Shared posts

16 Sep 11:00

Parei no terceiro episódio, não achei graça e ainda fiquei com...



Parei no terceiro episódio, não achei graça e ainda fiquei com dó da protagonista.

15 Sep 15:15

A melhor conversa já registrada no Facebook

by ninja negro

whatefyuk

Acho que isso resume tão bem o Facebook que até dói

q

The post A melhor conversa já registrada no Facebook appeared first on Le Ninja.

18 Sep 10:44

O lado B da democracia

by Cora

E, mais uma vez, vou votar sem qualquer entusiasmo. Nenhum dos candidatos à presidência me representa sequer minimamente. Suas plataformas são amontoados de lugares comuns, evasivas de gente covarde que não tem coragem de dizer o que pensa ou de fazer o que deve; suas falas são colchas de platitudes mal enunciadas que, na melhor das hipóteses, não significam nada.

Não suporto mais o discurso dos governistas, que insistem em pintar um país que não existe, como se fossemos todos idiotas ou desmemoriados — e que, quando forçados a contemplar os erros da atual administração, agem como se o PT já não tivesse tido tempo de sobra de mostrar a que veio; mas também não aguento mais o discurso da oposição, que só se lembra de que é contra o governo em época de eleição.

Oposição não existe apenas para faturar os votos dos descontentes; oposição é parte integrante e essencial de qualquer democracia. O PSDB traiu o país e a confiança dos seus mais de 30 milhões de eleitores quando, sem coragem de confrontar a popularidade de Lula, optou por se fazer de morto e não defender as suas posições.

o O o

Eu não quero um país eternamente governado por tipos cordiais, que se entendem por baixo dos panos. Eu não quero um país de canalhas festejados em palácio, de criminosos tratados como heróis, de ditadores recebidos como irmãos. Não quero um país em que ex-presidentes bajulam foragidos da Interpol. Não quero um país em que a presidente mente sobre as suas qualificações acadêmicas e fica por isso mesmo, como se falsificar currículo Lattes fosse coisa normal.

Não quero um país sem valores morais.

Também não quero um país onde presidentes possam ser reeleitos. Quero presidentes — e governadores, e prefeitos — que se dediquem ao trabalho durante todo o mandato; quero candidatos que não possam usar a máquina do estado, paga por todos nós, para defender os seus interesses e os interesses mesquinhos da sua curriola.

Acho obscena a divisão do tempo da propaganda eleitoral gratuita, até por saber o que ela implica. Não é assim que se constrói um bom país.

o O o

Não sei o que acho pior: uma candidata que é abertamente contra o aborto, uma candidata que não tem coragem de dizer que não é ou um candidato que se diz satisfeito com a nossa legislação obscurantista. As três posições se equivalem. Estamos em pleno ano de 2014, Constantinopla caiu em 1453 e, não obstante, continuamos gastando tempo e energia com essa discussão bizantina.

Fazer ou não fazer aborto é questão de foro íntimo. Quem for contra aborto que não aborte, mas não queira impor as suas convicções ao resto da sociedade. Sabemos onde isso vai dar: aí está essa pobre moça sumida, obrigada pela excelente legislação em vigor a procurar criminosos para se livrar da gravidez indesejada.

o O o

Na televisão os candidatos falam em educação como se tivéssemos um sistema educativo de verdade, que precisa apenas de alguns ajustes: todos dizem que vão investir mais em educação, que vão aumentar o salário dos professores e o número de vagas nas escolas e universidades. Mas de que adianta aumentar o número de vagas em estabelecimentos onde não se aprende nada? Qual é o sentido de formar profissionais sem a mínima empregabilidade?

A educação brasileira está agonizante. Não há dinheiro que resolva se ela não for repensada de alto a baixo, com o comprometimento efetivo da sociedade e de todos os partidos, independentemente de pseudo ideologias ou de alianças de ocasião.

O Brasil nunca esteve tão ignorante, tão boçal, tão despreparado. Quando é que vamos parar de fazer de conta que os nossos professores ensinam e que os nossos alunos aprendem? A quem estamos querendo enganar com isso?

o O o

Não há problema mais urgente no país do que a educação. Todo o resto, inclusive saúde e segurança, se resolve naturalmente a partir do momento em que o sistema educacional passar a formar pessoas completas, com um bom conjunto de habilidades e a consciência da sua cidadania.

o O o

Não são só os candidatos que me desanimam. Está difícil frequentar as redes sociais, que em geral tanto me divertem. Política, religião e futebol trazem à tona o que as pessoas têm de pior; consigo manter a timeline razoavelmente livre de futebol e de religião, mas de política não tenho como fugir, já que somos todos eleitores.

Sou tomada por uma enorme sensação de cansaço diante dos xingamentos agressivos, da falta de argumentação, da cegueira de todas as partes; não entendo como gente adulta ainda pode achar graça em trocadilhos fracos como presidanta ou Aécio Never.

Vontade de desligar o computador, comprar uma passagem para bem longe e só voltar depois da apuração do segundo turno.

(O Globo, Segundo Caderno, 11.9.2014)

16 Sep 18:46

Pied Piper of Elephants

Osiasjota

via Dj10bear

18 Sep 01:52

Living with Hipstergirl and Gamergirl-134

by jagodibuja

134

17 Sep 14:00

The Struggle of Mobile Browsing in One GIF

Osiasjota

via ereed

The Struggle of Mobile Browsing in One GIF

Submitted by: (via Reddit)

Tagged: rage , smart phone , gifs
28 Aug 04:25

O candidato que o povo precisa #2

by Jesus Manero
Osiasjota

via Alan Porto

thumb_vote

O candidato que o povo precisa #2

Sem dúvida alguma, 2014 está sendo o melhor ano eleitoral que esse país já viu.

- O candidato que o povo precisa #1

The post O candidato que o povo precisa #2 appeared first on Jesus Manero.

27 Aug 15:12

Why Legal Pot is Better Than the Ice Bucket Challenge for ALS

by Nick Gillespie
Osiasjota

eles podiam fazer uma série de vídeos em que um cara fica de frente a um balde de gelo e fica fumando baseado e explica isso e deixa o balde esquentar e o gelo derreter e continua queimando tudo até a última ponta

The ice bucket challenge has raised a huge amount of awareness for Amyotrophic Lateral Sclerosis (ALS) or "Lou Gehrig's Disease," which affects about 30,000 Americans.

Writing in The Hill, Andrew Gargano talks about an existing, effective way to ameliorate the disease's devastating symptoms: Medical marijuana.

A number of studies have shown that cannabis functions in many ways that are beneficial to those with ALS, from serving as an analgesic to acting as a soothing muscle relaxant. Cannabis also functions as a saliva reducer, and so it has the ability to reduce symptoms of uncontrollable drooling that is common among those with ALS. Additionally, cannabis has been found successful in use as an antidepressant, results which have also been confirmed by an anonymous, self-reported survey of ALS patients conducted by the the MDA/ALS Center at the University of Washington.

Most importantly, however, is that a 2010 study found that cannabis offered anti-oxidative, anti-inflammatory, and neuroprotective effects when tested on laboratory mice. The researchers found that cannabis slowed the progression of the disease and prolonged cell survival, ultimately concluding that “it is reasonable to think that cannabis might significantly slow the progression of ALS, potentially extending life expectancy and substantially reducing the overall burden of the disease.”

While this information may seem incredibly relieving to anyone who suffers from ALS, only 34 percent of Americans live in the 23 states, and the District of Columbia, that currently recognize the important medical uses of cannabis.

Read the whole thing.

Hat Tip: Students for Liberty Twitter feed.

25 Aug 19:00

Fixing the Problem

by admin
Osiasjota

oh
dog
why

via THANKGODYOUREHERE

17 Sep 13:27

The Greatest Threat in the Marvel Universe

undefined

 

 

...
16 Sep 15:30

Ojo con los medios de desinformación y los artistas del Paint como @romualdomaestre

Osiasjota

imagina na copa

via Karloss09


15 Sep 17:50

The rate that young star systems lose matter can be inferred from squiggly lines collected by expensive telescopes

Osiasjota

via rosalind

Astronomy, Smith College

"Revisiting Forbidden Lines in T Tauri Stars"

17 Sep 01:28

UK company working on a Hoverbike

Osiasjota

armadilha de satanás

16 Sep 19:40

We've Come a Long Way With Free Music and U2

Osiasjota

via Richdool

We've Come a Long Way With Free Music and U2

Submitted by: (via rapcatmixer)

Tagged: u2 , Music , iTunes , piracy , free stuff
16 Sep 02:37

¡Os jodéis, ateos! BWAHAHAHAHAHAHAHA...


15 Sep 21:28

Infográfico sobre Aposentadoria Voluntária

by Clauber Silva
São três as modalidades de aposentadoria para o servidor público federal: por invalidez permanente, a compulsória (obrigatória aos 70 anos de idade) e a voluntária. Das três, a última é a mais complexa, mais cheia de detalhe. Por isso desenvolvi a primeira versão esse infográfico que vai ficar fixo como página nesse blog.

Veja o infográfico completo.


Como disse, é ainda a primeira versão do infográfico. Pretendo melhorá-lo em versões posteriores. Alguns pontos que podem ser melhorados:

1) Ainda tem muito texto e vejo isso como pecado. Se é pra ler muito, o infográfico perde um pouco o objetivo.

2) Essa fonte que eu usei não ficou muito legível. Vou testar uma menos fina.

3) Acho que o usuário pode se sentir um pouco perdido se estiver começando a conhecer a assunto. Na verdade, quem é que vai se interessar pela história? O cara quer mais é saber que regra é válida para ele! Em que regra eu me encaixo? Tenho que ler o cabeçalho de cada regra pra descobrir, mas parece que me encaixo em várias. E agora? O infográfico poderia ter uma seção do tipo "Como é hoje" onde o usuário se encontre dentro de uma série histórica. Ingressei no serviço público no ano tal, portanto me encaixo nesse ponto aqui. Então, posso me encaixar nessa e naquela regra.
10 Sep 06:06

fuck-yeah-feminist: This deserves so many reblogs. Feminism is...

Osiasjota

via ThePrettiestOne





fuck-yeah-feminist:

This deserves so many reblogs.

Feminism is having a wardrobe malfunction.

Does your brand of feminism remove barriers for women, or simply move them around? Does is expand options for women, or does it just shift them? You don’t liberate women by forcing them to choose option B instead of option A. What is comfortable for you might not be comfortable for someone else, and it’s entirely possible that what you see as oppressive, other women find comfortable or even downright liberating.

Some women would feel naked without a veil. Some women would find it restrictive. Some women would feel restricted by a bra. Some women would feel naked without one. Some women would feel restricted by a tight corset. Others love them. Some wear lots of clothes with a corset. Some only wear the corset and nothing else. What makes any article of clothing oppressive is someone forcing you to wear it. And it’s just as oppressive to force someone not to wear something that they want to wear.

15 Sep 23:35

I thought that only people do this.

15 Sep 23:30

My thoughts after hearing about Apple Pay

15 Sep 21:33

Photo



15 Sep 20:44

let me win

by noreply@blogger.com (the realist)
check out my Patreon page, where you can show your support for the comic and see process sketches. thanks!






12 Sep 14:05

Because physics

by Minnesotastan
Osiasjota

via Luke.stirling


You can make your own pendulum wave device (and you don't have to use bowling balls).

Via Nothing to do with Arbroath.
08 Sep 18:47

Não existem racistas na torcida do Grêmio

by Pedro Menezes
Osiasjota

esse texto é bom e vale pro feminismo também
via Adam Victor Brandizzi

Por Pedro Menezes

Já conversei com defensores de ideias absurdas, bizarras, que fariam o leitor ter nojo, mas não lembro de um brasileiro sequer que tenha defendido abertamente a inferioridade genética dos negros e pardos. Da mesma forma, conto nos dedos quem negue que o Brasil seja um país racista. Nenhum brasileiro se reconhece como racista, mas todos sabem que a discriminação racial existe. Quando colocado dessa forma, o racismo soa como uma especial de espirito do tempo, uma ideia que ronda o ar e a todos afeta com sua metafísica, mas que não parte de ninguém. Este é mesmo um país diferente, o primeiro país racista sem racistas.

No jogo entre Grêmio e Santos, em Porto Alegre, uma torcedora gremista foi flagrada pelas câmeras chamando o goleiro adversário de macaco. Não se trata apenas de uma ofensa aleatória. O macaco traz a simbologia do primata atrasado, rude, fruto de defeito evolutivo, etc. Na época da banana jogada contra o brasileiro Daniel Alves, na Espanha, todo mundo sabia disso e a comparação entre um jogador negro e um macaco simbolizava o racismo incontestável do torcedor espanhol. #somostodosmacacos. Por aqui, ainda há quem ache exagerado dizer que a torcedora gremista foi racista, afinal, ela até tem amigos negros.

O Grêmio foi eliminado da Copa do Brasil por causa das ofensas dirigidas ao goleiro Aranha, do Santos. Alguns viram na decisão o fim do futebol brasileiro. “O futebol perdeu a graça quando se tornou politicamente correto”, é o que dizem. Sempre fui dos mais fanáticos pelo esporte, sou um tarado que acompanha uns 10 campeonatos simultaneamente, e talvez por isso não entendo que “a graça do futebol” esteja em chamar negros de macaco. E também não entendo por que insistem em enquadrar o xingamento como expressão do “politicamente incorreto”. Racismo não é politicamente incorreto. Racismo é só incorreto.

A torcedora do Grêmio talvez não seja uma pessoa ruim, e digo isso com sinceridade e até algum afeto, dado o drama vivido nestes dias de exposição nacional constante. Tudo o que ela fez foi ir ao estádio, assistir ao seu time e xingar – ao lado de milhares de pessoas – o goleiro adversário. Nada mais comum. Acho até que ela não se considera racista e seria incapaz, por exemplo, de comandar um grupo de extermínio como a Ku Klux Kan.

Mas o racismo não está apenas na criação de grupos de extermínio. O racismo está, principalmente, na naturalização de absurdos. Comparar negros e macacos, dado o histórico tenso das relações raciais no país, é cruel. Durante o jogo entre Grêmio e Santos, 20 mil pessoas assistiram a alguns torcedores racistas e nada fizeram contra eles. A torcedora do Grêmio apenas deu o azar de ter sido flagrada em close pela câmera da ESPN Brasil, numa cena de leitura labial incontestável. “Não é nada demais, é só um jogo e eu não sou racista”, ela deve ter pensado enquanto gritava. Mas os problemas decorrentes do racismo não estão apenas nos gritos de “macaco”. Eles estão na desculpa coletiva de que “não é nada demais”.

Nem todos os habitantes do Sul dos Estados Unidos participavam da Ku Klux Klan durante os anos 1920. É bastante provável que a maior parte deles tenha nascido e morrido sem jamais matar um negro. A KKK só foi um problema porque seus integrantes jamais foram reprimidos pelo que faziam. Pregar a expulsão de todos os negros dos EUA era visto como atividade política legítima, ocupação de alguns pais de família respeitáveis. Quando se diz que o Sul dos EUA é racista, a culpa não é apenas dos ex-integrantes da KKK, mas também da maioria passiva que nada fez para mudar a situação.

Em um mundo ideal, após meia dúzia de torcedores do Grêmio começarem os gritos de macaco, vinte mil torcedores ao seu redor começariam as vaias e em pouco tempo o silêncio envergonhado tomaria o estádio. Foi exatamente o que aconteceu no jogo seguinte do Grêmio. Agora que o clube foi eliminado da Copa do Brasil pelo racismo de seus torcedores, coisas do tipo não acontecerão tão cedo e manifestações racistas não serão mais acompanhadas por silêncio, mas por xingamentos – e detsa vez, os alvos serão os racistas.

Amigos, anotem o que aconteceu durante este ultimo mês. A eliminação do Grêmio é um evento digno de nota: pela primeira vez na sua história, a CBF agiu de forma exemplar.

admin-ajax

Pedro Menezes

Pedro Menezes é estudante, editor deste site e um dos co-fundadores da rede Estudantes Pela Liberdade no Brasil. Nascido na Bahia e radicado em São Paulo, ele diz que se interessa por teoria política, história, economia e cinema, mas divide o seu tempo livre entre o Vasco e literatura de qualidade duvidosa.

08 Sep 19:00

Loading... Loading... Loading...

Osiasjota

let it go ♪ let it go ♪

via Rtersieva

10 Sep 01:08

Photo

Osiasjota

via Chexpirit









11 Sep 06:57

Photo

Osiasjota

via ThePrettiestOne



08 Sep 21:37

2creepychihuahuas: illbeyourfavouritedrug: heathyr: partybarackisinthehousetonight: my life...

Osiasjota

via firehose

2creepychihuahuas:

illbeyourfavouritedrug:

heathyr:

partybarackisinthehousetonight:

my life changed forever when i found out the word “slang” was actually slang for “shortened language”

image

so slang is slang for slang

image

11 Sep 04:00

September 11, 2014

Osiasjota

imagina na copa
via Tadeu


Slice.
21 Jul 05:26

this isn't happiness™ Peteski

by turn
Osiasjota

via Laszlo Tenki

09 Sep 23:56

Photo

Osiasjota

via Alan Porto