Shared posts

02 Dec 17:16

micdotcom: Newspaper and family show the exact right way to...



micdotcom:

Newspaper and family show the exact right way to treat a transgender teen

A birth announcement is a beautiful thing. Especially 19 years after the fact.

In today’s Australian Courier Mail, the Bogert family issued this awesome birth announcement by way of a  ”retraction.” The announcement, which has since gone viral, exemplifies the right way to embrace your transgender child.

02 Dec 19:48

Newswire: Stephen Hawking would like to play a Bond villain

by Matt Wayt
Igor Santos

YES!!!!
PARA ONTEM!!!

Stephen Hawking does not play himself in the biopic The Theory Of Everything, presumably because he wouldn’t be able to make outrageous threats or feed someone to a shark. According to The Telegraph, the renowned physicist recently told Wired that his ideal film role is that of a James Bond villain, saying, “I think the wheelchair and the computer voice would fit the part.” Although not a trained actor, Hawking has set his thespian sights high after playing cards with Data, Isaac Newton, and Albert Einstein on Star Trek: The Next Generation.

The 007 series has not had a wheelchair-bound antagonist since 1981’s For Your Eyes Only, where John Hollis played an unnamed villain in the pre-credit sequence who was probably Blofeld but couldn’t be named as such for legal reasons. The current rumor is that Christoph Waltz will play the baddie in the as-yet-unnamed Bond 24 ...

01 Dec 18:49

How to Build the World’s Simplest Electric Train

by Christopher Jobson

How to Build the Worlds Simplest Electric Train trains magnets electricity batteries

The AmazingScience YouTube channel demonstrates how to build a ridiculously simple electric “train” with the help of a few magnets, a battery, and a copper coil. You can also use the same materials to build a little spinning motor-like contraption. (via Twisted Sifter)

18 Sep 03:16

Photo



06 Nov 15:19

Furry furniture that looks like taxidermied Dr. Seuss creatures


Golden Corral and Beast Guests, 2014
 
Texas twins Nikolai and Simon Haas desperately wanted to see the Ralph Bakshi flop, Cool World as kids, but their parents wouldn’t let them. Mom and dad were right. Not only was the the...

29 Nov 17:35

'The Help' (2011) A história se passa na década de 60 em...



'The Help' (2011)

A história se passa na década de 60 em Mississipi e ilustra as relações entre as empregadas domésticas, todas elas negras, e suas patroas. Com a evolução dos direitos civis nos EUA e na Europa a coisa hoje está muito diferente;  as famílias tendem a assumir pelo menos parte da lida doméstica e as responsabilidades com a criação dos filhos, coisa que nosso Brasil ainda não alcançou. 

Elas ganham voz a partir da escrita da jornalista Skeeter, que a despeito de todas as barreiras que encontrou colheu depoimentos de diversas destas mulheres e os publicou em um livro.

O interessante é que respeitadas as devidas proporções não há uma diferença tão grande com o que vemos hoje no Brasil. Mesmo a empregada que não dorme no emprego precisa usar um banheiro que nenhuma visita ou ninguém da família usa (muitos apartamentos minúsculos e destinados para uma classe média a média alta só são comprados se tiverem um banheiro separado para a diarista, no geral feito com material bem inferior ao resto do apartamento),  ou só poder fazer as refeições depois que os patrões saem da mesa, ou ter que acumular funções de babá, lavadeira e cozinheira. 

O banheiro da dependência de empregada do meu apartamento foi transformado em algo mais útil, hoje é um depósito que dá suporte à nossa lavanderia. Quando nosso diarista está aqui ele usa o banheiro do Igor ou usa o lavabo, se quiser usar o meu também usa, do mesmo jeito que qualquer visita ou pessoa que venha executar algum serviço em casa. Se ele dormisse aqui poderíamos pensar em reativar o banheiro, mas unicamente para o conforto dele, pois ele poderia tranquilamente compartilhar o banheiro com Igor.

Quando a PEC 66 foi aprovada (‘PEC das domésticas’) muitas senhorinhas e coroneis da sociedade natalense reagiram mal ao fato de não poderem mais se utilizar do trabalho do empregado doméstico sem pagar hora extra. Muita gente do meu meio achou a medida abusiva. Aquele ou aquela empregada doméstica tem também a sua própria vida, a sua casa e muitas vezes o seu ou os seus filhos para cuidar e educar. 

É uma comédia dramática. Se eu tivesse filhos seria um filme que veria com eles e se fosse professora de crianças, o apresentaria em sala de aula.

Beijos,

30 Nov 13:37

SOBRE O LEITE FERMENTADO (‘Yakult’) FEITO EM CASA (o...



SOBRE O LEITE FERMENTADO (‘Yakult’) FEITO EM CASA (o nosso é desnatado e sem açúcar)

Oi gente!

Leites fermentados são os iogurtes turbinados que não só alimentam como fornecem bacilos que ajudam no equilíbrio de nossa flora intestinal.

Há quem defenda que alimentos probióticos tem um papel importante no emagrecimento e devem ser indicados para este fim, mas ainda não vi estudos suficientemente convincentes. Se além de tudo que faz ainda ajudar a emagrecer, melhor ainda!

Esses bacilos ‘comem’ a lactose enquanto fermentam o leite, por isso este tipo de alimento pode ser muito útil para quem tem uma intolerância parcial a lactose, o que é o meu caso e o caso de boa parte da população adulta no mundo.

Se você tem intolerância ontogenética não recomendo consumir sem lactase, mas este tipo de intolerância é muito rara. Eu preciso tomar lactase quando tomo leite comum, mas com o fermentado não sinto necessidade.

Como o leite já está parcialmente digerido e ainda fornece bactérias que ajudam na digestão de outros alimentos e agem como inimigas de microorganismos ruins que às vezes consumimos sem querer, ele ajuda a reduzir o excesso de produção de gases, as diarreias e as constipações. 

Isso também se reflete nas incidências de candidíase vaginal, pois o bacilo ajuda a controlar alguns fungos que se multiplicam no nosso sistema digestivo e que podem atingir a vagina por contiguidade, então é um alimento muito bacana não só para mulheres e crianças como para pessoas que costumam comer fora de casa.

A vantagem do lactobacilo Shirota cultivado nessa receita (tem esse nome porque foi um japa que descobriu) é que ele sobrevive no nosso estômago. Há microorganismos que não suportam a acidez e morrem, mas o Shirota é um samurai,  não se entrega ao primeiro obstáculo :) 

Se você quer fermantar leite usando o Shirota tem que usar leite que tenha lactose, ou seja, não adianta tentar fazer com leite vegetal. Ele se chama lactobacilo justamente porque o açúcar que ele gosta de comer é a lactose. Não precisa colocar açúcar, só se você quiser. 

Então como a gente faz aqui em casa:

- Um litro de leite desnatado em temperatura ambiente mas não maior que 40 graus (se você morar em local muito frio pode colocar o leite por alguns minutos dentro de um forno com luz acesa, por exemplo, só para dar uma leve aquecida). Não precisa ferver o leite antes porque o leite já é pasteurizado ;)

- Um frasco de Yakult, se quiser pode colocar dois

Mexa bem e deixe fermentar FORA da geladeira por 24 horas. Se for em lugar muito frio, deixe dentro de uma iogurteira ou dentro do forno com a luz acesa porque do contrário fica difícil pro bacilo se multiplicar.

- E no final, adoçante. Você pode usar sucralose, xilitol ou se quiser pode adoçar batendo com uva passa na hora de consumir, com açúcar de côco, com outra fruta qualquer  ou até com achocolatado.

Mantenha sob refrigeração. 

A quantidade de lactobacilos nesta receita pode não ser exatamente idêntica a do Yakult porém de certo é suficientemente grande e bem maior do que a encontrada em coalhada ou iogurtes. Os bacilos crescem de acordo com a quantidade de nutrientes encontrados no leite e com o tempo de fermentação, então pela lógica chega em um ponto que eles entram em equilíbrio e param de se multiplicar. É por isso toda vez que a gente faz ele fica do mesmo jeito, com o mesmo gosto e possivelmente com a mesma concentração de Shirota do original mas se você quiser pode testar um tempo de fermentação maior mas não se esqueça de que quando ele estiver pronto deve ser mantido sempre na geladeira. O tempo de fermentação não pode ser tão grande porque aí eles começam a morrer e o leite estraga. 

Sugiro consumir até 200mL por dia.

Beijos e saúde!

M.

02 Dec 12:56

Utilidade pública: o Walmart vende o seu email para empresas de spam

by Igor Santos

Desde o incidente (relatado aqui, especialmente nos comentários) em que o site ReclameAqui vendeu endereços de emails, nomes completos e números de CPF para spammeiros que se fazem passar pelo Itaú para roubar senhas de números de contas, nunca mais usei meu email oficial para qualquer tipo de cadastro.
Por causa daquele problema de invasão de privacidade e quebra de confiança, reativei minha conta antiga do Yahoo Mail para usar a única função ainda útil deste serviço: os endereços descartáveis.

Em algum momento da minha vida eu fiz um cadastro no Walmart. Não lembro de ter comprado algo, mas sei que fiz o cadastro porque tenho o endereço de email [nome de base]-walmart@yahoo.com.br. Hoje, limpando a caixa de spam, notei que este endereço estava sendo usado por várias empresas para mandar spam.
As que estavam hoje na minha caixa de spam eram a Net, a Vivo, o Bradesco e a Amil.

A seguir, uma captura de tela de hoje:

Clique na imagem para aumentá-la.

Clique na imagem para aumentá-la.

Abaixo, as provas de que as empresas compraram meu endereço e meu nome do banco de dados que deveria ser exclusivo do Walmart:

Clique na imagem para aumentá-la.

Clique na imagem para aumentá-la.

Clique na imagem para aumentá-la.

Clique na imagem para aumentá-la.

Clique na imagem para aumentá-la.

Clique na imagem para aumentá-la.

Clique na imagem para aumentá-la.

Clique na imagem para aumentá-la.

Não achei mais porque abro raramente o Yahoo e a caixa de spam é esvaziada periodicamente de forma automática, mas tenho certeza de que isso não aconteceu só esta semana.
Vasculhando meu email, me deparei com o seguinte spam, que escapou ao filtro, de junho de 2013, também de uma empresa (uma tal “importar roupas de marca”) que comprou meu endereço ao Walmart:

Clique na imagem para aumentá-la.

Clique na imagem para aumentá-la.

Possivelmente um ou mais links dentro das mensagens acima são maliciosos, visto que a venda de endereços é mais que provavelmente indiscriminada, mas o Yahoo não é bom em liberar endereços antes abri-los, então não pude checar.

O importante é lembrar que seu endereço de email é uma informação valiosa, especialmente para empresas sem caráter, como o Walmart mostrou ser.
Cuidado para não cairem em spams. Pode custar todo o seu dinheiro.


30 Nov 17:00

allcreatures: Picture: JOE KLAMAR/AFP/Getty Images (via...



allcreatures:

Picture: JOE KLAMAR/AFP/Getty Images (via Pictures of the day: 14 November 2014 - Telegraph)

01 Dec 11:50

Bigger Picture: Famous Album Covers Extended To Reveal Background Action

the-bigger-picture-famous-album-cover-art-aptitude-6

Who needs to buy an album these days? All it takes is a few clicks on your phone or computer and you can download all of your music via iTunes, and a number of other platforms, and it only takes seconds.

Downloading might be easier, and friendlier to the environment, but as a result CDs are becoming less and less popular. Just like tape decks went extinct in newer model vehicles, one day so too will CD players. The biggest issue with this revelation is that the cover art associated with album covers is taking a back seat. This is what inspired web design company Aptitude to create a fun series involving old album covers.

Aptitude has actually expanded popular album covers, using their creativity to show what these pictures might look like if they were not cropped at all. Of course it’s all just for fun, but in some cases the real album artwork isn’t as fitting as the recreated version!

Enjoy these ‘un-cropped’ famous album covers generated by Aptitude. as an attempt to bring back the love for album art, and simply make you laugh!

Michael Jackson “Off The Wall” 1979 

While Aptitude wanted to show off their fun side with these album cover recreations, they also tried to keep them somewhat related to the actual time period the album was produced during. Take this Michael Jackson cover for instance, with talk about the future, a smoking monkey and Jackson actually sporting “dress” shorts.

the-bigger-picture-famous-album-cover-art-aptitude-1

In an interview with Bored Panda Aptitude says, “We brain storm content ideas regularly and wanted to come up with something a vast majority of people could enjoy/relate to.”

Bruce Springsteen “Born in the U.S.A.” 1984 

You can’t be born in the USA without loving Fat Boy Burgers, but Americans know good and well what happens when you eat too many of those…

the-bigger-picture-famous-album-cover-art-aptitude-3

Fatboy Slim “Why Try Harder” 2006

the-bigger-picture-famous-album-cover-art-aptitude-2

Blur “Parklife” 1994

the-bigger-picture-famous-album-cover-art-aptitude-4

Aptitude explains that people buy the digital copy out of convenience. Short cuts are applied to anything that is ‘convenient,’ thus eliminating the popularity of album covers. Musicians use these covers to convey a deeper message about themselves and their music, something no one wants to lose all together.

The Beatles “Abbey Road” 1969

I especially love the road sign that reads “CAUTION Beetles Crossing.”

the-bigger-picture-famous-album-cover-art-aptitude-7

Justin Bieber “My World” 2010

When Justin Bieber first hit the scene with Usher at his side, he was a fresh-faced adorable boy without any serious crime record. His strawberry lips and infamous hair rocked the cover of his 2010 album, but what was really going on behind the scenes in Justin’s world? I think this edited album cover nails it!

the-bigger-picture-famous-album-cover-art-aptitude-8

Adele “19” 2008

Adele’s incredible voice might not spark thoughts of zombies, but it was just around 2008 when the whole zombie scene took off, causing many to lose their minds due to zombie fever.

the-bigger-picture-famous-album-cover-art-aptitude-5

Remember how much fun it was to purchase a new CD? To hold the physical copy in your hands, check out the photos included in the multi-page cover spread and read the lyrics straight off the paper.  The album art itself is something like a book cover, either drawing people in or turning them off. Plus, album art tells you more about the artist behind the music, in fact there are certain CD’s just as easily identified by their cover art as the music tucked away inside.

Take the “Nevermind” CD by Nirvana, who doesn’t remember seeing this naked baby in a Target or Circuit City (RIP) store!?

Nirvana “Nevermind” 1991

the-bigger-picture-famous-album-cover-art-aptitude-6

The album covers have become so popular the team at Aptitude is already thinking of adding more to the collection. They may even expand into movie and video game covers, other genres that are slowly being taken hostage by download.

Photo Credits: aptitude.co.uk, Bored Panda

01 Dec 02:46

Photo

Igor Santos

Água é um exemplo de fluido não-miautoniano.





















26 Nov 20:34

hurray!



hurray!

30 Nov 19:57

Photo











28 Nov 21:49

Photo



30 Nov 22:26

Photo

Igor Santos

Um gato meu morreu assim. Não conseguiu andar de ré e caiu do pior andar possível.
Mas, evolução é isso mesmo.



28 Nov 13:27

This Is What Happens When You Try to Treat Ebola with Homeopathy

Various homeopathic remedies (Photo by Wikidudeman ​via)

Dr Richard Hiltner is a really nice guy. He's in his sixties (but seems younger, in that way that Californians often do) and has a very West Coast way of making everything sound super positive all the time, up to and including the fact that, a few weeks ago, he and three other practitioners flew to Liberia to try and treat Ebola patients using homeopathy.

Hiltner says, "We landed in Monrovia on the 17th of October, then had to spend three days training to use the PPEs – the personal protective equipment, those big suits you see everyone wearing – before heading up to the hospital in Ganta." 

It was only when they got to Ganta, a province hit hard by the Ebola epidemic, that problems arose.

The team suited up, broke out their homeopathic treatments and tried to get to work on some patients. At which point the medical staff and administrators at the Ganta Hospital realised what it was they were attempting, before completely  banning them from the ETU (Ebola Treatment Unit).

It turned out that no one in the hospital – or, it seems, the entire Liberian medical administration – had any idea that this team would be using homeopathy. The Liberian government had approved the expedition and issued visas on the basis that all four were medical doctors coming to support local staff.

So, Hiltner and his colleagues got in their jeeps and drove back and forth to Monrovia in a continued effort to sort out the paperwork. "It took over five hours to drive 100 miles – it was probably the scariest part of the trip," he tells me. "We did that journey five times in all." 

But the authorities were clear: there was no way they were going to let Ebola patients be treated with what are essentially sugar pills soaked in water.

Non-homeopath Ebola response volunteers in Nigeria (Photo by CDC Global ​via)

For those who haven't yet been prescribed it on the NHS, homeopathy was developed in 1796 by the German scientist Samuel Hahnemann, based on the idea that "like cures like". It works like this: hay fever makes your eyes water, right? Guess what else makes your eyes water? Onions! Just soak a minuscule piece of onion in distilled water, then dilute that water a few hundred times, give it a shake and you're all done – hay fever will trouble you no more.

The Ebola virus kills you by essentially dissolving the walls of your veins, making you bleed to death from the inside in a massive internal haemorrhage. It's absolutely fucking horrific. Dr Hiltner says his team went to Liberia carrying 110 potential homeopathic Ebola remedies. Based on the "like cures like" principle they needed other substances that kill you by haemorrhage. Among their brightest hopes were arsenic and rattlesnake venom. So exactly the kind of thing you want to put in your body when you're  already laid out in the ETU.

Aside from the whole deliberately feeding sick people arsenic thing, the real controversy of homeopathic practice is that the remedies are so heavily diluted that no molecular trace of the supposed active ingredient – be it onion, venom or any other – actually remains. In chemical terms, it's literally just water dropped onto sugar pills. The theory is that the homeopathic agent "re-programmes" the "energy" of the water, in the same way one saves information on a hard drive – and it's the "water memory" that supposedly cures you.

An ETU in Liberia (Photo by CDC Global ​via)

Despite the claims of practitioners – and celebrity endorsements from MP Peter Hain, Prince Charles and other people without proper jobs – there is absolutely no peer-reviewed scientific literature indicating that homeopathy works any better than placebos.

So, it is perhaps understandable that, with the eyes of the world upon them, the Liberian authorities were unwilling to let this stuff anywhere near Ebola patients.

The thought of four experienced medical doctors stretching the resources of a poverty-stricken country in the grip of an epidemic, when they could be really helping, is kind of galling. This is certainly the view of Mike Noyes, head of ActionAid,  ​who is quoted on the MailOnline: "With this crisis, you can't be offering false hope. There is no scientific evidence that homeopathy has any impact on dealing with viral disease like Ebola. Coming in from the outside with these unproven approaches is damaging to the response and bringing the disease under control."

The team did eventually get to treat non-Ebola patients in Ganta with homeopathy, and reported good results. Of course, every one of those patients was also receiving all the prescribed conventional treatments, so those results are totally meaningless from any scientific or therapeutic perspective.

Actual real doctors and nurses practicing their medical skills at the army's Ebola training centre near York (Photo by Simon Davis/DFID ​via)

All in all, the whole trip just sounds like a massive disaster – four doctors running around Liberia, banned from peddling their quackery by bemused local medics. Even the obvious question of whether they underwent quarantine on their return – or were just planning on curing themselves with snake venom – is irrelevant, as they never actually came into contact with an Ebola patient.

While the expedition itself may come off as merely chaotic, there's also a slightly sketchier side to the story.

The mission was organised through two organisations: the Liga Medicorum Homeopathica Internationalis, a key institution for homeopathy advocacy, and the German group Freundes Liberias, an organisation dedicated to promoting co-operation between Germany and Liberia.

Freundes Liberias raised donations for the trip with  ​this campaign. The page talks about a "team of 20 international doctors", but makes no mention of the fact that they will be operating only as homeopaths. This squares with the fact that the Liberian medical authorities backed the trip when they thought it was a "team of doctors", and were then shocked to learn about the homeopathy.

An actual real doctor removing his PPE as he exits a ETU (Photo by Athalia Christie ​via)

So, did the organisers of the expedition raise money and obtain visas and support in Liberia by telling people they were sending doctors, before actually sending homeopaths? If so, that would be pretty shoddy business.

When asked for comment, Thomas Köppig, head of Freundes Liberias, was emphatic:

"When LMHI first contacted Freunde Liberias asking if the association would be willing to support a trip [...] I received the four CVs [...] confirmation that all members of the group were physicians and obviously experienced in working in disaster areas [...] Furthermore, LMHI confirmed that the doctors would work as regular doctors and only secondarily as homeopaths."

The response from LMHI is rather less clear, claiming that the doctors "were not able to treat Ebola patients do [sic] [to] some diplomatic problems [...] We are not asking for donations for the Ebola relief action any more because the situation changed".

Among the doctors on the expedition, however, there was absolutely no confusion that they were going to Liberia specifically to practice homeopathy, not conventional medicine – and to also use the opportunity to promote homeopathy. 

(Photo by CDC Global ​via)

When this story broke, Karen Allen of Homeopaths Without Borders deleted  ​this message from Dr Ortrud Lindemann, one of the homeopaths in Liberia, from her Facebook page. Homeopath Dr Edouard Broussalian also deleted ​a p​ost from his own site that claimed the mission would ensure "the makers of experimental vaccines will have to pack their bags". In fact, there was a real flurry of deleted pages regarding the mission from people connected to LMHI, which is never a particularly good sign.

Dr Hiltner himself is very open: "This was a golden opportunity to treat something that conventional medicine couldn't," he says. "Not only to help the people, but to show homeopathy works... there's got to be that day that conventional medicine will respect homeopathy – both have their strengths, both have their weaknesses; they need to stop calling each other names."

Speaking to Dr Hiltner, it's difficult to hold all this against him. He took the time to volunteer to go to Liberia and paid for his flight from California to Brussels, where the international team of homeopaths assembled and was flown to Monrovia (he does say he may be compensated for the ticket at some point).

For a guy who's been a practicing medical doctor for 44 years, Dr Hiltner is into some fairly whacky shit, not least Iridology and Medical Astrology, practices that make homeopathy seem positively vanilla. However, he's also clear that he knows these are controversial techniques and would never use them to interfere with conventional medicine – including on the trip to Liberia. Essentially, his heart is in the right place, even if it's making him do some very silly stuff.

Which makes it all the more of a shame that he's been drawn into this fiasco. A couple of doctors pin-balling around West Africa carrying cases of highly diluted snake venom has a certain shambolic gallows-humour; sneaking a PR stunt for homeopathy into an epidemic under the cover of sending medical help is really pretty tawdry.

More stories about the Ebola outbreak:

Are Scousers Worried About Liverpool Being a Centre for Ebola Treatment?

This Is What Life Is Like for Liberians Dealing with the Ebola Outbreak

Ebola Isn't a Medical Problem, It's a People Problem

26 Nov 21:28

Photo

Igor Santos

Pegando ebola em 3, 2, 1...



22 Nov 00:30

alrights: Micro-photography of individual snowflakes by Alexey...





















alrights:

Micro-photography of individual snowflakes by Alexey Kljatov

fuckin WOW

23 Nov 14:44

The Duchess (2008) A palavra beleza define o filme baseado na...



The Duchess (2008)

A palavra beleza define o filme baseado na biografia de Georgiana, a Duquesa de Devonshire.

Quando se estuda como a maior parte da vida das pessoas era difícil antes das mudanças sociais e democráticas que ainda estão se solidificando no mundo, quase sempre se deixa de lado o alto preço que a nobreza pagava para manter o status quo. Sim, meninas ricas também sofrem (e muito).

Georgiana foi querida do povo, apreciava o carteado e outros jogos e tinha consciência política. Mas embora fosse hábil em suas relações sociais findou tornando-se mais uma esposa refém do próprio marido. A opressão da mulher, muitas vezes tratada como uma mera incubadora, é um dos pontos importantes na história, mas o que se sobressai é o caráter e a resiliência da Duquesa.

Com uma capacidade infinita de perdoar, Georgiana mostra como é possível ser feliz encurtando seus lutos e vendo o lado melhor do que a vida pode nos dar.  

Beijos,

M.

23 Nov 11:10

White Oleander (“Deixe-me viver”) White Oleander é...



White Oleander (“Deixe-me viver”)

White Oleander é um filme americano baseado no conto homônimo de Janet Fitch. Ele conta a história de uma talentosa adolescente filha de uma mãe egoísta, perseguidora, manipuladora e ciumenta.

A mãe premedita e executa o assassinato de um cara que já tentava terminar o relacionamento com ela sem a menor preocupação em esconder da filha todos os passos. 

Então é presa e a menina, que já havia sido abandonada pelo pai, se vê entregue ao quase mercenário sistema de adoção americano. Como é comum em vítimas de pais relapsos, a menina peregrinou por três lares e em dois deles pagou pecados que nunca cometeu. 

Já emancipada e compreendendo melhor fatos do seu passado conseguiu extrair da mãe um ato, enfim, verdadeiramente maternal.

O filme tem  nota 7,2 no IMDB. 

Beijos,

M.

21 Nov 13:26

Resenha – E Se?

by Igor Santos

“É provável que bifes sobrevivam ao romper a barreira do som. Se o bife estivesse só parcialmente congelado, ele iria se estilhaçar muito fácil. Contudo, se ele aterrissar na água, na lama ou em folhas, talvez fique ok.[1]

Plasma incandescente, petabits por segundo, gotas de chuva de um quilômetro de diâmetro, escala Richter negativa, cozimento gravitacional, quantos mortos existem no Facebook, o sinal UAU! e um secador de cabelos indestrutível. Este livro é, sem sombra de dúvidas, o meu filão.

Sem se manter numa mesma linha de raciocínio por mais de dois parágrafos, Randall Munroe, autor do sempre (estatisticamente) excelente XKCD, responde perguntas hipotéticas (e algumas aparentemente nem tanto) de seus leitores com um rigor científico encontrado apenas nas mais bem conceituadas instituições de publicação de webcomics. Afinal, apesar de ser roboticista, Randall é um cartunista humorista (ou “roboticisto”, “cartunisto” e “humoristo”, como o jornalisto Jô Soares acredita ser correto).

Foto do autor

Foto do autor

Um dos melhores capítulos é o que fala sobre o que aconteceria com a órbita terrestre se todas as pessoas se juntassem num mesmo lugar e pulassem ao mesmo tempo. E não digo isso porque o Scienceblogs é citado (é a matriz, afinal, mas está valendo) mas pela reviravolta épica que me pegou de surpresa. Pensamento lateral daqueles que caem para fora da página. E ainda me lembrou um texto épico meu.

Um livro extremamente divertido, fácil de ler (para mim foram três ou quatro horas de pura empolgação) e de acompanhar (as contas mais pesadas ele guarda para si e não “mostra o trabalho”, só dá a resposta). Divulgação científica de primeira com inúmeras piadinhas discretas espalhadas por todo lugar (incluindo no verso da folha de rosto que, quando trabalhei num jornal, chamavam de “serviço”) que certamente causarão gargalhadas em quem as encontrar dentre as 300 e poucas paginas.

Eu achei muito erro de tradução[2] e até alguns de gramática (e uns mistos, como muito uso de vírgula que sobrou do original mesmo não existindo em português). Mas não acho que a maioria das pessoas realize ou se incomode, com essas coisas.

e se

A minha cópia é da primeira edição e tem uma diagramação esquisita no inicio, onde um mapa com os oceanos do mundo esvaziados ficou praticamente sem África e Europa, que se perderam dentro da lombada. Mas, como sou gente boa, eis aqui o desenho original.

Em E Se?, lançado aqui pela Companhia das Letras, você também vai descobrir uma nova solução para a máxima do copo meio vazio, quanto custaria morrer num quebra-molas e, com a ajuda de girafas empilhadas, como uma criança de cinco anos pode destruir a lógica de um físico e a força de um arremessador profissional.

Minha cópia me foi enviada pela editora, mas é o tipo de livro que eu compraria sem hesitar. Recomendo fortemente para você que lê o 42. e não volta para casa com confusão mental. E, se você é fã do XKCD, nem sei porquê está lendo isto.

Ah, e para quem estiver lendo isto a tempo e precisar saber até sexta-feira:

Participe do Hangout com Randall Munroe, autor de "E se?" e criador do xkcd, dia 25/11 às 18h http://t.co/r07S8UH0YE pic.twitter.com/JzPaa3EoSk

— Companhia das Letras (@cialetras) November 18, 2014

Sweet.

———

[1] Intacto, no caso. Não ok para comer.

[2] Porém, preciso parabenizar o tradutor que teve a ideia de traduzir “flyover state” para “estado janelinha”. A melhor manobra tradução que vi desde que “blaster” virou “explosor” nos anos 70.

20 Nov 06:06

"Just get in the car, Alice. I’ll explain on the way." #9gag



"Just get in the car, Alice. I’ll explain on the way." #9gag

11 Nov 02:54

"Windeck" começa a ser exibida hoje no Brasil - Rede Angola

Igor Santos

Não vou assistir, mas concordo com a decisão.
Precisamos ter contato com nossos sotaques ao redor do mundo.

DR

Micaela Reis em Windeck. [ DR ]

A telenovela “Windeck” estreia hoje às 23h no Brasil, informa a EBC. A primeira novela africana a ser exibida naquele país vai ser emitida na TV Brasil.

Anteriormente, a direcção da EBC – Empresa Brasileira de Comunicação, que gere a TV Brasil -, disse que a iniciativa de exibição de “Windeck” é apenas um primeiro movimento em relação à ampliação do conteúdo lusófono exibido na TV Brasil. Para o próximo ano, quando serão comemorados os 40 anos de independência de Angola e dos outros países africanos da lusofonia, estão a ser preparados conteúdos especiais em parceria com produtores do continente e também de Portugal.

“Windeck” foi produzida em 2012 pela Semba Comunicação, tendo sido exibida primeiro pela TPA e posteriormente pela RTP1, em Portugal. A novela esteve entre as quatro indicadas ao Emmy Internacional de 2013, ano em que “Lado a Lado” recebeu o prémio.

“Windeck” esteve no ar em Angola de 19 de Agosto de 2002 a 13 de Fevereiro de 2013.

Bookmarked at brandizzi Delicious' sharing tag and expanded by Delicious sharing tag expander.
19 Nov 00:15

Photo



18 Nov 15:20

[via]





[via]

18 Nov 07:14

lord-kitschener: halcyon-ia: break the rules no gods no kings...

Igor Santos

Se pudesse falar, estaria gritando SOCORRO ME TIREM DAQUI ESTOU PRESO NUM LOOP INFINITO!



lord-kitschener:

halcyon-ia:

break the rules

no gods no kings no masters

18 Nov 00:00

Photo



17 Nov 21:27

(via peterfromtexas)

18 Nov 21:08

Photo



19 Nov 21:00

sachinteng: 'Athletic Genius' for NAUTILUS Magazine Exploring...











sachinteng:

'Athletic Genius' for NAUTILUS Magazine

Exploring cerebral prowess and which areas of the brain make great athletes!

Thanks to AD Len Small for giving me the chance to work on this. Check out the article at Nautilus here