Shared posts

18 Jul 00:59

superneutrality: niggers: is it really that hard to put...

Dmamaral85

SCHRODINGERS BUTTER

















superneutrality:

niggers:

is it really that hard to put “margarine”

SCHRODINGERS BUTTER THOUGH…

18 Jul 00:55

Photo













17 Jul 18:27

Photo



11 Jul 22:30

literallyunbelievable: FORREAL?!

09 Jul 17:50

velotone: Classic tour de france images



















velotone:

Classic tour de france images

06 Jul 14:58

Photo









28 Jun 12:46

nevver: George Costanza: I lie every second of the day. My...









nevver:

George Costanza: I lie every second of the day. My whole life is a sham.
[more behind the Seinfeld scenes]

27 Jun 13:14

Með kveðju Kveðja, Ísland: Eyja-fjalla-jökull

Með kveðju Kveðja, Ísland: Eyja-fjalla-jökull:

everysinglewordinicelandic:

image

This is a famous word that many people have heard with their ears. Some of them have even tried to say it with their mouths, even though they do not understand what it means.

But don’t worry, I will explain it now so this does not happen to you.

22 Jun 13:51

Photo



21 Jun 18:05

NÃO ACREDITO EM GOLPE

by lola aronovich
Pero que los hay, los hay. Só acho que não temos clima pra um golpe agora. Mas, como tem muita gente mencionando esta palavra maldita e totalmente inconveniente, vou falar um pouquinho disso.
Primeiro, um breve resumo dos protestos todos que tomaram o Brasil desde 6 de junho. Sem sombra de dúvida, no começo era um movimento 100% de esquerda. O MPL (Movimento Passe Livre) é uma organização de esquerda. E sinto muito se você não acredita mais em esquerda e direita. Eu não só acredito como afirmo que nunca ouvi alguém que não fosse de direita dizer que direita e esquerda não existem mais. Tá, vou dar uma chance: alienado também diz isso. Se esquerda e direita não existem mais, por que é tão fácil decifrar a ideologia política de uma pessoa em poucas pautas? (Faça o teste; é da Veja).
Então. Os protestos foram crescendo, a mídia tradicional toda contra, sabendo que as reivindicações eram de esquerda, os de sempre chamando os manifestantes de baderneiros vagabundos atrapalhadores de trânsito. Até que chegou o fatídico dia 13, que foi uma quinta-feira de suprema violência policial em SP. As imagens dessa brutalidade ganharam as redes social e revoltaram muita, muita gente. 
Se não fosse a violência policial do dia 13, os protestos teriam dado uma esfriada. É até possível que os governos de várias cidades recuassem no aumento das tarifas de transporte, mas uma coisa é certa, pelo menos pra mim: as manifestações não cresceriam. A PM paulista deu a muitas pessoas jovens o desejo de lutar contra um sistema opressor, que lança gás lacrimogêneo e balas de borracha em manifestantes que simplesmente estão protestando, o que é um direito democrático. Por mais que eu reclame do conservadorismo e cinismo de tantos jovens, vive neles um espírito idealista. A vontade de fazer a diferença, de melhorar o mundo, é grande.
O que eu ainda não sei explicar é a mudança de posicionamento da grande mídia em relação aos protestos. Não compro muito a ideia de que, observando seus repórteres e fotógrafos sendo atacados pela polícia, os jornais e emissoras foram tomados pela pena. Desculpe se não creio que os jornais e emissoras ligam tanto assim pros seus funcionários, esses mesmos que vem sendo demitidos às pencas. Não. Acho que a mídia percebeu que as manifestações poderiam ficar mais abrangentes -- leia-se menos de esquerda --, e decidiram pular no vagão. 
Só lembrando de que mídia eu tô falando: desta que demoniza o Movimento dos Sem Terra e praticamente qualquer outro movimento popular. Esta que minimiza a tortura a presos políticos na ditadura militar, chamando nossos anos de chumbo de "ditabranda". Aliás, é a mesma mídia que apoiou a Marcha da Família por Deus pela Liberdade. Eis parte do editorial da Folha louvando a Marcha em 20 de março de 64: 
"O povo mesmo, não um ajuntamento suspeito e longamente preparado, reuniu-se ontem, espontaneamente, nas ruas desta cidade [SP], para exprimir seu sentimento e sua vontade. Foi uma dura lição para aqueles que necessitam de demorada propaganda, manipulação de cúpulas e tremendos dispositivos de força para concentrar massas humanas. E não se diga que a 'Marcha da Família' reuniu defensores de 'estruturas arcaicas'. Ao contrário, os manifestantes de ontem reconhecem a necessidade de reformas, mas sabem que elas podem e devem ser feitas dentro da ordem e da lei”.
Naquela mesma ocasião, o Estadão aplaudiu o meio milhão de paulistas e paulistanos que manifestaram, "no nome de Deus e em prol da liberdade, seu repúdio ao comunismo e à ditadura e seu apego à lei e à democracia". 
Um dia depois do golpe militar, a Folha deu vivas ao novo presidente, o marechal Castelo Branco, como "o presidente de todos". Já o Estadão respirou aliviado que não houve nenhuma resistência à "revolução": "Democratas dominam toda a nação". E o editorial do Globo começava assim
"Vive a Nação dias gloriosos. Por que souberam unir-se todos os patriotas, independentemente de vinculações políticas, simpatias ou opinião sobre problemas isolados, para salvar o que é essencial: a democracia, a lei e a ordem. Graças à decisão e ao heroísmo das Forças Armadas, que obedientes a seus chefes demonstraram a falta de visão dos que tentavam destruir a hierarquia e a disciplina, o Brasil livrou-se do Governo irresponsável, que insistia em arrastá-lo para rumos contrários à sua vocação e tradições."
Agora talvez você entenda o meu desconforto quando essa gente muda de lado, e diz estar do mesmo lado que eu, defendendo os protestos? Ué, essa gente nunca teve apreço pela democracia. Não é que a grande mídia brasileira tenha mudado de 64 pra cá. Ela apoiou o golpe militar contra Chavez em 2002 e, mais recentemente, aquele de Honduras, em 2009. E ainda que não tivesse apoiado ditadores -- você realmente acha que os Marinhos, os Frias, os Mesquitas, os Civitas, têm os mesmos interesses que a gente?
Porém, se nossa mídia não mudou de 64 pra cá, nosso país definitivamente não é o mesmo. Ainda bem. Deixamos de ser um país rural com média de cinco filhos por mulher pra virar um país urbano com média de menos de dois filhos por mulher (e tudo isso tem seus prós e contras). Deixamos de ser um gigante sem importância pra sermos um país querido e respeitado em todo o mundo. Sei que os brasileiros do "aqui nada presta" não acreditam nisso, mas não é à toa que todos os olhos estão voltados pra cá. E a gente nem precisaria sediar a Copa pra atrair essa atenção.
Uma das coisas que mudaram depois do último dia 13 de junho foi que parte dessa galera do "o Brasil é uma porcaria" descobriu uma paixão adormecida pelo próprio país. Sabe aquilo que ativistas (feministas, LGBT, movimentos negros) fazem faz tempo, que é sair às ruas pra protestar, acreditando que um outro mundo é possível? Pois é, outras pessoas -- muitas das quais até pouco nos ridicularizavam por lutar pelo que pra elas era uma besteira -- decidiram que o Brasil havia acordado e que agora sim valia a pena protestar. Virou moda.
Só que, enquanto as pessoas jovens que estavam nas ruas antes, com suas bandeiras e corações vermelhos, sabiam por que estavam lutando, as que chegaram tarde não tinham muita noção. E, desculpe, continuam não tendo. Pra começar, parte dessa gente nova decidiu que cantar o hino nacional, cantarolar "sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor", e se enrolar numa bandeira verde e amarela é o que há. Ao mesmo tempo, decretou que a única bandeira aceitável nas manifestações seria a nacional. Qualquer militante de esquerda que já saiu com uma bandeira vermelha durante as eleições já ouviu isso ("vermelho não faz parte da nossa bandeira!" etc).
Lógico que, nos protestos iniciais, não havia simpatizantes de partidos de direita, então não houve necessidade de remover, muitas vezes com violência, bandeiras do PSDB ou do DEM dos protestos. As bandeiras que passaram a ser proibidas foram mesmo as vermelhas. E junto veio um ódio enorme ao PT e aos outros partidos de esquerda que, aos olhos desses neonacionalistas, dão suporte ao governo federal (eles não sabem que a maior oposição ao PT hoje em dia vem do PSOL e PSTU). E uma das novas pautas passou a ser o "Fora Dilma". 
Aí virou senha pra todo o pessoal de extrema direita entrar em cena. Mas eles não chegam dizendo que são de direita, claro que não. Eles chegam dizendo que são contra todos os partidos, principalmente o seu aí, ô da bandeira vermelha. Quem mais tinha esse discurso de querer acabar com todos os partidos políticos? Hmmm... Ah é, os militares que tomaram o país em 64! Só que sem partidos políticos não há democracia. Aposto como os jovens reaças que invadiram as manifestações também fantasiam em fechar o Congresso.
Esses fascistas do "quanto pior melhor" estão agora nas nuvens, depredando tudo pelo caminho, espancando "petralhas" (ou gente do PCdoB, ou do PSTU, ou do PSOL, ou do PCO, que pra eles não faz diferença), usando seus lemas integralistas com orgulho, e sem ninguém pra atrapalhar. O protesto de ontem, pelo menos em SP e Brasília, foi todo deles. Tanto que o Movimento Passe Livre abandonou a manifestação. 
Já ontem de manhã a Marcha das Vadias DF me informou que manteve sua marcha para o próximo sábado às 14h, mas que recusou juntar-se à outra manifestação que acontecerá em Brasília no mesmo sábado, a Marcha do Vinagre. Não sei se este movimento tem carecas, skinheads e integralistas entre eles, mas eu é que não gostaria de marchar ao lado de um mascu. Nossos ideais são totalmente opostos. Este mascu, por exemplo, desfilou ontem na manifestação de Aracaju (clique para ampliar):

Lá, felizmente, não teve briga. Ele só ficou encarando feio quem o chamou de fascista (que injustiça!).
Ontem a onda de protestos fez sua primeira vítima fatal, em Ribeirão Preto. Uma Land Rover atropelou doze manifestantes, matando um jovem de 18 anos. 
E agora tá todo mundo com medo. Mesmo assim eu, uma Pollyanna Deslumbrete, não acredito em golpe. O clima é muito diferente ao de 64, quando os conservadores achavam que estavam derrubando o comunismo (o documentário O Dia que Durou 21 Anos disseca toda a paranoia). Eu ouço essa história de golpe militar desde 1989, quando finalmente conseguimos voltar a votar pra presidente. Toda eleição a ameaça se repete, sinal de que nossa democracia não está muito sedimentada. 
Mas não acho que estamos a um passo de uma guerra civil. Os fascistas não são tantos assim. São suficientes para eleger deputados federais e até senadores, mas nunca alguém pra qualquer cargo no Executivo. Nunca elegeriam seu sonho em forma de candidato, Bolsonaro Presidente, e eles sabem disso. No momento, eles só querem quebrar tudo mesmo, sem grandes ambições políticas.
Os militares não vão se intrometer. Até porque um golpe militar não teria o menor suporte diplomático internacional, e nem nacional. Dilma ainda tem ótimos índices de aprovação. E, por mais que me doa dizer isso, seu governo tem sido tão pouco à esquerda que nem a elite têm grandes motivos pra derrubá-la. Até consigo imaginar editoriais dos velhos jornais e emissoras aplaudindo o exército num eventual golpe por "colocar ordem nas ruas",  mas duvido que isso venha a acontecer. 
Agora, a dúvida é: o que fazer com esses protestos, que, pelo menos em algumas cidades, já foram confiscados pela direita? Eu entendo quem diga que se manifestantes de esquerda deixarem de comparecer, isso equivale a entregar as manifestações pros fascistas. Por outro lado, ao ir a um protesto atualmente, a gente corre dois ou três riscos: um, o mais inofensivo, é protestar ao lado de um integralista, de um mascu, como se estivéssemos na mesma onda. 
O outro risco é apanhar de uma polícia brutal, que precisa urgentemente ser reeducada. E finalmente, há o risco de apanhar de um fascista -- simplesmente porque ele não gostou da cor da sua bandeira. 
19 Jun 13:22

Photo

Dmamaral85

hahahaha



19 Jun 02:36

hermseza: The dangers of drug use.



hermseza:

The dangers of drug use.

19 Jun 02:26

[via]




[via]

16 Jun 16:09

Photo









13 Jun 02:35

shootingstarm: Wake up, America.



shootingstarm:

Wake up, America.

08 Jun 17:38

Shut up.









Shut up.

06 Jun 14:26

Not sure if canned chicken or fetus



Not sure if canned chicken or fetus

04 Jun 21:02

02/06/2013 - Salvadorenha com gravidez de alto risco ganha o direito de abortar

(Opera Mundi) Uma jovem salvadorenha com uma gravidez de alto risco ganhou o direito legal de abortar em El Salvador, país onde qualquer tipo de aborto pode levar à prisão. Depois de várias semanas de debates entre juízes, organizações femininas e pressão interacional, finalmente a CIDH (Corte Interamericana de Direitos Humanos) ordenou que El Salvador garantisse de imediato as condições para que Beatriz, de 22 anos, possa interromper a gravidez. Ela deve se submeter aos procedimento nos próximos dias.

"Solicitamos ao Estado de El Salvador que adote e garanta, de maneira urgente, todas as medidas necessárias e efetivas para que o grupo médico que cuida da senhora B. (Beatriz) possa adotar, sem interferência alguma, as medidas médicas que considerem oportunas e convenientes”, indicou a resolução da CIDH.

Os advogados de Beatriz celembraram a decisão da CIDH. “Aprovamos a resolução, evidentemente, já que em El Salvador persiste a insegurança jurídica e a falta de claridade em casos com o de Beatriz”, disse o advogado Dennis Muñoz a Opera Mundi.

Beatriz tem 26 semanas de gravidez, mas padece de lúpus e de insuficiência renal. Além disso, seu filho não tem o cérebro desenvolvido (anencefalia) e os médicos asseguram que o bebê tem poucas possibilidades de viver uma vez fora do ventre. A mulher mora com o marido e o filho de um ano em uma zona pobre da costa salvadorenha, chamada Jiquilisco, dedeicdas à pesca artesanal.

Diante do risco de morte, Beatriz solicitou à Suprema Corte de Justiça de El Salvador um amparo que permitisse interromper a gravidez. Com várias semanas de atraso, a petição foi rejeitada pelos juízes, alegando que a Constituição garante o direito à vida desde à concepção, proibindo qualquer prática de aborto.

O Congresso salvadorenho reformou a Constituição em 1999 e determinou que era improcedente qualquer tipo de aborto. El Salvador é um dos cinco países, junto ao Vaticano, que proíbe totalmente o procedimento -- 13 mulheres salvadorenhas já foram processadas por esse delito.

Diversas organizações internacionais deram respaldo a Beatriz e criticaram o atraso dos tribunais do país centro-americano. Semana passada, um grupo ativista pelos direitos femininos do México protestou frente à Embaixada de El Salvador.

Acesse em pdf: Salvadorenha com gravidez de alto risco ganha o direito de abortar (Opera Mundi - 02/06/2013) 

30 May 17:05

christiannightmares: Fourth grade creationist science quiz...





christiannightmares:

Fourth grade creationist science quiz allegedly from a private school in South Carolina (To read the story, visit Friendly Atheist; For a related post, click here http://christiannightmares.tumblr.com/post/6778863862/christian-quiz-for-kids-draw-a-circle-around-the)

28 May 12:30

hobolunchbox: When Batman used to do his own stunts.



hobolunchbox:

When Batman used to do his own stunts.

28 May 00:47

tekena: A lion and a miniature sausage dog have formed an...













tekena:

A lion and a miniature sausage dog have formed an unlikely friendship after the little dog took the king of the jungle under his wing as a cub.
Bonedigger, a five-year old male lion, and Milo, a seven-year old Dachshund, are so close that Milo helps the lion clean his teeth after dinner.
The 500lbs lion dwarfs little Milo, yet after the dog took the disabled lion into his protection as a cub, Bonedigger has rarely left his side.

The two have been inseparable over the past five years at G.W. Exotic Animal Park in Wynnewood, Oklahoma.
Bonedigger was born with a metabolic bone disease that left him mildly crippled.


He said: ‘This friendship between an 11 pound wiener dog and a 500 pound lion is the only of it’s kind in the world ever seen.’
Mr Reinke, who lost both his legs after a bungee jumping accident, added that the friendship between Bonedigger and his pack is unique.
‘He wouldn’t be so friendly with other dogs - it’s all down to them being pals since he was a cub. ‘
Milo often gives his best lion impression, copying Bonedigger’s ‘puffing’ - a deafening lion growl that can be heard over a mile away.
Wild lions use it to communicate with other prides in their natural environment.
‘Milo does his best to copy Bonedigger when the lion tries puffing to communicate with other lions in the park ,’ added John.
G.W. Exotic Animal Park has recently been affected by the deadly tornado that swept through Oklahoma on May 20th.
The park was damaged and flooded, but is still managing to provide shelter for domestic and wild creatures that are homeless because of the storm.

27 May 23:16

Photo



25 May 14:44

Photo



22 May 21:02

Fundamentalismo no coração da Europa

by Rodrigo Vianna

por Rodrigo Vianna, a partir de indicação de @nilsonlage

A notícia é manchete no portal do “Le Monde” – mais tradicional jornal francês: um fundamentalista se suicidou na França. E o gesto teria conotações políticas. Os mais apressados devem ter pensado: trata-se de um muçulmano desesperado, mais um na imensa diáspora de imigrantes árabes em Paris? Afinal, a imprensa ocidental acostumou-se a fazer a relação: “fundamentalismo”/muçulmano.

Só que a notícia é surpreendente e deve provocar arrepios entre os velhos liberais franceses: o gesto extremo foi de um francês. Um militante da extrema-direita francesa. Sim. E o mais impressionante: ele se suicidou dentro da Catedral de Notre-Dame. A seguir, as informações, traduzidas (com meus parcos conhecimentos de francês) do portal do “Le Monde”.

Dominique Venner, ensaísta e historiador de extrema-direita de 78 anos, antigo membro da Organização Armada Secreta (OAS), cometeu suicidio nesta terça-feira, dentro da catedral de Notre Dame, em Paris. Ele tombou, sem dizer uma palavra, atrás do altar, depois de dar um tiro na boca, por volta das 4 da tarde. Um segurança chegou a fazer massagem cardíaca. Monsenhor Patrcick Jacquin, responsável pela catedral, disse que Venner deixou uma carta sobre o altar: “Era uma cena apocalíptica, nunca vista aqui“, disse Jacquin para a imprensa.

O ministro do Interior francês disse que o suicídio aconteceu quando havia 1.500 pessoas na catedral, que é – segundo ele - “um dos símbolos de Paris e de nosso país”.

O objetivo de Venner parece ter sido este mesmo: um gesto extremo, num lugar simbólico para o catolicismo francês.

Marine Le Pen, dirigente da “Frente Nacional” (partido da extrema-direita francesa, fundado pelo pai dela), logo se manifestou no twiter qualificando o suicídio como “um gesto político”.

Antigo militante da extrema-direita, Venner foi paraquedista durante a Guerra da Argélia, e lutou para que o país africano seguisse sendo uma colônia francesa.

O site do “Le Monde” informa que Venner teria deixado uma outra mensagem, em que diz amar a vida, a mulher e os filhos, mas que julgou necessário “o sacrifício para romper a letargia”. O ensaísta acha que é preciso mostrar as ameaças contra a “família” e “nossa multimilenar civilização” – numa referência à cultura tradicional francesa.

A direita francesa tem feito grandes manifestações contra a lei que aprovou o casamento gay no país. Venner escreveu que não basta combater o casamento gay. Para ele, o inimigo principal seria o Imigrante (esse grande “outro”, ameaçador, que toma o lugar do judeu na mitologia do fascismo francês). A imigração de árabes (que, em sua maioria, professam fé muçulmana) é vista pela direita como ameaça à identidade da chamada “Civilização Européia”.

No próximo dia 26 (domingo), uma grande marcha foi convocada pela extrema-direita e por grupos cristãos tradicionalistas. O gesto extremo de Venner pod ser lido como uma tentativa de mobilizar os militantes ultraconservadores e xenófobos.

O ato de Venner mostra que o fundamentalismo chegou ao coração da Europa. Ou, talvez, tenha estado sempre ali – feito o monstro da lagoa que de repente vem à superfície.

O professor e jornalista Nilson Lage, pelo twitter nesta terça à tarde, comentou: “Espetacular suicídio: monge tibetano? Militante árabe? Não. Um católico fundamentalista homófobo francês”. E, mais tarde completou: “É bom lembrar que a França é o berço dos primeiros grandes teóricos do fascismo no Século XX: Le Bon, Maurras e Sorel.”

O site Opera Mundi lembrou que Venner deixou um último texto em seu blog, com indicações do que considera os próximos passos para mobilizar a extrema-direita:

Em seu texto, ele criticou toda a classe política, com exceção do partido de extrema-direita Frente Nacional. “Após 40 anos, os políticos e governos de todos os partidos (salvo o FN), além dos empresários e da Igreja, trabalharam ativamente para acelerar de todas as maneiras a imigração dos afro-magrebinos”, escreveu.

Segundo ele, “são necessários gestos novos, espetaculares e simbólicos para fazer agitar essa sonolência chacoalhar as consciências anestesiadas e despertar a memória para as nossas origens”.

Verdade que Paris tem como um dos seus símbolos o lindo prédio do Instituto da Cultura Árabe. Prova de que boa parte dos franceses (e, sobretudo, o Estado francês) tem conseguido incorporar os traços de outras culturas. Mas há uma outra França que se agita: a mesma que deu as boas-vindas a Hitler nos anos 40. A França de Vichy, dos colaboracionistas. A França fascista.

Assustador? A história não se repete, ok. Mas já vimos filme parecido nos anos 20/30 – em meio a crise econômica tão severa como a atual.

PS: na versão inicial desse texto, havia referências a fundamentalismo “católico”; mas alguns leitores me alertaram para o fato de que não haveria ligação entre Venner e o catolicismo. Fiz a correção.

22 May 14:10

historicalheroines:  I’ve created these flyers for a school...









historicalheroines:

 I’ve created these flyers for a school activist project where I bring more attention to the women in history that have been forgotten or ignored. This blog will be an extension of those flyers where I post longer biographies of these women and other bad-ass women like them. Too often women’s achievements have been pushed aside, either by others in their lives, or else by the historians who choose to ignore them. This tumblr is dedicated to celebrating them and bringing their achievements to light!

22 May 14:09

obscuure-rose: favorite part

Dmamaral85

hahaha
ceci: DANÇANDO COM OS AMIGOS





obscuure-rose:

favorite part

21 May 13:02

sodamnrelatable:  

21 May 12:53

Photo