

Margaret_Hamilton

O nome dela é Margaret Hamilton. Formada em matemática em 1958, trabalhava no MIT como desenvolvedora de software. Na época Ciência da Computação e Engenharia de Software não existiam como cadeiras isoladas, na verdade nem existia o termo engenharia de software. Eram tempos pioneiros e você aprendia fazendo. E Margaret fazia muito bem.

Essa moça, que ficaria perfeitamente à vontade em uma convenção de Star Trek, cresceu nos rankings do MIT. E enquanto Don Draper dava tapinhas na bunda de mulheres na Sterling Cooper, Margaret comandava como diretora da Divisão de Engenharia de Software do Laboratório Charles Draper, do MIT.

Contratados pela NASA para desenvolver os softwares da Apollo, a equipe colocou em prática um monte de conceitos criados por Margaret Hamilton. Alguns sites dizem que ela escreveu os programas da Apollo. Não, crianças, ela foi muito além, ela criou os conceitos e a metodologia, a arquitetura e a modelagem.

Margaret_in_action_1

Entre outros conceitos criados ou implementados de forma pioneira por ela:

  • Software assíncrono
  • Priority Schedulling
  • human-in-the-loop
  • end-to-end testing
  • System Oriented Objects
  • Linguagens de modelagem
  • Desenvolvimento distribuído
  • Detecção e correção de erros em RTOS
  • Metodologias de teste e certificação
  • Automated life cycle environments

·  
Fora o problema com o radar nenhum outro bug ocorreu durante as missões Apollo, graças aos requisitos de desenvolvimento e metodologias de teste criadas por Margaret. lembre-se, isso foi bem antes de UML e outros frufrus.

Só ser a Projetista-Chefe do software de vôo do projeto Apollo e do SkyLab já seria um prêmio e tanto, mas em 2003 a NASA tirou o escorpião do bolso e em um gesto inédito, outorgou a Maragaret Hamilton o NASA Exceptional Space Act Award for scientific and technical contributions, com direito a um agrado de US$ 37.200,00. Foi a primeira e única vez que a NASA deu um prêmio em dinheiro a alguém.

78596561_o

Margaret Hamilton publicou mais de 130 papers na área de ciência da computação, cunhou o termo Engenharia de Software. Trabalhou em 60 projetos e 6 programas principais na NASA.

Hoje, aos 76 anos essa velhinha porreta é CEO da Hamilton Technologies, onde desenvolve as metodologias de Universal Systems Language — nesta não se trabalha com orientação a objetos ou modelos, mas sistemas e a Development Before the Fact, cujo princípio é simples: “não conserte, faça certo da primeira vez”.

O legado de Margaret Hamilton é imenso, cada vez que a Microsoft faz um teste beta com gente do mundo inteiro está usando o conceito de human-in-the-loop criado por ela. Incontáveis bugs são encontrados quando gente testa o software, além dos testes automáticos. Simples? Hoje pode ser, em 1965 não era.

Tudo que você usa hoje e tem alguma complexidade em termos de software tem o dedo dela, mas você não verá Margaret Hamilton em documentários cheios de foguetes e astronautas corajosos. Ela nunca apareceu nos filmes antigos, sequer estava no Controle da Missão. Ainda bem, naquela época o prédio nem tinha banheiro feminino.

Ela é uma mulher que se destacou em um campo quase 100% dominado por homens, em uma época onde ter órgãos reprodutivos internos era garantia de que não seria levada a sério. Se a Apollo foi um pequeno passo para um homem, foi um passo gigantesco para as mulheres em computação.

Pois se para alguns é fácil zoar as mulheres que queimaram sutiã, é muito mais complicado zoar uma que queimou um escudo ablativo de calor a 40 mil km/h reentrando na atmosfera terrestre, por pura expertise de seu software.

Leia também:

The post A nerdinha que salvou a Apollo 11 appeared first on Meio Bit.








16 Dec 08:12

Ho Ho Ho

by Doug

Ho Ho Ho

Here’s more Santa Claus.

01 Nov 09:06

Fright Week: Fear of Mirrors

by The Neurocritic


When I was a kid, I watched this scary TV show called One Step Beyond. It was kind of like The Twilight Zone, except the stories were more haunting and supernatural.

An especially frightening episode was called The Clown. Everyone loves the circus. Everyone loves a clown.1





John Newland, the show's narrator: "Laughter is an international language, and the clown, the prince of laughter."

"Look, a clown!"

A jealous husband behaves in a physically and verbally abusive fashion towards his young wife any time she's near another man. Why, he's even jealous of Pippo the Clown, a simple and silent entertainer who brings balloons and joy to the diner patrons.

Mr. Abusive sees the clown touching his wife's blond hair and freaks out. He grabs Pippo's scissors and cuts off a chunk of her hair. The wife screams and runs away into the carnival campgrounds, which is conveniently nearby. Pippo acts in a menacing fashion and scares the husband away.

The wife wanders around the carnival grounds and into the clown's tent, where she cries into a wig. Pippo returns and tries to fix her hair and cheer her up. She eventually starts laughing and hugs the clown.

Then the obnoxious lout hears laughter and enters the trailer, finding his wife with the clown. "You dirty cheap one, I've had it..." He grabs her and slaps her and throws her down to the ground.

Pippo gets defensive and angry and starts choking the husband, who grabs those handy scissors and stabs........ HIS WIFE! Killing her!

Pippo picks her up, husband drops the scissors and slips away, and guess who becomes the leading murder suspect. The simple clown, who keeps trying to revive the dead girl by making her laugh.

The Strong Man: "Help, help, somebody help, the clown's killed a dame!" [it's 1960]

The husband wanders around in a daze, stopping in front of a pawn shop with a mirror in the window.




Mr. Killer glances away from the mirror for a moment and guess who appears, trying to strangle him.




He whips around to see the clown and.... there's no one there!!




This happens a few more times, where the clown appears in the mirror, the guy turns around and there's nobody there...




Now this was very scary and horrifying when I was a small child. I was afraid to look at a mirror for weeks. The thought of seeing Pippo the Clown standing behind me, strangling me, was terrifying. For a brief period I had Spectrophobia (also known as Catoptrophobia), a fear of mirrors:
Generally, an individual that deals with Spectrophobia has been traumatized in an event where they believe they have seen or heard apparitions or ghosts. The individual could also become traumatized by horror films, television shows, or by nightmares. This fear could be the result of a trauma involving mirrors. It could also be the result of the person’s superstitious fear of being watched through the mirror.

"Traumatized" is a bit excessive... I got over it. Watching the episode today, I see how campy and cheesy it is, with its soundtrack of "vampy" music as a stand-in for the wife's sex appeal. Her aura of youthful innocence was over the top, and the husband comes off as a creepy pedophile.2







And fortunately, I never developed a fear of clowns...




But I have to say, I didn't make it through the OCULUS Trailer, not on Halloween night. And I think I'll have to try the ‘strange-face in the mirror' illusion another night.


I hope you enjoyed Fright Week. Check out the other spooky posts:

The Stranger in the Mirror

The Waking Nightmare of Lord Voldemort


Footnotes

1 Everyone knows about coulrophobia, the very common fear of clowns.

2 The Flaming Nose TV Blog informs us that the actors playing the husband and wife were 40 and 18 years old, respectively. No wonder he comes off as an abusive pedophile... The strangling clown gif is also from the Flaming Nose.
13 Dec 17:11

MINI: Modelo clássico importado ilegalmente é destruído nos EUA

by Ricardo de Oliveira

mini destruido 700x380 MINI: Modelo clássico importado ilegalmente é destruído nos EUA

Os entusiastas americanos de carros estrangeiros não conseguiram derrubar a lei que impede a entrada no país de automóveis com menos de 25 anos de uso. A proposta era de que o limite fosse reduzido para 15 anos.

Ainda assim, muita gente nos EUA quer ter um carro estrangeiro com idade inferior ao limite e faz de tudo para ver seu desejo realizado. No caso dessa matéria, o importador ilegal usou a aparência clássica de um MINI Cooper para burlar a lei.

O MINI importado ilegalmente do Reino Unido tinha documentos que alegavam que o veículo era ano/modelo 1988, o que o deixaria livre do limite de 25 anos. No entanto, os agentes descobriram que o carro em realidade é um dos últimos exemplares do clássico inglês, produzido bem próximo do ano 2000. Diante disso, a regra é destruir o veículo importado ilegalmente.

As autoridades – que trabalham junto ao governo britânico para coibir a exportação de carros que ferem as normas americanas – decidiram expor a destruição do MINI Cooper como forma de alertar possíveis interessados em driblar a fiscalização. Sem dó, um guindaste com uma garra arruinou completamente o pequeno inglês. Para quem é fã de MINI, as imagens abaixo são bem fortes…

A noticia MINI: Modelo clássico importado ilegalmente é destruído nos EUA foi publicada no site Notícias Automotivas - Carros.








30 Dec 06:29

Random image from fukung.net: ace2259294a959fa59a66ceb6922f131.gif

15 Dec 22:17

Non-Gluten proteins identified as targets of immune response to wheat in celiac disease

Researchers at Columbia University Medical Center have found that, in addition to gluten, the immune systems of patients with celiac disease react to specific types of non-gluten protein in wheat. The results were reported online in the Journal of Proteome Research.
15 Dec 13:29

AEP : Dutch marriage proposal wrecks house

The marriage proposal went dramatically wrong, but the woman in question did at least say yes

A Dutchman's plan to propose to his girlfriend has ended with a mobile crane smashing the roof of a house and forcing the evacuation of two others.

The man had wanted to surprise his partner by descending in front of her bedroom in the town of IJsselstein to sing her a song and pop the question.

But the unsecured crane he used instead toppled into a neighbour's house.

The woman still said yes, Dutch media report, and the couple are now said to be celebrating in Paris.

Following the initial impact, more damage was done when the crane fell again during an attempt to right it.

Residents in nearby properties were evacuated but no one was injured.

A crane which fell into the roof of a house in the Netherlands
The crane was not secured to the ground, and eventually it toppled over
A crane which fell into the roof of a house in the Netherlands
No one was hurt in the accident
15 Dec 08:01

Qualified

by Doug

Qualified

More Christmas and more marketing.

And hey, Where Monsters Dwell has posted their interview with me from last week. Check it out!

15 Dec 11:45

AEP : Conheça o luxuoso trem Belo Horizonte-Vitória

Notícias

Conheça o luxuoso trem Belo Horizonte-Vitória

Os carros da classe executiva ganharam mais espaço. Antes com quatro poltronas por fileira, os carros passaram a ter somente três, com direito a som e iluminação individual.


NOVO TREM DA VALE

Começou a circular desde o dia 5 de agosto agosto deste ano, os novos trens que fazema ligação de Belo Horizonte a Vitória. Os novos trens foram fabricados na Romênia e embarcaram no porto de Vitória no final de 2013. Com mais conforto e segurança, não houve alterações no preço da passagem. Foram, ao todo, 56 novos carros, sendo dez executivos (R$ 91) e 30 econômicos (R$ 58).

Os carros da classe executiva ganharam mais espaço. Antes com quatro poltronas por fileira, os carros passaram a ter somente três, com direito a som e iluminação individual. O ar condicionado passa a atender toda a locomotiva (o que impede a abertura das janelas), que também oferecerá pontos de energia elétrica acessíveis aos passageiros em toda a sua extensão. O investimento foi de cerca de U$ 80 milhões.

A Vale, responsável pela ferrovia, ainda estuda o destino para os trens antigos. Segundo Paulo Curto, gerente de operações do trem de passageiros da Estrada de Ferro Vitória a Minas, eles poderão ser enviados para atender às atividades de mineração no continente africano.

VÍDEO: Novo trem de passageiros da vale

VÍDEO: Trem de passageiros da Vale

A VIAGEM

A viagem de Vitória até Belo Horizonte dura cerca de 12 horas. São 664 quilômetros com 30 pontos de embarque e desembarque de Belo Horizonte até a capital capixaba. Já, de Ipatinga até a estação Pedro Nolasco, em Vitória (ES), a viagem dura aproximadamente seis horas. Quem for viajar no vagão de luxo de Ipatinga até Belo Horizonte vai pagar R$ 28 na classe econômica e R$ 49 na executiva.

De Ipatinga para Vitória os valores são R$ 40 e R$ 72, respectivamente. Os preços estão na página de venda de passagens da Vale.

A empresa que opera a Estrada de Ferro Vitória a Minas informou que investiu US$ 80,2 milhões para renovar a frota. Os vagões comprados na Romênia obedecem a padrões europeus de qualidade. Serão 56 novos vagões, dos quais 10 são executivos e 30 da classe econômica. Além dos vagões-restaurante, lanchonete, gerador e cadeirante, com acesso especial para pessoas com dificuldade de locomoção.

Os vagões terão, ainda, ar condicionado, monitores de vídeo para oferecer uma opção de entretenimento aos passageiros durante a viagem. O recurso é o mesmo usado pelas companhias aéreas. Outro diferencial são as poltronas, mais largas, e com inclinação maior que as da classe econômica.

CLIQUE AQUI Para saber mais sobre o novo trem da Vale:


SOBRE A ESTRADA DE FERRO VITÓRIA A MINAS:

- 664 km de percurso completo
- 30 pontos de embarque e desembarque
- 42 municípios atendidos
- 1 milhão de passageiros transportados por ano (média histórica)

Fonte: O Tempo e Vale

VÍDEO: Bastidores - Trem Vitória-Minas

Copyright © 2012 Todos os Direitos Reservado - www.euamoipatinga.com.br
Eu Amo Ipatinga - E-mall : contato@euamoipatinga.com.br

15 Dec 11:43

Home of Cyanide and Happiness

by Dave McElfatrick
  •  0
  •  0

More from Explosm

Loading...

 

Sign in to post a comment

Loading...

Advertisement

Did you know by creating an account you can favorite comics and shorts, automatically bookmark the last one you saw, and more? Learn more about it here!

All content is Copyright © 2000–2014 of Explosm, LLC.

Log in or Register

Username or email address

Password

Remember me

Don't have an account? Join the cool kids here!
15 Dec 11:14

AEP : Aeroporto de Confins opera sem equipamento que facilita pousos durante mau tempo

O Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, voltou a operar sem um importante equipamento capaz de ajudar a evitar os atrasos em pousos e decolagens no terminal. Segundo pilotos consultados pela reportagem, um comunicado enviado a eles afirma que o item só deve voltar a operar em março. Por sua vez, a concessionária responsável pelo aeroporto diz que a reinstalação já está em andamento.O clima é chuvoso na Grande BH desde a sexta-feira. Neste domingo, o voo número 442 que saiu do Panamá precisou ser desviado para o Galeão, no Rio de Janeiro, porque o terminal estava fechado devido ao mau tempo. Conforme o último boletim da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), divulgado às 20h, dos 113 voos programados para este domingo, 42 atrasaram e 20 foram cancelados.

Um passageiro que estava no terminal neste domingo informou ao em.com.br ter ouvido de um funcionário de uma companhia aérea do local que, devido às obras de reforma do terminal, o equipamento chamado ILS foi retirado. Segundo a fonte, a situação provocou um verdadeiro caos no aeroporto.

ILS é a sigla em inglês para instrument landing system. O aparelho dá a orientação precisa ao piloto durante o pouso quando as condições do clima prejudicam a visibilidade, como em situações de névoa, chuva, neve, entre outros. Em algumas dessas situações, os pilotos são obrigados a se deslocar para os aeroportos mais próximos, o que muda o planejamento das viagens. O terminal de Confins conta com apenas um equipamento, instalado em uma de suas cabeceiras.

Pelo menos seis pilotos relataram à reportagem o desligamento do ILS. Eles disseram ainda ter recebido uma notificação informando que o aparelho deve ficar desligado de 8 de dezembro até 4 de março de 2015.

Em 2010, os problemas com o ILS do Aeroporto de Confins foram assunto de reportagens do Estado de Minas. Na época, pilotos falavam da importância do equipamento e cobravam a instalação de um segundo ILS ou a aquisição de um equipamento mais moderno. Em novembro daquele ano, o aeroporto registrou uma série de atrasos e cancelamentos enquanto o aparelho passava por uma manutenção.

Por meio de nota, a BH Airport, concessionária responsável pelo Aeroporto de Confins confirmou que o ILS não está em operação em função das obras realizadas pela Infraero e que os trabalhos para reinstalação já estão em andamento. Sobre o prazo comunicado aos pilotos, a empresa confirma a data, mas alega que está tomando todas as medidas para que ele volte a funcionar o mais rápido possível. Enquanto isso, outros equipamentos ativos garantem a segurança de pousos e decolagens. 

Leia na íntegra a nota da concessionária:

O aeroporto alternou momentos de baixa visibilidade neste domingo, especialmente no período da manhã,  que impactou algumas operações, ajustadas durante o dia pelas companhias aéreas.
 
O ILS (Instrument Landing System) – sistema de pouso por instrumento – é um dos equipamentos de auxílio à aeronavegação. Ele é utilizado em situações de baixa visibilidade. Outros equipamentos que compõem o sistema estão ativos e garantem a segurança de pousos e decolagens.
 
O ILS está desativado devido a obras de ampliação da pista de pousos e decolagens, conforme programação feita junto às companhias aéreas e à comunidade aeronáutica via NOTAM (Notice to Airmen).
 
As obras, sob controle da Infraero, exigiram a realocação do aparelho.  Os trabalhos de reinstalação já tiveram início e estão a cargo também do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea).
 
A BH Airport acompanha os trabalhos junto à Infraero para que o ILS retorne a operar o mais rapidamente possível.

13 Dec 00:05

Call in the union!

14 Dec 00:05

Needle in a haystack

13 Dec 12:00

The Most Realistic PC Racing Simulation

racing,gifs,PC

Yeah.

Submitted by: a peasant

Tagged: racing , gifs , PC
13 Dec 18:00

Nature Works Against You

13 Dec 11:46

"Honey, have you seen Ginger since you mowed the lawn?" Book now...



"Honey, have you seen Ginger since you mowed the lawn?"

Book now available on Amazon

Follow on Twitter @BadRealtyPhotos

13 Dec 11:43

Mundo avesso – Mistérios

by Carlos Ruas

36

13 Dec 19:10

AEP : The YotaPhone 2 has two faces, zero gimmicks

Above all else, the YotaPhone 2 is cool. Within minutes of getting my hands on it, I was telling my colleagues about how I had just placed my first phone call where I dialed with the butt-side of the phone. Then I played a game of chess — rendered in a sharp and attractive monochrome — and I smiled at the ease of it all. I also set my own wallpaper for the electronic paper display and immediately sought someone to show it off to. The YotaPhone does everything you’d expect from a modern Android smartphone, but then goes beyond that with its thoughtfully designed and integrated e-paper functionality.

The chess I played on the rear screen is one of a number of bundled YotaApps — there’s also checkers, sudoku, and YotaRSS — that have been tailored to work specifically on the YotaPhone’s rear display. Company CEO Vlad Martynov announced Twitter integration during the phone’s launch event in London this week, so the app selection is growing, but the phone also comes with a YotaMirror mode that just puts the full Android experience on the back panel — meaning that any app can be a rear-screen app. The e-paper display is obviously much slower and this feels like a function to be used in battery emergencies only, but it’s still a neat addition for when you want to, for example, read an article in the browser without deploying the full-power display.

 The e-paper display is just a ton of fun

Being able to outsource basic phone tasks to the electronic-paper display feels almost like cheating. I can check notifications and place or receive calls without activating the front AMOLED screen, which, over the course of a full day, should help extend the 2,500mAh battery’s usefulness.

Yota’s software is surprisingly well thought out, though it’s quite unintuitive at first. It took me a few tries before I was comfortable with what every swipe would do and how long I would have to wait for a response from the e-paper screen. It's a capacitive touchscreen, but its responsiveness is that of a typical e-reader and it exhibits some ghosting: faint traces of images and text linger on for a while after the picture has been refreshed. I also notice a few slowdowns and moments of lag when using the regular display, which may be owing to the slightly older Snapdragon 800 chip inside or just imperfect optimization of the software. The good news is that the YotaPhone 2 runs a pretty much stock version of Android 4.4 and will be upgraded to Android 5.0 in the future.

Physically, the YotaPhone 2 is like a slightly smaller HTC One M8 made out of plastic. It has the same sort of all-around curvature that makes it a pleasure to handle, and its grippier material means it doesn’t slip out of the hand as easily as the M8. Yota has used a magnesium chassis inside the phone and reinforced its exterior shell with glass fiber. The result is a rigid, durable device that feels and looks good. The YotaPhone 2’s AMOLED display and general dimensions also remind me of the 2014 Moto X, another well-designed device. Having spent the past month using the utilitarian Nexus 5, I found the YotaPhone 2 luxurious by comparison — it’s much sleeker in appearance and more comfortable in use. The one downside to the YotaPhone 2’s industrial design is the placement of the side-mounted power and volume buttons (the latter of which cleverly disguise the nano-SIM slot), which have little travel to them and feel unpleasantly spongy.

The YotaPhone 2 is expensive, but unique

Like all devices that try to do more than one thing, the YotaPhone 2 has its issues, but unlike the vast majority, those compromises are not enough to quell my enthusiasm. There’s something legitimately new here, and it’s done well enough to make me want to use it regularly. Android phones from smaller companies always give rise to concerns about software updates and future support — it’s not easy being a global distributor dealing with tens if not hundreds of network operators — but the YotaPhone 2 sticks to a stock Android experience that should simplify things and also comes preloaded with the Google Play Store and the full suite of Google services.

The one shortcoming that the YotaPhone 2 will struggle to overcome, though, is its affordability compared to its competitors. Its UK price of £555 is nearly £200 more than it would cost me to buy a Nexus 5 and an Amazon Kindle. In fact, it’s more expensive than an Xperia Z3 plus a Kindle or an Xperia Z3 Compact — the top phone that I’d currently recommend — together with the illuminated Kindle Paperwhite. And yet, none of those combinations give me both the phone and the e-reader in one curvy package that slides easily into my pocket. The YotaPhone 2 is expensive, but it’s also unique.

Hint: Use the 's' and 'd' keys to navigate

12 Dec 13:30

Hemingwrite, a máquina de escrever hipster com tela e-ink

by Ronaldo Gogoni

hemingwrite-001

Eu tenho uma máquina de escrever em casa. Meu pai me deu uma Olivetti College quando eu tinha uns 11 anos, na esperança de que eu pudesse aprender a datilografar por conta própria. Numa época em que cursos de informática já estavam suplantando as escolinhas de datilografia, desnecessário dizer que em poucos anos ela foi encostada, porém eu a guardo muito bem e está praticamente impecável.

Embora máquinas de escrever tenham lá seu charme, elas pertencem a um tempo que passou, não possuem mais lugar no mundo de hoje. Claro, a não ser para os hipsters que acham um PC muito mainstream, mas mesmo eles reconhecem que depender de papel e Liquid Paper é um saco. E talvez para eles a Hemingwrite seja uma opção interessante, embora eu continue de nariz torcido.

Adam Leeb e Patrick Paul desenvolveram um gadget no mínimo curioso: uma máquina de escrever com teclado mecânico e uma tela e-ink, o que a startup clama ser “a ferramenta ideal para evitar distrações quando se está escrevendo”. Os componentes são ditos como os melhores possíveis a fim de proporcionar ao escritor uma experiência agradável ao redigir seus textos, e tão somente isso que ele poderá fazer.

A Hemingwrite pode ser carregada via USB e os arquivos podem ou ser baixados para o computador, ou automaticamente sincronizados com a nuvem (Dropbox, Google Drive, Evernote). A máquina permite editar três textos simultaneamente e sempre voltará para o ponto onde você parou.

Se você acha que é uma boa, US$ 399 garantem uma Hemingwrite para você, cuja previsão de lançamento é para setembro de 2015. Eu particularmente não acho uma boa ideia, se eu já tenho uma ferramenta onde eu posso fazer tudo ao mesmo tempo agora, por que eu daria um passo atrás com uma máquina escrever cujo diferencial é trocar o papel por e-ink?

Fonte: KS.

The post Hemingwrite, a máquina de escrever hipster com tela e-ink appeared first on Meio Bit.








13 Dec 01:45

Former iTunes Engineer Claims Apple Aimed to Block '100% of Non-iTunes Clients'

by Husain Sumra
itunesiconAs a part of the ongoing class action iPod lawsuit Apple is facing in court this week, former iTunes engineer Rod Schultz testified that he worked on a project that aimed to block non-iTunes clients and shut out third-party music providers competing with the iPod, reports The Wall Street Journal.
A former iTunes engineer testified in a federal antitrust case against Apple Friday that he worked on a project "intended to block 100% of non-iTunes clients" and "keep out third-party players" that competed with Apple’s iPod.
Subpoenaed by the plaintiffs to prove that Apple's moves to block outside music from playing on the iPod drove up prices, Schultz told the court that his project was codenamed "Candy" and that he didn't really want to talk about his work on iTunes from 2006 to 2007.

Schultz went on to reiterate Apple's argument in the case, suggesting the security measures introduced in iTunes reflected the digital music landscape at the time. Record companies, Apple says, demanded DRM and forced Apple to keep the iPod secure.

Both Schultz and Apple also argued Apple's DRM efforts were designed to protect its systems and user experiences, which could have been compromised by being opened up to third-party music players and file formats. Schultz did, however, say that this also led to iPod's market dominance.

Schultz was the final witness in the case, and Judge Yvonne Gonzalez Rogers said she plans on sending the case to the jury for deliberations next week. The plaintiffs are requesting $350 million in damages, which could triple under antitrust laws.






13 Dec 07:31

I have no self-control. #9gag



I have no self-control. #9gag

13 Dec 00:49

AEP: Suffragette City: Propaganda posters reveal the horrors of women’s rights!

Suffragette City: Propaganda posters reveal the horrors of women’s rights!

title


A lotta guys would pay good money for that.
 
The panic surrounding women’s suffrage managed to exacerbate masculine anxieties to such a perverse degree that you have to wonder just how terrified of women men actually were. They seemed to believe that all it took to upset the apple cart was access to bourgeois politics, then, we’d wreak havoc! Soon enough, reactionaries predicted, womenkind would be enslaving their husbands, abandoning their children and domestic duties, assaulting men on the street, invading political institutions and… wearing pants! Clearly, this made for amazing propaganda.

More insidious than the fear of masculine ladies and feminized men is a single depiction of a huger-striking suffragette being force-fed. There is a gleeful look in the eyes of the posh man pouring soup down her throat, and a menacing one in the eyes of the cop holding down her legs. Force-feeding is a torture that was administered to suffragettes like Alice Paul, much to the glee of misogynistic sadists. One would hope that such a barbaric practice would be abandoned by now—especially considering how ineffective torture actually is—but it appears the US remains reluctant to give up on the tradition.
 

 

Detail from above image.
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
Via Messy Nessy Chic

Posted by Amber Frost
11 Dec 15:49

Applying behavioral economics to development professionals

by Tyler Cowen

Timothy Taylor has a superb blog post on that topic, here is one choice passage out of many:

A final example looks at mental models that development experts have of the poor. What do development experts think that the poor believe, and how does it compare to what the poor actually believe? For example, development experts were asked if they thought individuals in low-income countries would agree with the statement: “What happens to me in the future mostly depends on me.”  The development experts thought that maybe 20% of the poorest third would agree with this statement, but about 80% actually did. In fact, the share of those agreeing with the statement in the bottom third of the income distribution was much the same as for the upper two-thirds–and higher than the answer the development experts gave for themselves!

Do read the whole thing, which offers many points of interest.  By the way, here is a good blog post on a first visit to Haiti.