Shared posts

06 Dec 15:22

This is my kind of Christmas tree ūüėć #9gag



This is my kind of Christmas tree ūüėć #9gag

24 Nov 01:49

Photo



04 Dec 05:00

Dilma e seus inimigos ocultos

Na segunda, a polícia de São Paulo prendeu um auditor da Aneel, acusado de extorquir dinheiro de um empresário do ramo de geração de energia (Aneel é a Agência Nacional de Energia Elétrica, reguladora do setor). Na semana passada, a Polícia Federal deu dezenas de batidas em busca de provas e depoimentos de auditores da Receita Federal acusados de extorsão em troca de alívio de impostos. Depois do Petrolão, tudo isso parece troco.

Mas √© dif√≠cil saber de antem√£o se, numa dessas opera√ß√Ķes, a pol√≠cia n√£o acaba por chegar a um doleiro ou lavador de dinheiro, estourando a banca de mais um prestador de servi√ßos para rouban√ßas maiores. Grandes esc√Ęndalos come√ßaram assim, um choque de um fio desencapado de uma grossa meada. H√° fios desencapados demais, no entanto.

Imagine-se ent√£o que tenham fundamento as acusa√ß√Ķes que os delatores do Petrol√£o v√™m fazendo, com mais e mais frequ√™ncia, a respeito de rouban√ßas outras em neg√≥cios grandes do governo, como no caso j√° tradicional de obras vi√°rias ou, novidade, na Eletrobras. O tamanho da encrenca, claro, seria ainda maior, bidu.

Pois bem. O governo fez cara de paisagem durante alguns meses depois que se tornou p√ļblico o Petrol√£o, escancarado pela Opera√ß√£o Lava Jato da Pol√≠cia Federal. A fase mais recente da Lava Jato, a opera√ß√£o Ju√≠zo Final, levou mais neg√≥cios para o ventilador de den√ļncias e esquentou outras tantas.

A ventania é forte sobre obras do setor elétrico. O governo estaria torcendo para ver se ninguém repara no elefante na sala, na esperança cega de que não exista nenhuma roubança elétrica ou de que a polícia não esbarre nisso, de que não se descubra outra rede de propina e lavagem de dinheiro?

H√° um universo policialmente inexplorado de nomea√ß√Ķes "pol√≠ticas" para diretorias de tantas empresas p√ļblicas. Isto √©, nomea√ß√Ķes para "diretorias que furam po√ßo", na frase imortal de Severino Cavalcanti, o deputado do baix√≠ssimo clero eleito presidente da C√Ęmara em 2005, que caiu poucos meses depois, acusado de extorquir dinheiro da lanchonete do Congresso, uma diretoria do misto quente. Cavalcanti sabia do que estava falando quando reivindicou uma diretoria gorda da Petrobras. Mas n√£o apenas na petroleira h√° "diretoria que fura po√ßo".

A gente sempre se pergunta o que um partido quer com a nomeação de um diretor de banco estatal. Implementar suas políticas de ampliação de crédito, discutir a adequação do banco às normas de Basileia, incrementar a bancarização?

Rosemary Noronha, funcion√°ria menor da Presid√™ncia da Rep√ļblica nos anos Lula, foi capaz de indicar diretores da Ag√™ncia Nacional de √Āguas e da Avia√ß√£o Civil, todos acusados de tr√°fico de influ√™ncia nesse esc√Ęndalo revelado em 2012, ind√≠cio de que pode haver cad√°veres plantados em v√°rias hortas do governo.

H√° ministros e ex-ministros, suas fam√≠lias e agregados, sob suspeita de rolo grosso em esc√Ęndalos recentes e diversos. H√° dezenas de parlamentares acusados pelos delatores do Petrol√£o. Quantos deles nomearam diretores de estatais, ag√™ncias reguladoras ou algo assim?

Dilma Rousseff já ordenou a passagem de pente-fino seguido de limpa, se for o caso? Ou vai começar seu governo caminhando inadvertida pelo campo minado?

02 Dec 01:09

Photo



02 Dec 01:14

Photo







01 Dec 05:16

"As early as the 1920s, researchers giving IQ tests to non-Westerners realized that any test of..."

‚ÄúAs early as the 1920s, researchers giving IQ tests to non-Westerners realized that any test of intelligence is strongly, if subtly, imbued with cultural biases‚Ķ Samoans, when given a test requiring them to trace a route form point A to point B, often chose not the most direct route (the ‚Äúcorrect‚ÄĚ answer), but rather the most aesthetically pleasing one. Australian aborigines find it difficult to understand why a friend would ask them to solve a difficult puzzle and not help them with it. Indeed, the assumption that one must provide answers alone, without assistance from those who are older and wiser, is a statement about the culture-bound view of intelligence. Certainly the smartest thing to do, when face with a difficult problem, is to seek the advice of more experienced relatives and friends!‚ÄĚ

- Jonathan Marks - Anthropology and the Bell Curve (via mgrable)
01 Dec 01:31

peterfromtexas: Some statistic for today



peterfromtexas:

Some statistic for today

28 Nov 21:00

Now Where's the Solitaire Street Art...

Now Where's the Solitaire Street Art...

Submitted by: (via envyone)

28 Nov 08:39

Mentirinhas #734

by F√°bio Coala

mentirinhas_723

No discurso é sempre mais bonito…

O post Mentirinhas #734 apareceu primeiro em Mentirinhas.

19 Nov 06:03

Viva Intensamente # 183

23 Nov 17:07

itseasytoremember: nihtendo: i want a video of all the tries...



itseasytoremember:

nihtendo:

i want a video of all the tries it took to make this

i want a video of the second right after this shot was taken

19 Sep 06:22

–£ –≤–į—Ā –Ī–ĺ–≥–į—ā—č–Ļ –≤–Ĺ—É—ā—Ä–Ķ–Ĺ–Ĺ–ł–Ļ –ľ–ł—Ä



–Ď–Ķ–Ľ–ĺ–ļ –ľ–ł–ĺ–∑–ł–Ĺ V –Ņ–Ķ—Ä–Ķ–ī–≤–ł–≥–į–Ķ—ā—Ā—Ź –≤–ī–ĺ–Ľ—Ć –į–ļ—ā–ł–Ĺ–ĺ–≤—č—Ö –≤–ĺ–Ľ–ĺ–ļ–ĺ–Ĺ –ł –Ņ–Ķ—Ä–Ķ—ā–į—Ā–ļ–ł–≤–į–Ķ—ā –Ņ—Ä–ł–ļ—Ä–Ķ–Ņ–Ľ–Ķ–Ĺ–Ĺ—č–Ķ –ļ –Ĺ–Ķ–ľ—É –≥—Ä—É–∑—č.

18 Nov 20:20

Estéfi Machado: Manual prático para Filhos de primeira viagem * Como brincar com adultos em 10 passos













Manual prático para Filhos de primeira viagem, por Estéfi Machado *
{ Como brincar com adultos em 10 passos }

Muitas vezes os filhos de primeira viagem têm certa dificuldade para brincar com os adultos da maneira mais adequada.
Para que sejam momentos prazeirosos e de qualidade, é preciso entender como funciona esse ser em formação, o adulto.
Aqui vão dicas de como aplicar técnicas simples e conseguir com que esse momento aconteça frequentemente na sua rotina!

1. A primeira dica é:
Nunca chegue para o adulto pulando e gritando a frase "QUER BRINCAR COMIGO?"
Isso pode causar certa ansiedade e desconforto, e ele pode travar no início do que poderia ser uma potencial brincadeira.
Há frases mais sutis para conseguir isso, como por exemplo: "VEM VER UMA COISA AQUI NO MEU QUARTO", ou "OLHA O QUE EU INVENTEI HOJE NO TAPETE DA SALA!". Dessa maneira você atrai o adulto para o local da brincadeira naturalmente.

2. Estando no local da brincadeira, arrume um jeito de manter o adulto no seu patamar. Se estiver no chão, faça com que ele sente, se estiver numa mesa, não deixe que ele fique em pé apenas observando.
Dessa maneira ele se sente parte da cena.
Outra coisa importante: nessa fase os adultos precisam ter uma função. Mantenha suas mãos ocupadas com giz de cera ou blocos de montar e faça com que sua participação seja importante na brincadeira, assim ele se sente confiante e imprescindível!
Vale usar palavras de incentivo para que ele saiba que est√° conseguindo!

3. Uma vez com as m√£os ocupadas, certifique-se de afastar todos os objetos perigosos do ambiente.
Adultos são altamente dispersos, e tendem a levar tudo que é aparelhinho retangular e luminoso para a boca, ouvidos e principalmente para a ponta dos dedos!
Pode parecer cuidado excessivo, mas as maiores tragédias com adultos acontecem em segundos, você se distrai e quando vê, já perdeu pro celular!
Para evitar acidentes, mantenha os objetos perigosos em lugares onde não possam ser alcançados, o que deve ser feito de forma discreta, para evitar um estresse desnecessário.

4. Durante a brincadeira mantenha sempre o contato f√≠sico com o adulto. O toque, beijos e abra√ßos refor√ßam a import√Ęncia dele ali.
Mas se você sentir um clima de cansaço no ar, lembre-se de NÃO fazer contato visual! O adulto é sedutor, ele vai tentar lançar um olharzinho de gato de botas e você pode cair na dele!

5. Se a brincadeira for longa, certifique-se de que o adulto esteja bem alimentado. Um adulto com fome pode ficar altamente irritado e abandonar a brincadeira!
Se for preciso, faça uma pausa para um lanche, mas lembre-se de acompanha-lo, ou ele poderá iniciar outra atividade no caminho! Lembre-se, os adultos são dispersos, mas não fazem por mal, é da natureza deles!

6. Uma regra muito importante, vital: NUNCA, JAMAIS acorde um adulto para brincar! Um adulto com sono é pior do que dois com fome.
Na hora você vai achar bom que ele acordou pra ficar com você, mas logo depois vai ver que as horas de mau-humor irritadiço e falta de energia não valem a pena!

7. √Č importante tamb√©m saber que todo adulto tem e deve ter sua rotina.
√Č dessa forma que ele se sente seguro, pertencedor de um lugar.
N√£o √© aconselh√°vel estimul√°-lo quando ele estiver no meio de suas atividades vitais, como por exemplo lendo jornal, vendo jogo na TV, fazendo coc√ī ou conversando com suas tias no telefone!

8. Quando você perceber que o adulto já se entregou ao momento da brincadeira, proponha algo que você saiba que ele realmente goste!
Não adianta chamar sua tia pra brincar de Hot Wheels ou seu padrinho pra fazer penteados na Barbie, você pode gastar fichas à toa!

9. Outra coisa que poucos filhos de primeira viagem sabem é que os adultos gostam de conversar! Sim! E muito!
E você pode falar de igual pra igual com eles, apesar de não saberem muito bem como se expressar, eles já conseguem entender certas palavras com clareza!
Conte sobre seu dia, a escola, a pracinha, os amigos, a babá, isso reforça os vínculos entre vocês, criando cumplicidade.
Não importa se ele não entender tudo que você disser, ele está ouvindo!

10. E por fim, tenha paciência!
Os adultos est√£o aprendendo, e faz parte do processo errar muitas vezes.
No começo é difícil, mas fazendo da brincadeira parte da rotina, quando você menos esperar, ele mesmo vai dar seus primeiros passinhos trêmulos em direção ao tapete da sala e vai balbuciar docemente: "QUER BRINCAR COMIGO?"

* Estéfi Machado é autora do blog www.estefimachado.com.br , mãe de um filho de primeira viagem, e terceira filha de uma viagem de 5, por isso sabe muito bem como brincar.

( vou adorar se você quiser compartilhar esse texto, só peço para que coloque a autoria e o link na repostagem! ;)
Bookmarked at brandizzi Delicious' sharing tag and expanded by Delicious sharing tag expander.
19 Nov 00:15

Photo



07 Oct 20:46

Photo





















12 Nov 14:15

Avogadro Loves the Ladies

16 Nov 11:16

Pequeno agradecimento (remake)


Hoje refiz essa tira. √Č uma tira criada em 2009. √Č uma tira que eu gosto, por isso redesenhei. :)
17 Nov 09:33

Arriving

by Doug
18 Nov 10:01

Mentirinhas #727

by F√°bio Coala

mentirinhas_716

Bons tempos em que os golpes só arrebentavam seu nariz.

O post Mentirinhas #727 apareceu primeiro em Mentirinhas.

13 Nov 01:57

Photo



15 Nov 11:19

Panoramic photo gone terribly wrong… #9gag



Panoramic photo gone terribly wrong… #9gag

16 Nov 17:28

23-09-2014

by noreply@blogger.com (Laerte)

10 Nov 06:52

Anésia # 191


- Dona Anésia sabe como ninguém cortar um barato.
10 Nov 18:12

Verdict Overturned for Italian Geoscientists Convicted of Manslaughter

by David Wolman and Lorenzo Mannella
Verdict Overturned for Italian Geoscientists Convicted of Manslaughter

An appeals court in Italy has overturned the 2012 manslaughter conviction handed down to seven prominent scientists and engineers following a devastating earthquake in 2009. The decision came as a surprise---and a relief---to many of the accused’s colleagues, who worried that pressure from the community, victims’ families, and local press would compel the court to agree with the earlier decision.

The post Verdict Overturned for Italian Geoscientists Convicted of Manslaughter appeared first on WIRED.








12 Nov 14:22

Internet has destroyed my mind… #9gag



Internet has destroyed my mind… #9gag

20 Oct 07:00

Philosophy Tech Support




Hello, customer complaints, this is Leibniz. Oh yeah? Well, this is the best of all possible customer support centers, so that can't be true
13 Nov 07:11

You can’t say a judge is not God in Brazil (according to judges themselves)

by Mauricio Savarese

‚ÄúDo you know who you are talking to?‚ÄĚ That is one of the most common statements one can hear from a Brazilian authority that is caught red-handed. An ongoing case shows how bizarre that can be. Traffic officer Luciana Tamborini was fined in about US$ 2,000 because she stopped a man that had no documents at all and whose car wasn‚Äôt bearing any plates. When the offender told the agent that he was judge Jos√© Carlos Paes, she replied: ‚Äúa judge is not God.‚ÄĚ So he held her for exceeding her powers and for contempt of court. The decision was confirmed by three other judges of Rio‚Äôs Court. The officer will appeal.

What is most interesting about this case is that for the first time in a while there was a revolt against Brazil’s baroque and shadowy Judiciary. Thanks to lawyer Flávia Penido, about US$ 8,000 were raised to pay the allegedly heavy damages suffered by poor judge Paes. Although many judges insist there is no mistake in the decision against the traffic officer who denied them Godly powers, even members of the highest court in the nation noticed the gap between them and average Brazilians was widening because of that case. So some of them came out with a very bold thesis: judges are like everyone else.

No doubt Brazil‚Äôs Supreme Court is very open if compared to international peers. We see their trials on TV and that has even sparked accusations of exhibitionism of some Justices. But the lower branches are poorly covered by the press, face little interference from their ombudsmen and even less from Brazil‚Äôs attorney‚Äôs bar. In those lower branches there is loads of¬†decisions just like that one of Judge Paes ‚ÄĒ but few hit the news. Such leeway to act¬†strongly discourages any willingness to reform, since Brazil‚Äôs endless appeal system keeps judges, law firms and authorities happy enough.

Another sign Brazil’s Judiciary truly believes they can be God is how little they care about budgets and excessive spending. Every Justice in the Supreme Court gets the same pay of President Dilma Rousseff: about US$ 10,000 a month. In the lower courts, bonuses, allowances and extras are so intere$ting that judges sometimes make more than the head of State. Recently all key members of the Judiciary decided they would get a US$ 1,500 extra to pay for their rent. That is about 20 times the average paid to members of social program Bolsa Família, which feeds poor families despite criticism of many of those judges.

Judges that are uneasy with the system could be punished

A judge in São Paulo went on TV to admit that the housing allowance was just a way to raise their salaries, since they needed to go to Miami and buy nice suits to be fit for their job. When President Rousseff rejected the budget sent by the Judiciary a couple of years ago, Justices of the Supreme Court went on camera to cry foul: it was unacceptable interference from the Executive. Despite rejecting that intrusion, Justices are usually glad in reinterpreting the Constitution to bypass Congress in matters that are allegedly in grey areas. No wonder it is so difficult for these guys to believe they are not a deity. Brazil allows them to.


07 Nov 02:10

Modelos e Gera√ß√Ķes do Voto Eletr√īnico

1. ¬†¬†¬†¬†¬†A pol√™mica - Modelos ou Gera√ß√Ķes

¬†¬†¬†¬†¬† No julgamento da ADI 4543 no STF em outubro de 2013, a relatora, ministra Carm√©m L√ļcia, inicou seu voto polemizando sobre qual seria a nomenclatura adequada para se referir aos diversos tipos de m√°quinas de votar existentes e em uso mundo afora.

¬†¬†¬†¬†¬† A ministra, que √† epoca acumulava a presid√™ncia do TSE, repeliu a denomina√ß√£o de "gera√ß√Ķes" para esses v√°rios tipos, pleiteando que a designa√ß√£o por "modelos" seria mais correta.

¬†¬†¬†¬†¬† O uso da terminologia "gera√ß√Ķes" foi proposta pelo prof. Pedro Rezende, da UnB e do CMInd, durante uma apresenta√ß√£o em audi√™ncia p√ļblica no TSE em julho de 2010.

¬†¬†¬†¬†¬† Foram apresentados os 3 modelos conhecidos (DRE, VVPAT e E2E) e denomin√°-los por "gera√ß√Ķes" se justifica porque os tr√™s modelos descritos surgiram como evolu√ß√£o um ap√≥s o outro, sempre para resolver algum problema do modelo anterior.

¬†¬†¬†¬†¬† Em todo o mundo onde se usa voto eletr√īnico, excluindo-se o Brasil, modelos da 1¬™ gera√ß√£o j√° foram abandonados devido a sua inerente falta de transpar√™ncia e absoluta depend√™ncia do software.

¬†¬†¬†¬†¬† Apenas os membros da administra√ß√£o eleitoral brasileira e do Comit√™ Multidisciplinar do TSE relutam em adotar a express√£o "gera√ß√£o", provavelmente porque ela revela com clareza que o modelo de urna eletr√īnica usado no Brasil at√© 2014, ainda de 1¬™ Gera√ß√£o, √© o mais atrasado e j√° foi abandonado no resto do mundo.

2.      A 1ª Geração - DRE

¬†¬†¬†¬†¬† A primeira concep√ß√£o de equipamentos eletr√īnicos de vota√ß√£o surgiu logo no in√≠cio dos anos 90 e eram microcomputadores, onde cada voto era mostrado na tela para confirma√ß√£o do eleitor e depois era gravado diretamente em algum arquivo na mem√≥ria digital. No final da vota√ß√£o, o equipamernto faz a apura√ß√£o eletr√īnica dos votos que depois deve ser transmitida, por alguma via digital, para a central de totaliza√ß√£o.

¬†¬†¬†¬†¬† Por essa caracter√≠stica de grava√ß√£o direta do voto, na literatura t√©cnica internacional eram chamadas por "Direct Recording Electronic voting machine" (maquina de grava√ß√£o eletr√īnica direta do voto), abreviadamente: DRE.

      Essa característica das máquinas DRE resulta que a confiabilidade do resultado publicado fica totalmente dependente da confiabilidade do software instalado no equipamento.

¬†¬†¬†¬†¬† M√°quinas DRE foram usadas em elei√ß√Ķes oficiais em 1991 na Holanda, em 1992 na √ćndia e em 1996 no Brasil. O modelo brasileiro chegou tamb√©m a ser usado em alguns pa√≠ses latino americanos entre 2002 a 2006.


Urna DRE usada na Holanda até 2006


Urna DRE usada na √ćndia desde 1992


Urna brasileira modelo 96,
também usada no Paraguai em 2004/6


Urna DRE Diebold, usada nos EUA até 2006

      A absoluta dependência da confiabilidade do software nos modelos DRE encontrou muita resistência e a partir de 2004, na Venezuela, começou o fim do ciclo de vida desse modelo, que passou a ser substituido por outros modelos independentes do software.

¬†¬†¬†¬†¬† A seguir, entre 2006 e 2012, a Holanda, a Alemanha, os EUA, o Canad√°, a R√ļssia, a B√©lgica, a Argentina, o M√©xico, o Paraguai abandoraram o modelo DRE de 1¬™ Gera√ß√£o.

¬†¬†¬†¬†¬† Finalmente, em 2014, chegou a vez da √ćndia e do Equador adotarem modelos mais avan√ßados, de maneira que restou apenas o Brasil ainda usando o modelo DRE de 1¬™ Gera√ß√£o em todo o mundo.

3.      A 2ª Geração - IVVR ou VVPAT

      A 2ª Geração de equipamentos de votar foi concebida a partir da tese de doutourado publicada em 2000 pela Ph.D. Rebecca Mercury.

¬†¬†¬†¬†¬† Na tese, foi proposta a possibilidade de auditoria cont√°bil (Checks & Balances) da apura√ß√£o eletr√īnica por meio da cria√ß√£o de uma segunda via de registro do voto, al√©m do registro digital das m√°quinas DRE.

      Esse novo registro deveria ser gravado em meio independente que não pudesse ser modificado pelo equipamento de votação e deveria poder ser visto e conferido pelo eleitor antes de completar a sua votação.

¬†¬†¬†¬†¬† Por essas caracter√≠sticas, prop√īs o nome "Voter Verifiable Paper Audit Trail" (Documento de Auditoria em Papel Confer√≠vel pelo Eleitor), abreviadamente: VVPAT.

      Posteriormente, a literatura técnica adotou também o nome "Independent Voter Verifiable Record" (Registro Independente Conferível pelo Eleitor), abreviadamente: IVVR. No Brasil é comum se chamar de Voto Impresso Conferível pelo Eleitor - VICE.

¬†¬†¬†¬†¬† A principal caracter√≠stica de equipamentos com VVPAT (IVVR ou VICE) √© que passam a ser independentes do software. O Registro Digital dos Votos (RDV) e a sua apura√ß√£o eletr√īnica podem, neste caso, ser conferidos por a√ß√Ķes cont√°beis de auditoria, independente do desenvolvedor do software e do administrador do sistema.

¬†¬†¬†¬†¬† Assim, em 2006, desenvolveu-se o Princ√≠pio da Independ√™ncia do Software em Sistemas Eleitorais que, aos poucos, passou a ser exigido em todos os pa√≠ses que usam voto eletr√īnico, fora o Brasil.

      No Brasil, por força da Lei 10.408/02, em 2002 houve um teste com urnas com VICE, de 2ª Geração, mas a má vontade do administrador eleitoral brasileiro, que repele da ideia de um sistema eleitoral que possa passar por uma auditoria independente do seu controle, resultou numa experiência mal projetada e mal conduzida. O treinamento de eleitores e mesários foi menosprezado e o teste resultou em fracasso.

      Logo em seguida, em 2004, a Venezuela implantou equipamentos de 2ª Geração com VICE com todo sucesso, demonstrando que a proposta é perfeitamente viável, ao contrário do que afirma o TSE no Brasil.

      A partir de 2006, equipamentos de 2ª Geração, com voto impresso ou escaneado, passaram a substituir os equipamentos de 1ª Geração em uso.


Urna Smartmatic, com VVPAT, usada na Venezuela desde 2004


Urna Indra, com VVPAT, fabricada na Espanha desde 2006


Urna, com VVPAT, usada no México desde 2012

4.      A 3ª Geração - E2E

      A partir de 2008, várias iniciativas começam a apresentar sistema eleitorais independentes do software que aprimoravam e/ou facilitavam os procedimentos de auditoria, tanto do registro do voto, como de sua apuração e totalização.

      Na Argentina foi apresentada a ideia de uma cédula eleitoral com um chip de radio-frequência (RFID) embutido, onde, num só documento, estão presentes o registro digital e o registro impresso do voto.

      Esse documento é chamado de "Boleta de Voto Electrónico" (BVE) e propicia muita facilidade para o eleitor e para os fiscais de Partido poderem conferir o registro do voto, a apuração e a transmissão dos resultados.

          
Boleta de Voto Electr√īnico (BVE) e o chip RFID embutido


Maquina VotAR, com BVE, usada na Argentina desde 2010

¬†¬†¬†¬†¬† Em 2011, foi publicado o 2¬ļ Relat√≥rio CMind de observa√ß√£o da elei√ß√£o na Prov√≠ncia del Chaco na Argentina e que apresenta v√°rias tabelas comparativas do funcionamento e desempenho desse sistema de 3¬™ Gera√ß√£o em rela√ß√£o ao sistema brasileiro de 1¬™ Gera√ß√£o.

¬†¬†¬†¬†¬† Em 2009, no munic√≠pio de Tacoma Park, nos EUA, foi testado o sistema Scantegrity II, onde o voto criptografado √© impresso e entregue ao eleitor, que poder√° verificar posteriormente o seu processamento, sem, no entanto, conseguir revelar o conte√ļdo do seu voto. Logo em seguida, em Israel foi apresentado o Wombat, muito parecido ao Scantegrity.

      As carecterísticas comum de todos esses sistemas de 3ª geração é a independência do software e a grande facilidade de auditoria independente, de ponta a ponta, no processamento digital do voto. Por esse motivo, os sistemas de 3ª geração são designados com "End-to-End verifiability" ou, E2E.

5.      Distribuição dos Modelos Usados no Mundo


CINZA - Pa√≠ses que ainda n√£o adotaram voto eletr√īnico em elei√ß√Ķes oficiais

VERMELHO - Países que ainda usam sistemas DRE de 1ª Geração (dependentes do software) LARANJA - Países que testaram e abandonaram sistemas de 1ª Geração por falta de transparência ou falta de confiabilidade
e, no momento, n√£o est√£o usando vota√ß√£o eletr√īnica

  • Alemanha
  • Holanda
  • Irlanda
  • Inglaterra
  • Paraguai
AZUL - Países que abandonaram sistemas de 1ª Geração
e passaram a usar sistemas VVPAT de 2ª Geração (independentes do software)
  • B√©lgica
  • Russia
  • √ćndia
  • EUA
  • Canad√°
  • M√©xico
  • Venezuela
  • Peru
  • Equador
  • Argentina
VERDE - Países que adotaram ou estão testando sistemas E2E de 3ª Geração
(independentes do software, com auditoria facilitada)
  • EUA (Takoma Park County)
  • Israel (Tel Aviv University)
  • Equador (Prov√≠ncia de Azuay)
  • Argentina (Prov√≠ncias de Salta, Chaco, C√≥rdoba, Santa F√© e Buenos Aires)

* Amílcar Brunazo Filho, engenheiro, é membro do Comitê Multidisciplinar Independente, é Representante Técnico do PDT junto ao TSE e coordenador do Fórum do Voto-E na Internet

Bookmarked at brandizzi Delicious' sharing tag and expanded by Delicious sharing tag expander.
03 Nov 16:08

andywarnercomics: In honor of Day of the Dead, here’s a repost...









andywarnercomics:

In honor of Day of the Dead, here’s a repost of my comic about the San Francisco Columbarium and the man who spent 26 years restoring it.

This comic originally appeared on Medium at The Nib. Go check out my other work there.

This is the coolest thing I’ve seen today.

05 Nov 00:38

Don Ritchie was a man who lived across from a popular suicide...



Don Ritchie was a man who lived across from a popular suicide spot in Sydney, Australia, where he saved at least 160 lives by watching out his window and inviting people near the edge of the cliff to come in and join him for tea. Source