Shared posts

16 Aug 16:47

🏢🏫🏠🏨🏢

Eduardo MPS

via osiasjota



🏢🏫🏠🏨🏢

31 May 08:11

The Geek&Poke Pattern Weekend

by Oliver Widder

UPDATE: Changed pic 4. See old version here.

14 May 22:22

4gifs: Cat: Nobody mauls my humans but me! [video]



4gifs:

Cat: Nobody mauls my humans but me! [video]

06 May 20:43

US Military Drones Migrating To Linux

by Soulskill
DeviceGuru (1136715) writes "Raytheon is switching its UAV control system from Solaris to Linux for U.S. military drones, starting with a Northrop Grumman MQ-8C Fire Scout helicopter. Earlier this month Raytheon entered into a $15.8 million contract with the U.S. Navy to upgrade Raytheon's control systems for unmanned aerial vehicles (UAVs), according to a recent Avionics Intelligence report. The overhaul is designed to implement more modern controls to help ground-based personnel control UAVs. Raytheon's tuxified version of its Vertical Takeoff and Landing Unmanned Air Vehicle Tactical Control System (TCS) will also implement universal UAV control qualities. As a result the TCS can be used in in all U.S. Navy, Air Force, Army, and Marine Corps UAVs that weigh at least 20 pounds. By providing an open standard, the common Linux-based platform is expected to reduce costs by limiting the types of UAV control systems that need to be built and maintained for each craft."

Share on Google+

Read more of this story at Slashdot.








09 May 19:40

05/07/14 PHD comic: 'Frozen'

Piled Higher & Deeper by Jorge Cham
www.phdcomics.com
Click on the title below to read the comic
title: "Frozen" - originally published 5/7/2014

For the latest news in PHD Comics, CLICK HERE!

02 May 15:10

Lúpulos da Patagônia na Bodega Cervecera

by lupulinas

Há poucos meses, a BJCP (Beer Judge Certification Program) homologou um novo sub-estilo de cerveja que significa uma vitória para os cervejeiros artesanais latinoamericanos: a IPA Argenta. Mas no que essa nova IPA difere das demais? Basicamente, a IPA Argenta se caracteriza por usar em sua composição maltes pilsen e de trigo (cereal muito cultivado pelos hermanos) e lúpulos da Patagônia Argentina.

Nós, Lupulinas, fãs confessas do estilo India Pale Ale, resolvemos aproveitar o feriado para visitar a bela Buenos Aires e, de quebra, provar a novidade. Amigos, a IPA Argenta não nos decepcionou.

Ainda difícil de encontrar nos bares especializados, demos sorte de encontrar três garrafas de IPA Argenta produzidas pela cervejaria Dust. Muito bem equilibrada, esta IPA leva lúpulos Nugget, Cascade, Mapuche e Victoria (todos plantados no sul da Argentina), é razoavelmente maltada e tem um teor alcoolico de 5,6% e 45IBU, fazendo dela uma cerveja leve e com bastante “bebabilidade”.

Ela é mais seca que as IPAs americanas e tem corpo mais leve que as inglesas, tendo em comum com elas os aromas cítricos, herbáceos e florais, dependendo da proporção e do modo como são adicionados os lúpulos.

Bebemos esta IPA Argenta, produzida pela Dust, num boteco sensacional aberto há um ano no bairro de Palermo, em Buenos Aires. É o Bodega Cervecera que mantém com destaque a boa fama dos bares portenhos. O ambiente é pequeno, com mesas na calçada e um segundo andar bem confortável. O estilo é rústico e meio improvisado como os bons botecos são. Sente-se que ele está sendo criado pelo tempo, por seus donos e frequentadores.

No dia que fomos a TV estava ligada na semifinal da Copa dos Campeões e vimos o Chelsea ser eliminado pela Atlético de Madrid e os outros clientes do bar festejarem a final madrileña. Terminado o jogo, o preponderante classic rock invade o ambiente como em todos bares de artesanais que fomos aqui em Buenos Aires. O clima fica ótimo.

Apos experimentarmos a IPA Argenta resolvemos continuar na viagem e comparar as outras IPAs poduzidas por nossos vizinhos. Aconselhadas por Alícia (a melhor garçonete do mundo) partimos para a American IPA da Triskell Brewing Co. com 7% de graduação alcóolica e 70 IBU. Uma garrafa linda de 750ml, com elefantes raivosos no rótulo e produzida com double dry hopping. Ela é bem maltada mas com lupulo muito presente. Uma pedrada. Das boas.

A Bodega Cervecera não tem muitas torneiras, mas tivemos o prazer de experimentar a Black IPA da Cork que não nos decepcionou. Redonda, bem feita, ela fica magnífica com azeitonas pretas que Alícia providenciou. Alias, seguindo a tradição de bares europeus, a Bodega não tem cardápio de petiscos ou pratos. Improvisa-se queijos e azeitonas só pra você não sair de lá dando PT (Perda Total ;)

Completamos o trabalho com uma Frausen IPA que achamos bem normalzinha, bem feita mas sem nada que nos chamasse mais a atenção. Uma IPA mais floral que herbácea ou cítrica.

E assim saimos do Bodega Cervecera felizes da vida por termos experimentado a IPA Argenta e por termos conhecido um boteco dos bons. Aquele que os locais passam na sua hora e são muito bem recebidos por Alícia que sabe o que eles gostam.

Bodega Cervecera
Rua Thames, 1759 (entre a El Salvador e a Costa Rica)
Palermo Soho, Buenos Aires
tel.: 5411-48333770
aberto todos os dias a partir das 18hs

20140502-141053.jpg 20140502-141018.jpg 20140502-141002.jpg 20140502-140923.jpg 20140502-140915.jpg 20140502-140935.jpg 20140502-140946.jpg 20140502-140842.jpg 20140502-140858.jpg

todas as fotos de Cilmara Bedaque

02 May 20:50

o dia do encontro com um cara do tinder e meus amigos

by odiaquejogueimilporcospracima
Eduardo MPS

eita.

então, ontem eu combinei de sair com um piá do tinder no meu bar preferido. A questão é que o meu bar preferido também virou o bar preferido dos meus amigos que estão visitando a cidade. Os dois, um amigo e uma amiga, estavam no largo da ordem bebendo desde as duas da tarde, quando me chamaram pra beber com eles, falei que tava indo com um gatinho no hop (melhor bar), e a resposta foi “yay, encontramos vocês lá!”. “HEY, eu não vou ficar com vocês, vou ficar com o menino, ok?” “ai Helo, para de ser chata e fica com a gente lá”. Pensei que ok, eles estariam no mesmo bar, ia ficar de boa. Acho que consigo contar nos dedos as vezes que fiquei mais enganada na vida.
Encontrei com o carinha, bonitinho, gente boa, fui explicar pra ele que cerveja não é skol-brahma-serra malte, e estava indo ok. Daí chegaram meus amigos. Conversa vai, conversa vem, cerveja vai, cerveja vem e os papos começaram a ficar estranhos.
 
Primeiro, o meu amigo começou a falar da ex dele, de que na Finlândia a galera se abraça, que não tem dessa de espaço pessoal, que ele tava sentado num bar, um desconhecido chegou abraçando e eu:
-mas nossa.
Daí ele começou o papo de “que saudades do finlandês”, da importância da dedada pra um relacionamento. Pediu pra outra menina mostrar o dedo dela, e falou que o marido dela era feliz, porque o dedo dela era grosso.Que tinha saudades da finlandesa, porque o dedo dela era tão longo quanto do ET do filme. Eu já tava pedindo pra morrer.
 
Daí esse amigo começou a encher o saco da da amiga em questão, falando que os filhos dela (com 4 e 6 anos) logo vão começar a ver putaria na internet, ela vai achar que eles tão vendo joguinhos quando eles estiverem em site de porn. Eu já estava falando “caralho, amigo, cala a boca”, e pensando que o menino do tinder, a uma hora daquelas, me achava a pessoa mais bizarra do universo. Daí a minha amiga estava falando que o marido dela ensinou os meninos a fazer a higiene pessoal, puxando pele pra trás, com o nome de “fazer o dom dia”. Nessa hora, todo mundo concordou que passou do limite, e a conversa recomeçou. Meu deus, por quê?
 
Ela virou pro menino e perguntou se ele achava que eu era gata, se me pegaria, se tava pegando, o amigo falando que tem que reparar no dedo, eu escondendo o rosto a essa altura… Daí o meu amigo falou que se o meu dedo não fosse bom, ele podia usar um plug anal. Daí ele falando que foi no sex shop do lado do hostel que ele está e tinha um monte de gel pra mulher, pra piscar, pra ficar apertada. E eu roxa de vergonha. Daí o ele manda “vocês dois, quando estiverem com 60 anos de casados, vão fazer o que? vai precisar de um negócio pra pulsar”. Nesse momento eu pensei do que me valia o budismo, essa religião sem Deus acima da gente pra abrir uma cratera no chão e me engolir. E terminou perguntando “será que não tinha coisa de formiga da amazônia ali no meio? porque eu comi um negócio no Amazonas que fazia a língua tremer e eu fiquei pensando: mas e no pau?”.
 
Um pouco tempo depois, a gente resolveu ir pagar, Na fila, tava eu abraçada com o carinha (não peguei), e o meu amigo falando que tava com o lábio rachado porque tinha chupado uma prostituta na noite anterior. Eu tive que falar:
-Cacete, brother, você chupa puta?
-Não, é que depois que a nívea inventou esse protetor labial, o problema diminuiu… Cacete, Helo, você que puxa esses papos e depois acha ruim!
 
Não peguei o cara, porque meus pais já chagaram pra me buscar em seguida (crianças, não bebam e dirijam). Mas ele me mandou mensagem depois se lamentando por não ter me beijado e que eu sou linda. Então, acho que vou casar com esse cara. Para achar que eu sou massa depois de todos esses papos, só o meu futuro marido. Já vou separar os nomes dos géis para daqui 60 anos.

26 Apr 00:01

Photo



26 Apr 02:15

Monty Python To Bid Farewell In a Simulcast Show

by Soulskill
dacarr writes "The five remaining members of Monty Python will be performing in the O2 Arena, and their last show as a comedy troupe will be simulcast across hundreds of theaters in the UK, and roughly 1,500 more across the world, according to the Guardian. Michael Palin says this is really going to be the last time before the Pythons cease to be. Well, at least, before Monty Python, as a comedy troupe, runs down the curtain and joins the bleedin' choir invisible."

Share on Google+

Read more of this story at Slashdot.








23 Apr 20:22

The Hackers Who Recovered NASA's Lost Lunar Photos

by Soulskill
An anonymous reader sends this story from Wired: "The Lunar Orbiter Image Recovery Project has since 2007 brought some 2,000 pictures back from 1,500 analog data tapes. They contain the first high-resolution photographs ever taken from behind the lunar horizon, including the first photo of an earthrise. Thanks to the technical savvy and DIY engineering of the team at LOIRP, it's being seen at a higher resolution than was ever previously possible. ... The photos were stored with remarkably high fidelity on the tapes, but at the time had to be copied from projection screens onto paper, sometimes at sizes so large that warehouses and even old churches were rented out to hang them up. The results were pretty grainy, but clear enough to identify landing sites and potential hazards. After the low-fi printing, the tapes were shoved into boxes and forgotten. ... The drives had to be rebuilt and in some cases completely re-engineered using instruction manuals or the advice of people who used to service them. The data they recovered then had to be demodulated and digitized, which added more layers of technical difficulties."

Share on Google+

Read more of this story at Slashdot.








22 Apr 23:00

Sailfish Use Inescapable Face- Swords to Wound, Then Kill

by Ed Yong

Meet the sailfish—a predator that combines teamwork, ninja-like stealth, record-breaking speed, chameleonic colour changes, and a weapon that looks like a sword, works like a sword, and is mounted on its face.

It is surely one of the most spectacular hunters in the ocean. Thanks to a new study by Jens Krause, we now have a much better idea of its technique, and how it uses that distinctive pointed snout.

Sailfish typically grow to around 3 metres in length and are among the fastest of fish, reaching speeds of up to 68 miles per hour (110 kilometres per hour). Like their relatives, the swordfishes and marlins, their upper jaws end in a sharp, protruding bill. Many people assumed that the bills are used to attack prey, but others have claimed that they are too fragile; instead, they might help the fish to swim faster by cutting down on drag.

Krause became captivated by sailfish after watching a sequence in the classic 2001 documentary Blue Planet, in which a hundred-strong team take out a school of smaller fish. He wanted to see these hunts for himself and in 2011, he got his wish. “I took a trip organised by Shark Diver magazine,” he says. “They claimed it was possible to observe these animals. It was, and next year, I gathered a group of scientists to film them seriously.”

By using frigate birds and pelicans as spotters, the team found several groups of hunting sailfish. They jumped in the water, and captured several hours of high-speed and high-definition video. “It’s quite scary,” says Krause. “They do come very close to you, but they’re very accurate and careful, so they never made any contact with the divers.”

The bill isn’t a piercing weapon; it’s a slashing one. Krause’s team saw that a sailfish would swim up, insert its bill within the sardines, and flick it sideways to hit one or more targets. The sardines are none the wiser. The high-speed videos revealed that fish close to the bill don’t react any differently than the ones far away. The bill, which is so obvious to us, is actually a stealth weapon! It’s so thin that it’s hard to see and barely disturbs the surrounding water, allowing the sailfish to thrust it into the sardine school without being detected.

Now, the sardines are in serious trouble. When a sailfish flicks its bill, it either gives a gentle tap that stuns an individual fish, or a violent slash that hits several at once. During a slash, the tip of the bill can cover 6 metres and turn through 575 degrees in a single second. That’s much faster than a sardine can swim, and the bill’s acceleration (among the highest of any aquatic back-boned animal) outmatches the sardine’s reflexes. It’s hard to detect and impossible to avoid.

Krause thinks that the sailfish combine these tactics in a brutal way. They start by chasing schools of fish using their legendary speed, and they erect their eponymous sails to corral their prey. Gradually, they split large schools into smaller ones.

Then, they start slashing to inflict heavy wounds. “They don’t just attack a school and remove individuals, like dolphins or sharks would,” says Krause. “They rough these fish up for many hours. They keep them pinned, go in, and hit multiple individuals over and over again. In smaller schools, virtually every fish has been injured many times. They’re slow and exhausted. That’s when the sailfish start with the tapping. The tapping is targeted harvesting of individuals that have already been roughed up,” he adds.

The sailfish also work in teams. “We’ve seen up to 40 sailfish surrounding just 50 to 100 sardines, although maybe they started with 1,000,” says Krause. They always took turns to attack, presumably to avoid injuring each other with their sharp bills. No one knows how they coordinate their movements, but it might have something to do with their ability to change their colours. When they attack, they switch from silvery to almost black, and their flanks blaze with orange spots and electric blue bars. Perhaps these are signals to other fish, which say, “I’m up now; stand back.”

Krause’s study clearly shows that the sailfish uses its bill for hunting. “There has always been anecdotal information about bill use in feeding, but as far as I know this is the first systematic investigation. Recreational fishermen that fish for marlins and sailfish often use artificial lures or natural baits towed on the surface behind the boat,” says Richard Brill from the Virginia Institute of Marine Science. “I personally have seen blue and white marlin strike lures with their bills immediately before they grab it in their mouths.”

Brill adds that fishermen often catch billfishes whose bills are broken or missing, but that still seem healthy. There is no way of knowing whether most fish with such injuries starve and die, but these catches tell us that at least some individuals can survive without their bills.

Krause thinks that their phenomenal speed might help. He’d sometimes see a lone sardine breaking off from the school and trying to flee. When that happened, the sailfish simply chased it down through sheer speed, and swallowed it. This might explain why fishermen have sometimes found whole, uninjured fish in the bellies of billfish.

Reference: Domenici, Wilson, Kurvers, Marras, Herbert-Read, Steffensen, Krause, Viblanc, Couillaud & Krause. 2014. How sailfish use their bills to capture schooling prey. Proc Roy Soc B. http://dx.doi.org/10.1098/rspb.2014.0444

 

19 Apr 21:24

shinyjiggly: bluekraken: iraffiruse: Machine Porn coolest...

















shinyjiggly:

bluekraken:

iraffiruse:

Machine Porn

coolest gif set ever

99% perfectly looping photo Gifs :D

14 Apr 06:02

First Glow-In-the-Dark Road Debuts In Netherlands

by samzenpus
An anonymous reader writes "A 500 meter (0.3 mile) stretch of road in the Netherlands has opened without the standard crop of streetlights lining its perimeter. The streetlights are believed to be unnecessary since the road markings were painted on with a mix of photo-luminescent powder, which absorbs sunlight during the day and radiates a portion of that energy back at night. Whether the modified road paint can withstand harsh weather or even provide sufficient lighting given insufficient exposure to sunlight during the day remains to be seen. The project was orchestrated by Studio Roosegaarde, which in the future plans to implement weather-sensitive road markings that would inform drivers when outside temperatures drop or rise above certain levels."

Share on Google+

Read more of this story at Slashdot.








14 Apr 07:01

Apple vs Banana

by Doug
11 Apr 07:01

Together

by Doug

Together

Today I’m breaking from this week’s bird theme to make a double-dedication to two Happy Tree fans… Happy birthday to Giuseppe today! And a very belated happy birthday to Sam!

07 Apr 14:19

Malditos Designers

by Rômolo

Por Rômolo, às segundas aqui na IdeaFixa. Para ver todas as tiras publicadas, clique aqui.

07 Apr 05:15

Monika Horcicova, Bachelor thesis, Wheel of Life, 3D print,...



Monika Horcicova, Bachelor thesis, Wheel of Life, 3D print, polyurethane resin, 2012

07 Apr 15:34

montt en dosis diarias - -127

by noreply@blogger.com (montt)

05 Apr 14:49

2013 NSA Surveillance Scandal | 5b3.gif

5b3.gif
05 Apr 12:40

via Brief Candle Cartoons 

02 Apr 17:45

Photo



31 Mar 12:06

Alguém me explica que Merd, ops, Nerdologia foi esse?

by Igor Santos

Como venho me dedicando aos livros em detrimento aos podcasts, venho marcando a passagem das semanas pelas quintas-feiras. Mais especificamente pelo excelente Nerdologia, escrito e apresentado por Atila Iamarino (sim, aquele do Rainha Vermelha).

O videocast é patrocinado, via de regra, pela Nerdstore (autoexplicativo) e, vez por outra, por alguma outra empresa fora do conglomerado Jovem Nerd (do qual o Nerdologia faz parte), mas nunca deixando de ser algo relacionado ao mundo neo-nerd, como videogames, computadores, esportes de ação (hein?). Exceto este último.

O episódio mais recente me pegou de surpresa. E me pegou num lugar inesperado. E privado.

Logo no comecinho, na primeira aparição do patrocinador, surge a imagem abaixo:

Desconhecida por mim mas totalmente cromulente e inocente.

Desconhecida por mim mas totalmente cromulente e inocente.

Como a imagem aparece por menos de dois segundos na tela, li “hearing guardian” e achei que fosse algum tipo de protetor auricular. Sabe? Daquele que guard sua hearing? Pois. Não é.

No final, meio distraído (porque quando estou prestando atenção eu fecho o vídeo antes da propaganda começar), escuto uma voz diferente exclamando(sic): “Agora que você já sabe para que servem as suas células ciliadas, você pode exercitar as suas com o Hearing Guardian V1 da Biosom.”

Depois de recolher meu diploma do chão e recolocá-lo na parede, voltei para ouvir o resto. A propaganda alega que o produto Hearing Guardian V1 da empresa Biosom (sic) “é um software que ativa e movimenta as suas células ciliadas uma a uma, como se fosse um afinador de piano, deixando elas mais resistentes ao longo de sua vida”.

Eu até poderia discorrer sobre as propriedades fisiológicas dos esterocílios (o nome próprio das células que o software promete re-energizar reativar ressuscitar rejuvenescer exercitar) e fazer comparações do tipo “alegar que um programa pode exercitar as células do seu ouvido com estímulos sonoros é como tentar vender um massageador de períneo que promete deixar seus espermatozóides mais bronzeados, já que ambos prometem dar novas propriedades às celulas” ou ainda que dizer que isso vai deixar os esterocílios “mais resistentes ao longo da sua vida” é semelhante a propor que a pedra só é dura porque precisou aguentar, por anos a fio, as pancadas da água (que é mole pelo mesmo motivo, só que ao contrário).

Todavia, como sou formado apenas em engenharia de áudio, vou me ater aqui ao que vem escrito na fonte.

E sabe o que mais movimenta suas células ciliadas uma a uma? Barulho. Qualquer barulho. E isso para não falar nada sobre o fato de que elas não ficam isoladas, mas sim em feixes de várias ao mesmo tempo.

Um a um? Acho que Senhor Miyagi discordaria...

Um a um? Acho que Senhor Miyagi discordaria…

O locutor da propaganda diz, em seguida, que o software foi desenvolvido na Coréia do Sul e teve sua eficácia comprovada pelo Instituto Earlogic de Pesquisa da Coréia. Bom, a partir dessa informação impressionante de comprovação de eficácia, já posso passar para o site da empresa Biosom. Lá, me deparo com a temida seção “depoimentos” que todo pseudocientista adora, já que experiência pessoal é sempre mais importante que qualquer estudo bem feito com milhares de pessoas (agora, adivinha o que nunca tem nessas páginas? Um formulário de “escreva aqui o seu depoimento” ou algo semelhante). São oitenta depoimentos dos quais cinquenta e um (63,75%) agradecem à marca por uma melhora significativa do zumbido ou tinnitus. Mas isso só fica importante mais para a frente.

Em seguida, encontro a subseção “estudo“, onde se lê:

Vários estudos têm relatado que o condicionamento de som (ou seja, exposição prévia a sons de baixo nível) poderia proteger contra danos na capacidade auditiva causados por ruído traumático em um número de espécies de mamíferos, incluindo humanos.

Palavra-chave ali é “proteger”, correto? Como em português essa frase só existe nessa página e noutras apontando para ela (e não sei do que se trata coreano), catei em inglês até achar isto aqui:

“In addition to delaying progressive hearing loss, acoustic stimuli could also protect hearing ability against damage by traumatic noise. In particular, a method called forward sound conditioning (i.e., prior exposure to moderate levels of sound) has been shown to reduce noise-induced hearing impairment in a number of mammalian species, including humans.”

Isso eu achei no ClinicalTrials.gov, uma base de dados de estudos clínicos em humanos do Instituto Nacional de Saúde americano. Esse estudo deveria comparar a diferença de percepção entre tons puros, antes e depois da estimulação sonora. Pena que, mesmo tendo sido completado dois anos atrás, ele nunca apresentou os resultados.

Um dos links na seção “Outros estudos sobre a tecnologia” é este, igualmente sem resultados publicados.

Ambos, prepare-se para a surpresa, patrocinados pela Earlogic Korea, Inc., tendo como investigadores principais Eunyee Kwak, Ph.D. e Earlogic Auditory Research Institute, empresa que o locutor diz ter comprovado a eficácia do software. Volto já para a Earlogic, calma.

Procurando mais especificamente pelo resultado do ^estudo^ (aspas irônicas) na página da Biosom vejo que na Internet inteira (ou na parte alcançada pelo Google, pelo menos), não há uma só menção (fora, claro, o site da marca) que relacionasse “13,51 dB” com “P= 0.00049″ a um estudo sobre audição. Ou sequer a qualquer outra coisa senão o próprio texto.

Me interessando bastante o “vários” em “vários estudos têm relatado que o condicionamento de som poderia proteger contra danos na capacidade auditiva causados por ruído traumático”, fui atrás. Achei um bem interessante, este sim publicado (no Journal of Neurophysiology da American Physiological Society).

O teste mostrou que o condicionamento sonoro (em ratos, seis horas diárias) realmente melhora a resposta coclear. Exceto na faixa testada acima de 12kHz. Que é o que acontece com a idade, quando os agudos começam a morrer. Como se ela tivesse sido exposta a sons, como quem passou anos ouvindo (como os ratos que passaram seis horas diárias e consecutivas durante dez dias ouvindo o equivalente ao som de um liquidificador de 600W triturando cem gramas de gelo a uma distância de noventa e cinco centímetros, mais ou menos [1]).

O estudo acima diz que é possível melhorar (simplificando, porque a explicação toda envolve termos como “permanent threshold shift” e “high pass filter” que eu aprendi quando fui alfabetizado em inglês e estou com séria indisposição agora) a eficiência coclear. Sabe o que o estudo não diz? Aliás, sequer cita? Que essa macumba sonora cura tinnitus ou zumbido ou perda de audição. Que é no que os depoimentos do site se concentram.

Se eles dizem ter sido curados de seus zumbidos e a propaganda diz que a eficácia foi comprovada pela Earlogic, vamos agora para a Coréia do Sul (a boazinha da duas) conhecer de perto a empresa.

Procurando primeiro por Eunyee Kwak, Ph.D., vejo que ela é a diretora de pesquisa da Earlogic Corporation.

Investigadora principal da Earlogic Corporation.

Investigadora principal da Earlogic Corporation.

Na página da Biosom ela é constantemente associada a outro Kwak, Sangyeop. Este, descobri, é o fundador e presidente/CEO da Earlogic Corporation (link em PDF). Segundo seu currículo, Sangyeop não publica desde 2010.

Fuçando na publicações curriculares, tem o promissor “Hearing Improvement with Customized Sound Stimulation“, supostamente publicado na American Academy of Audiology. O problema é que a academia nunca ouviu falar desse trabalho.

Aliás, somente a Eartronic e sua irmã Earlogic (digo irmã porque o currículo Kwak está no fileadmin da primeira, mostrando que ele é dono da segunda) parecem saber dessa publicação.

Do também excitante Ameliorative Effect of Customized Sound Stimulation on Sensorinerual Hearing Loss, só achei o abstract na Association for Research in Otolaryngology. As demais supostas publicações do currículo são mais específicas da prática de otologia do que da de magia negr, ops, “condicionamento sonoro antecipado”.

Aprofundando-me mais ainda naquele(a) obscuro(a) fosso(a) de desinformação que é o site da Biosom, encontro a seção “curiosidades“, onde acho o trecho a seguir:

“O software foi baseado no nosso equipamento que se chama REVE 134 (…)”

O que é esse REVE 134? O produto vendido pela Earlogic, criado por Kwak.

Aliás, as passagens “Um aparelho auditivo auxilia os deficientes auditivos amplificando os sons externos. Ele não tem a função de uma terapia fundamental para perda auditiva” da Biosom e “According to the current hearing loss management, hearing aids is used to help hearing-impaired people hear better by amplifying external sounds.It is not a fundamental therapy for hearing loss and does not cure the damaged auditory hair cell.” da Earlogic são bem, digamos assim, traduzidas.

Na parte de “Perguntas frequentes -> Dúvidas sobre os efeitos do Hearing Guardian V1 -> Há provas da eficácia do software?”, podemos ler e confirmar o que o locutor da propaganda diz, que:

“(…) estudos do Instituto Earlogic de Pesquisas da Coréia do Sul e do Grupo de Pesquisa Tecnológica Adaptive Neuromodulation GmbH (ANM) da Alemanha comprovaram que a utilização da tecnologia adequadamente pode recuperar em até 10dB a audição perdida no prazo de duas semanas, podendo assim diminuir sintomas decorrentes da perda auditiva, como zumbido e dores de cabeça.”

O produto Hearing Guardian V1, que também responde por REVE 134, foi desenvolvido pela Earlogic, aquela lá do Doutor Quack – ops, Kwak (hoje estou especialmente disléxico, que diabos!), mesma empresa (ou “Instituto”, como eles anunciam) que ^provou a eficácia^ do próprio produto em ^vários estudos^ nunca publicados.

O método descrito no ^estudo^ do site da Biosom usa um certo tom “a um nível mínimo audível” (o que nós, detentores de um diploma basicamente inútil, chamamos de “limiar de audição”). Bem diferente do som de liquidificador do estudo realmente publicado! O ^estudo^ com 17 voluntários (!) publicado no site é uma tradução do “The Effect of Sound Stimulation on Pure-tone Hearing Threshold” que o ClinicalTrials.gov diz não ter sido completado (última atualização em 7 de setembro de 2011) enquanto a Eartronic (irmã da Earlogic) publica uma versão atualizada dia 7 de janeiro de 2011 (PDF). Huuum…

E todos, todos os estudos, reais ou não, sempre dizem que o treinamento sonoro melhora a percepção de alguns tons ou ajuda a proteger contra lesões traumáticas. Nenhum deles cita zumbido/tinnitus ou restauração de audição perdida. Essas alegações só aparecem nas propagandas, subrepticiamente sempre conectada a “vários estudos” ou “teve sua eficácia comprovada” usando testes que nunca disseram coisas do tipo. E isso é propaganda enganosa, desonestidade intelectual e falência moral.

Não posso dizer que me decepcionei com o Nerdologia, visto que seu conteúdo continua sendo muito bom, além do programa ser bem produzido. O que posso afirmar é que o locutor do anúncio não pode dizer que o software teve sua eficácia comprovada. Especialmente tendo o público-alvo que tem. Mais ainda quando um deslize desses pode sujar a reputação de um cientista de verdade. Mais especificamente quando se trata de um amigo meu.

Agora durma com esse barulho.

———

[1] Segundo meu decibelímetro e minha fita métrica.

29 Mar 14:57

Прогресс

by grimnir74
27 Mar 00:16

montt en dosis diarias - -120

by noreply@blogger.com (montt)

24 Mar 02:15

Marvel Comics | ecf.jpg

ecf.jpg
23 Mar 19:09

Social Media Potatoes

by Van Mensvoort
mashtags

Increasingly we see phenomena from the digital environment foraying in our physical environment. Potato maker Birds Eye decided to join the trend.

You can now buy #frozen #potato shapes for the social media generation. The mashtags come in five shapes: a hashtag, @ sign, asteriks and two emoticons.

Please note that this virtual snack makes you really fat.

21 Mar 16:31

submissivefeminist: If you think this isn’t the damn truth you...



submissivefeminist:

If you think this isn’t the damn truth you should know that a few years back, my campus newspaper ran an article that said fat women should be grateful for rape because it’s the only way they’ll ever feel worthy of a man’s attention.

I shit you not.

21 Mar 15:04

NASA Releases Clearest Infrared Milky Way Panorama Ever Made, Comes in at 20GP

by DL Cade

nasapanorama1

20 gigapixels might not seem like a lot in the world of super-high-res images. After all, we shared a 681 gigapixel image of just the moon’s north pole the other day. But when you’re talking infrared images of the milky way, the 20-gigapixel panorama that NASA just released yesterday is the clearest ever captured, and took them TEN YEARS to shoot.

The zoomable 360-degree mosaic panorama only captures 3% of the night sky, but since it’s the 3% that usually appears front and center in every night sky time-lapse you’ve ever seen, it contains over half of the stars in our galaxy.

Captured by NASA’s Spitzer Space Telescope, the mosaic is made up of over 2 million infrared photos Spitzer has taken over the 10 years it has spent gazing at the heavens.

NASA does a better job of explaining what you’re looking at than we do, so we’ll let them take it from here:

Because the images are taken in infrared, Spitzer is able to see farther than any visible light telescope could, helping scientists to visualize and trace the very shape of the Milky Way we reside in.

But just in case the scientific value of this 360-degree panorama doesn’t interest you, we’ll leave you with a fun fact about the size of this awe-inspiring image: “If we actually printed this out, we’d need a billboard as big as the Rose Bowl Stadium to display it,” said Robert Hurt, an imaging specialist at NASA’s Spitzer Space Science Center. “Instead, we’ve created a digital viewer that anyone, even astronomers, can use.”

To use this viewer and browse the Milky Way for yourself, head over to the Galactic Legacy Mid-Plane Survey Extraordinaire (GLIMPSE) project website by clicking here.

(via Digg)


Image credits: Photograph courtesy of NASA

21 Mar 14:52

King for a Day – Stephen King Art Show @ Hero Complex Gallery Preview

by Geek-Art

Pour clore la semaine en horreur, voici quelques images en avant-première de ce qui attendra les plus courageux des New Yorkais ce soir à la Hero Complex Gallery, pour le King for a Day Art Show. Un hommage vibrant à l’un des plus grands auteurs contemporains d’horreur et de fantastique… Il y a de très belles pièces, je vous préviens. En voici déjà quelques unes avant d’en reparler plus en avant la semaine prochaine. Bon week-end !

Mon Dieu ce clown.

Let’s finish the week with this glorious preview about what awaits you if you’re lucky enough to be tonight at the Hero Complex Gallery premiere, for their King for a Day art show. A tribute to the fantastic universe of the master of horror Stephen King. I’ll give you more details next week, but here comes a few candies for your week-end nightmares… Enjoy !

Thanks to Adam Smasher for the artworks !

Chris Skinner

 

Meghan Stratman

 

Paul Shipper

 

David Moscati

 

Patrick Connan

 

20 Mar 14:22

o dia que a mãe de uma amiga foi buscar a galera na balada

by odiaquejogueimilporcospracima
Eduardo MPS

share da vergonha da helô

Era lá por 2008, na época eu namorava, e fui numa festa de aniversário de um menino da sala do meu ex num bar-balada.

Estava tudo ok, o pessoal bebendo quentão, tirando fotos incrivelmente constrangedoras, daí resolvemos ir embora. A mãe de uma amiga nossa vinha buscar, até porque ninguém tinha carro na época e o táxi até a minha casa sairia uma fortuna. Daí aquele bando de universitários entrou no carro, foi todo mundo se acomodando, definindo o esquema de quem ia ficar no colo de quem, e eu saí do carro pra entrar por último e sentar no colo do meu namorado.

A mãe da minha amiga nos olhou, fez uma cara de pensativa e falou:

-Você é namorada dele?

-Sim!

-Mas você é muito bonita pra namorar com ele.

hoje eu sei, tia.